Inteligência competitiva: revisão sistemática da produção nacional

Autores

Palavras-chave:

inteligência competitiva; administração; ciência da informação; revisão sistemática.

Resumo

Neste trabalho se objetivou realizar uma revisão da produção nacional, em periódicos nacionais de primeira linha, nas áreas de administração e de ciência da informação, sobre inteligência competitiva. O estudo é de abordagem qualitativa e de natureza descritiva, adotando como procedimento a revisão sistemática da literatura. Segundo os critérios de seleção, os resultados indicam que os estudos sobre IC são:escassos; preponderantemente referentes à esfera privada; predominantemente da área da ciência da informação;não possuem uma regularidade linear de publicação; e apresentam maior pico de publicação em 2013.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, A. L.;MARICATO, J. M. Prospecção de cenários e monitoramento informacional como ferramentas de inteligência competitiva para o planejamento de políticas públicas no Estado de Goiás. Informação e Informação, v. 20, n. 3, p. 248-273, 2015. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/download/45168. Acesso em: 06 set. 2021.

ALMEIDA, W.A. C. et al. Compras estratégicas no setor público: uma revisão sistemática da produção nacional. Gestão.Org, v. 16, n. 2, p. 117-131, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/gestaoorg/article/view/237545/31016. Acesso em: 06 set. 2021.

BATTAGLIA, M.G.B. A Inteligência Competitiva modelando o sistema de informação de clientes – Finep. Ciência da Informação, v. 29, n. 2, p. 200-214, 1999.

Disponível em: https://www.scielo.br/j/ci/a/yM6gpSWbVYwtnjRD8Z4VwBJ/?lang=pt. Acesso em: 06 set. 2021.

BARRANCOS, J. E.;DUARTE, W. N. Inteligência competitiva e as práticas de gestão do conhecimento no contexto da administração e da ciência da informação: revelações da produção científica. Encontros Bibli: Revista Eletrônica de Biblioteconomia e Ciência da Informação, v. 18, n. 38, p. 107-126, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2013v18n38p107/25959 . Acesso em: 06 set. 2021.

BESSON, B.;POSSIN, J.-C. Du renseignement à l’intelligence économique. Paris: Dunod, 1997. Disponível em: https://www.entreprises.gouv.fr/files/files/directions_services/information-strategique-sisse/rapport-martre.pdf. Acesso em: 06 set. 2021.

BOSE, R. Competitive intelligence process and tools for intelligence analysis. Industrial Management & Data Systems, v. 108, n. 4, p. 510–528, 2008. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/220672640_Competitive_intelligence_process_and_tools_for_intelligence_analysis. Acesso em: 06 set. 2021.

CAPUANO, E. A. et al. Inteligência competitiva e suas conexões epistemológicas com a gestão da informação e do conhecimento. Ciência da Informação, v. 38, n. 2, p. 19-34, 2009. . Disponível em: https://www.scielo.br/j/ci/a/Zz45KyPX8XnQCVCrqwFPDqg/?lang=pt. Acesso em: 06 set. 2021.

CORREIA, J. J. A. et al. Características da produção científica acerca do tema inteligência competitiva: uma análise bibliométrica. Ciência da Informação, v. 48, n. 3, p. 34-50, 2019. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4538/4288. Acesso em: 06 set. 2021.

CRONIN, P.;RYAN, F.;COUGHLAN, M. Undertaking a literature review: a step-by-step approach. British Journal of Nursing, v. 17, n. 1, p. 38-43, 2008. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/5454130_Undertaking_a_literature_review_A_step-by-step_approach. Acesso em: 06 set. 2021.

DE PELSMACKER, P. et al. Competitive intelligence practices of South African and Belgian exporters. Marketing Intelligence & Planning, v. 23, n. 6, p. 606-620, 2005. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/241711918_Competitive_intelligence_practices_of_South_African_and_Belgian_exporters. Acesso em: 06 set. 2021.

DISHMAN, P. L.;CALOF, J. L. Competitive intelligence: a multiphasic precedent to marketing strategy. European Journal of Marketing, v. 42, n. 7/8, p. 766-785, 2008. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/242344293_Competitive_intelligence_A_multiphasic_precedent_to_marketing_strategy. Acesso em: 06 set. 2021.

FACHINELLI, A. C. et al. Inteligência estratégica: desenvolvimento de uma escala para compreensão do construto. REBRAE: Revista Brasileira de Estratégia, v. 6, n. 2, p. 179-191, 2013. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/index.php/REBRAE/article/view/13916/13346. Acesso em: 06 set. 2021.

FERNANDES, F. C. Inteligência e gestão estratégica. Revista Brasileira de Inteligência, Brasília, v. 7, p. 21-30, 2012. Disponível em: https://www.sagres.org.br/artigos/relacao_sinergica.pdf. Acesso em: 06 set. 2021.

FERNANDES, R. C. Privado porém público: o terceiro setor na América Latina. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994.

GUEDES, I. A.; CÂNDIDO, G. A. Modernização administrativa no setor público: utilização de tecnologias de gestão e de informação para o gerenciamento do conhecimento. Gestão.Org., v. 6, n. 2, p. 158-173, 2008. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/gestaoorg/article/view/21621/18314. Acesso em: 06 set. 2021.

