Cavalos que choram: cantos XVI e XVII da Ilíada e(m) registros de João Guimarães Rosa

  • Lorena Lopes da Costa Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), Santarém, Pará / Brasil
Palavras-chave: cavalos, guerra, Ilíada, João Guimarães Rosa

Resumo

Para estabelecer a relação entre Grécia e sertão, neste artigo, dedico atenção especial às vocalizações dos cavalos, tanto na Ilíada quanto na literatura ficcional de João Guimarães Rosa, mas também nas notas que o autor fez da leitura da poesia épica grega e no diário que ele escreveu na Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial. Pretendo, com isso, demonstrar, por um lado, a recepção de um material antigo pela ficção de Rosa, que é incorporado à sua própria tradição literária, forjando uma nova. Por outro lado, como não posso afirmar (mas vou sugerir) que o autor brasileiro teria lido os verbos no idioma grego, veremos a capacidade que um “clássico” apresenta de participar de nossa história para além de caminhos verificáveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Fontes primárias
ALLEN, Thomas W. (ed.). Homeri Ilias, v. 2-3. Oxford: Oxford University Press, 1931.
CARLOS ALBERTO NUNES. Homero. Ilíada. São Paulo: Hedra, 2011.
FREDERICO LOURENÇO. Homero. Ilíada. São Paulo: Penguin Classics; Companhia das Letras, 2013.
FREDERICO LOURENÇO. Homero. Odisseia. São Paulo: Penguin Classics; Companhia das Letras, 2011.
HAROLDO DE CAMPOS. Homero. Ilíada. São Paulo: Arx, 2002. v. II.
ODORICO MENDES. Homero. Ilíada. São Paulo: Ateliê Editorial; Campinas: Editora da Unicamp, 2010.
ROSA, João Guimarães. Diário de Guerra de João Guimarães Rosa. Documento do Acervo de Escritores Mineiros da Universidade Federal de Minas Gerais.
ROSA, João Guimarães. Documento E17 – Caderno de notas de leitura da Ilíada e da Odisséia, das Fábulas de La Fontaine e da Divina Comédia; e uma seção chamada Artes, com descrições de quadros contemplados em museus de Paris. (Série “Estudos para a Obra”). In: Arquivo Guimarães Rosa (AGR), do Instituto de Estudos Brasileiros (IEB/USP).
ROSA, João Guimarães. Grande Sertão: Veredas. 20. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.
ROSA, João Guimarães. Sagarana. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001a.
VON DER MÜHLL, Peter (ed.). Homeri Odyssea. Basel: Helbing & Lichtenhahn, 1962.
Fontes secundárias
ASSUNÇÃO, Teodoro Rennó. Nota crítica à “bela morte” vernantiana. Classica, São Paulo, v. VII/ VIII, p. 53-62, 1994-1995.
BOWRA, Maurice. Heroic Poetry. London: Macmillan, 1952.
DE LARA, Cecília. Grande Sertão: Veredas: Processos de criação. Scripta, Belo Horizonte, v. 2, n. 3, p. 41-49, 2° sem. 1998.
DELEBECQUE, Edouard. Le Cheval dans l’Iliade, suivi d’un lexique du cheval chez Homère et d’un essai sur le cheval pré-homérique. Paris: Librairie C. Klincksieck, 1951.
DETIENNE, Marcel. Les maîtres de vérité dans la Grèce archaïque. Paris: Librairie Générale Française, 2006. [1ère édition: François Maspero, 1967].
GINZBURG, Jaime. Notas sobre o “Diário de Guerra” de João Guimarães Rosa. Aletria, Belo Horizonte, v. 20, n. 2, p. 95-110, 2010.
GRAZIOSI. Inspiração divina e técnica narrativa na Ilíada. Classica, Belo Horizonte, v. 29, n. 1, p. 171-191, 2016.
JANKO, Richard. The Iliad: A Commentary (General Editor G. S. Kirk). Cambridge: Cambridge University Press, 1994. v. IV: books 13-16.
LOPES DA COSTA, Lorena. Dos ventos: história, crítica literária e linguagem em Grande Sertão: Veredas. Belo Horizonte: Fino Traço, 2013. v. 1
LORENZ, Günter. Diálogo com Guimarães Rosa. In: COUTINHO, E. (ed.). Guimarães Rosa. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1983. (Coleção Fortuna Crítica 6, p. 62-97).
MARTINS COSTA, Ana Luiza Borralho. Homero no Grande sertão. Kleos, Rio de Janeiro, v. 5-6, p. 79-124, 2002.
MARTINS COSTA, Ana Luiza Borralho. Rosa, ledor de Homero. Revista USP, São Paulo, v. 36, p. 46-73, dez./fev. 1997-1999.
ROSA, João Guimarães; MEYER-CLASON, Curt. João Guimrães Rosa: Correspondência com seu tradutor alemão. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; Belo Horizonte: UFMG, 2003.
NAGY, Gregory. The Ancient Greek Hero in 24 hours. Cambridge, Mass.; London: Harvard University Press, 2013.
NAGY, Gregory. The Best of the Achaeans: Concepts of the Hero in Archaic Greek Poetry. Revised Edition by Gregory Nagy. Baltimore: The Johns Hopkins University Press, 1980.
OTTE, Georg. O “Diário Alemão” de João Guimarães Rosa. In: DUARTE, Lélia Parreira (Org.). Veredas de Rosa II. Belo Horizonte: Editora PUC Minas, 2003. v. II, p. 285-290.
PARKER, Robert. On Greek Religion. Ithaca; London: Cornell University Press, 2011.
SPERBER, Suzi. Caos e Cosmos. Leituras de GR. São Paulo: Duas Cidades, 1976.
STARLING, Heloisa; IUPERJ. Lembranças do Brasil: teoria política, história e ficção em Grande Sertão: Veredas. Rio de Janeiro: Revan; UCAM/IUPERJ, 1999.
VERNANT, Jean-Pierre. La belle mort et le cadavre outragé. In: ______. L’individu, la mort, l’amour. Soi-même et l’autre en Grèce Ancienne. Paris: Éditions Gallimard, 1989. p. 41-79.
VERNANT, Jean-Pierre. Le mythe hésiodique des races: essai d’analyse structurale. Revue de l’Histoire des Religions, Paris, tome 157, p. 21-54, 1960.
VERNANT, Jean-Pierre. Le mythe hésiodique des races: sur un essai de mise au point. Revue de Philologie, Paris, v. 40, p. 247-76, 1966.
WERNER, Christian. O mundo dos heróis na poesia hexamétrica grega arcaica. Romanitas – Revista de Estudos Grecolatinos, n. 2, p. 20-41, 2013.
Publicado
2020-01-24
Como Citar
Costa, L. L. da. (2020). Cavalos que choram: cantos XVI e XVII da Ilíada e(m) registros de João Guimarães Rosa. Nuntius Antiquus, 15(2), 103-122. https://doi.org/10.17851/1983-3636.15.2.103-122
Seção
Artigos