Gênesis da classificação:

uma análise de conteúdo a partir da definição

Autores

  • Gercina Angela de Lima

Palavras-chave:

Classificação, Organização do Conhecimento Biblioteconomia, Ciência da Informação, Análise de conteúdo

Resumo

Na literatura, existem palavras que apresentam mais de um significado nos múltiplos contextos, e isso as faz terem interpretações ambíguas ou mesmo serem consideradas polissêmicas; é o caso da palavra classificação. Nas diversas acepções da palavra, ela pode significar um processo, um sistema de classificação ou uma disciplina. Este artigo tem como objetivo estudar a perspectiva interdisciplinar do significado da palavra classificação, a partir das acepções sugeridas pelos autores da área, com o intuito de traçar sua evolução e contexto histórico. Utiliza-se a base metodológica proposta por Bardin (2011) sobre Análise de conteúdo, aplicada nas 40 definições selecionadas a partir do artigo “Classification” (Hjørland, 2017), como amostra da pesquisa. Os resultados das análises léxicas e categoriais das definições confirmaram os pressupostos de que a classificação traça sua história pelas bases categoriais aristotélicas, tendo começado seu desenvolvimento dicotômico com os estudos de Porfírio, ganhado projeção com o sistema de categorias taxonômicas de Lineu, com a ideia de “divisão e denominação” para classificar os seres em grupos, com a obra A Origem das espécies de Darwin; e, no âmbito da Biblioteconomia e Ciência da Informação, com os estudos iniciados pelo bibliotecário  Richards (1860-1939), no século XIX, influenciando os estudos de autores como Sayers (1881-1960),  Bliss (1870-1955) e. Ranganathan (1892-1972), entre outros. Na área da Biblioteconomia e Ciência da Informação, a classificação tem sido estudada como uma disciplina, um processo de agrupar e ordenar o conhecimento, e como instrumento de representação da informação, contribuindo para a sua organização e recuperação.

 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BACON, Francis. The Advancement of Learning. Auckland: The Floating Press, 2010.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2006.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BATLEY, Sue. Classification in theory and practice. Oxford, UK: Chandos, 2005

BERELSON, Bernard.; LAZARSFELD, Paul. Felix. The analysis of communication content. [n.p.] 1948.

BLISS, Henry. E. The Organization of Knowledge and the System of the Sciences. New York, NY: Henry Holt and Company, 1929.

BOWKER, Geoffrey. C.; STAR, Susan. Leigh. Sorting Things Out: classification its consequences. Cambridge, Mass.: MIT Press, 1999.

CRESWELL, John. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Tradução de Luciana de Oliveira da Rocha. Porto Alegre: Artmed, 2007.

DAHLBERG, Ingetraut. O futuro das linguagens de indexação. Tradução do inglês por Henry B. Cox. Palestra apresentada à Conferência Brasileira de Classificação Bibliográfica, Rio de Janeiro, 12-17 de setembro de 1972. Anais... Brasília, IBICT/ABDF, 1979. v. 1, p. 323-334.

DAHLBERG, Ingetraut. Fundamentos teóricos-conceituais da classificação. Revista de Biblioteconomia, Brasília, v. 6, n. 1, jan./jun. p. 9-21, 1978.

DAHLBERG, Ingetraut. International Society for Knowledge Organization (ISKO). In: Encyclopedia of Library and Information Sciences, 3rd ed. New York: Taylor and Francis, 2010.Disponível em https://www.taylorfrancis.com/chapters/international-society-knowledge-organization-isko-ingetraut-dahlberg/e/10.1081/E-ELIS3-120044729 . Acessado em: 13 mar. 2021.

DAHLBERG, Ingetraut. Teoria do conceito. Ciência da informação, v. 7, n. 2, p. 101-107, 1978.

DOUSA, Thomas. M..The simple and the complex in E. C. Richardson’s theory of classification. Observations on an early KO model of the relationship between ontology and epistemology. In: GNOLI, C; MAZZOCCHI, F. (Eds.). Paradigms and conceptual systems in knowledge organization: Proceedings of the Eleventh International ISKO Conference, Rome, February 2010. Würzburg: ERGON VERLAG, 2010. p. 15-22. (Advances in Knowledge Organization, 12).

FOSKET, Douglas J. Systems theory and its relevance to documentary classification. International Classification, v.7. n. 1, 1980. p. 2-5

GARCIA MARCO, Francisco. J.; ESTEBAN NAVARRO, Miguel. A. On some contributions of the cognitive sciences and epistomology to a theory of classification. Knowledge of Information, v. 20, n. 3, p. 126-132, 1993.

HJØRLAND, Birger. Classification. Knowledge Organization, v. 44, n.2, p. 97-128, 2017.

HULME, Edward. W. Principles of Book Classification. A.A.L. Reprints 1. London: The Association of Assistant Librarians. 1950.

KORNER, Stephan. Classification theory. International Classification, v.3, n.1, p. 3-6, 1976.

LANGRIDGE, Derek W. Classificação: abordagem para estudantes de biblioteconomia. Rio de Janeiro: Interciência, 1977. 120 p.

LANGRIDGE, Derek W. Subject analysis: principles and procedures. London: Bowker-Saur, 1989.

McKENNA, Malcolm.C.; BELL Susan K. Classification of Mammals Above the Species Level. New York, NY: Columbia University Press, 1998.

MINAYO, Maria Cecilia. S. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Rio de Janeiro: Vozes, 2001.

PIEDADE, Maria. Antonieta. R. Introdução à teoria da classificação. Rio de Janeiro: Interciência, 1983.

RANGANATHAN, Shiyali Ramamrita. Philosophy of Library Classification. Bangalore: Sarada Ranganathan Endowment for Library Science, 1973a. 133 p.

RANGANATHAN, Shiyali. Ramamrita. Classification and Comunication. Bangalore: Sarada Ranganathan Endowment for Library Science, 1973b. 291 p.

RANGANATHAN, Shiyali. Ramamrita. Prolegomena to Library Classification. 3rd ed. London: Asia Publishing House, 1967.

REITZ, Joan. M. Dictionary for library and information science. London: Libraries Unlimited, 2004. p 224.

RICHARDSON, Ernest.C. Classification: theoretical and practical. New York: H.W. Wilson Co, 1930.

SATIJA, Mohinder P. Classification: some fundamentals, some myths, some realities. Knowledge Organization, v.25, n.1-2, p.32-35, 1998.

SAYERS, Berwick W.C. An Introduction to Library Classification: theoretical, historical, and practical, with readings, exercises, and examination papers. New York: Grafton, 1950.

SHERA, Jesse. H.; EGAN, Margareth. E. The classified catalog, with a code for the construction and maintenance of the classified catalogs. Chicago: American Library Association, 1956.

SHERA, Jesse. H. Libraries and the Organization of Knowledge. Hamden, CT: Archon Books. 1965.

SMIRAGLIA, Richard. P. The Progress of Theory in Knowledge Organization. Library Trends, v. 50, n. 3, Winter, p. 330-349, 2002.

SOPER, Mary Ellen et al. The Librarian's Thesauri’s. Chicago: ALA, 1990.

SVENONIOUS, Elaine. Ranganathan and classification science. Libri, v. 42, n. 3, p. 176-183, 1992.

VICKERY, Brian. C. Classificação e Indexação nas Ciências. Rio de Janeiro: BNG/Brasilart, 1980.

Downloads

Publicado

2021-04-12

Edição

Seção

Artigos