HERMAN, M. Intelligence power in peace and war. Cambridge: Cambridge University Press, 1996.

KAHANER, L. Competitive intelligence: how to gather, analyse, and use information to move your business to the top. New York: Simon & Schuter, 1996.

KENT, S. Strategic intelligence for american world policy. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1949.

MARCIAL, E. C. Os desafios do profissional de inteligência: uma atividade em evolução. In: STAREC, C. (org.). Gestão da formação, inovação e inteligência competitiva: como transformar a informação em vantagem competitiva nas organizações. São Paulo: Saraiva, 2012. Cap. 8.

MARCIAL, E.C. Proposta inicial de uma teoria geral de inteligência competitiva. Ciência da Informação, v. 45, n. 3, p. 59-75, 2016. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/4048/3566. Acesso em: 06 set. 2021.

MARCIAL, E.C.;SUAIDEN, E. J. A estrutura científica da inteligência competitiva. Transinformação, v. 28, n. 1, p. 97-106, 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/j/tinf/a/vLMwkzRsktQQnmhYXxG3Htq/?lang=pt. Acesso em: 06 set. 2021.

MACHADO-DA-SILVA, C.L.; CUNHA, V. C.;AMBONI, N. Organizações: o estado da arte da produção acadêmica no Brasil. [S.l: s.n.], 1990. p. 11-28.

MENDES, A.;MARCIAL, E.;FERNANDES, F. Fundamentos da Inteligência Competitiva. Brasília: Thesaurus, 2010.

PELLISSIER, R.;NENZHELELE, T. E. Towards a universal definition of competitive intelligence. South African Journal of Information Management, v. 15, n. 2, p. 559, 2013. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/276199063_Towards_a_universal_definition_of_competitive_intelligence. Acesso em: 06 set. 2021.

PRADO, A. E.; CAMPOS, F. C. Análise bibliométrica 1990-2014: inteligência competitiva. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 23, n. 1, p. 71-88, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pci/a/3JCQbYpBMLfcM3ZGdRgmwcJ/?lang=pt. Acesso em: 06 set. 2021.

RIBEIRO, A. C. M. L.; SANTOS, C. D. Isso não é uma pirâmide: revisando o modelo clássico de dado, informação, conhecimento e sabedoria. Ciência da Informação, v. 49, n. 2, p. 67-87, 2020. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/5066/5247. Acesso em: 06 set. 2021.

RIOS, F. L. C. et al. Inteligência competitiva, empresarial, estratégica ou de negócios? Um olhar a partir da administração de empresas. FACEF Pesquisa, v. 14,p. 28-44, 2011. Disponível em: https://periodicos.unifacef.com.br/index.php/facefpesquisa/article/view/278/269. Acesso em: 06 set. 2021.

SILVA, A. M.;ANDRADE, E. P. Inteligência competitiva e gestão por competência como horizonte de ação para os Núcleos de Inovação Tecnológica em instituições públicas de ciência e tecnologia. In: ENCONTRO DA ANPAD. Anais […] v. 37, 2013. Disponível em: http://www.anpad.org.br/diversos/down_zips/68/2013_EnANPAD_GCT1755.pdf. Acesso em: 06 set. 2021.

SILVA, F. A.;GONÇALVES, C. A. O processo de formulação e implementação de planejamento estratégico em instituições do setor público. Revista de Administração da UFSM, v. 4, n. 3, p. 458-476, 2011. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/2734/273421614010.pdf. Acesso em: 06 set. 2021.

SØILEN, K. S. A place for intelligence studies as a scientific discipline. Journal of Intelligence Studies in Business, v. 5, n. 3, p. 35-46, 2015. Disponível em: https://www.semanticscholar.org/paper/A-place-for-intelligence-studies-as-a-scientific-S%C3%B8ilen/cef2c97d4f2bbf2230f0a78377662e389b2a0fbc. Acesso em: 06 set. 2021.

TARAPANOFF, K. Inteligência, informação e conhecimento. Brasília: IBICT, Unesco, 20016.

VALENTIM, M. L. et al. O processo de inteligência competitiva em organizações. DataGramaZero, v. 4, n. 3, 2003. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/download/44760. Acesso em: 06 set. 2021.

WAGNER, R. B. Can competitive intelligence be effectively applied to public-sector organizations? In: FLEISHER, C.; BLENKHORN, D.L. (Ed.). Controversies in competitive intelligence: the enduring issues. Westport, CT: Praeger, 2003. p. 70-82.

WIGGINS, R.R.;RUEFLI, T. W. Sustained competitive advantage: temporal dynamics and the incidence and persistence of superior economic performance. Organization Science, v. 13, n. 1, p. 81-105, 2002. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/262233408_Sustained_Competitive_Advantage_Temporal_Dynamics_and_the_Incidence_and_Persistence_of_Superior_Economic_Performance. Acesso em: 06 set. 2021.

Downloads

Publicado

2021-09-21

Edição

Seção

Artigos