O ACESSO À INFORMAÇÃO NO IF SUDESTE MG: evoluções e constatações

  • Gislene Gomes de Queiroz Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais - IF Sudeste MG
  • Maria Luiza Firmiano Teixeira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais - IF Sudeste MG
Palavras-chave: Transparência.resultados. melhoria

Resumo

Este trabalho tem por objetivo traçar uma evolução do acesso à informação passivo no âmbito do Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais, tendo em vistas as informações contidas no sistema e-SIC. Observando as evoluções, dificuldades e padrões presentes nos acessos. Além disso, brevemente, aborda-se o acesso ativo e as dificuldades com este âmbito da transparência.

Biografia do Autor

Gislene Gomes de Queiroz, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais - IF Sudeste MG
Possui graduação em Ciências Contábeis pela Universidade Federal de Viçosa (2008). especializada em Gestão Pública pela FIJ (2012). Atualmente é auditora do Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais, ocupando o cargo de Coordenadora Geral de Auditoria Interna. 
Maria Luiza Firmiano Teixeira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais - IF Sudeste MG
Possui graduação em Direito pela Universidade Federal de Juiz de Fora e Especialização em Processo Civil (associação UNIDERP/ANHANGUERA e Instituto Brasileiro de Direito Processual) e em Direito Civil (Anhanguera). Mestre em Direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, na linha Empresa e Atividades Econômicas.Professora do Curso Técnico à distância em Logística do Câmpus Rio Pomba (IF Sudeste MG). Líder do Grupo de Estudos em Propriedade Intelectual (GEPI). Membro do grupo de estudos Tecnologia e Educação à Distância e apoio técnico do Grupo de Pesquisa em Agostinho (UFJF). Instrutora de cursos de Propriedade Intelectual. Advogada. Auditora Interna do IF Sudeste MG.

Referências

BRASIL. MTFC. Relatório de pedidos de acesso à informação e solicitantes: IF Sudeste MG, 2012 a 2017. Disponível em:< https://esic.cgu.gov.br/sistema/Relatorios/Anual/RelatorioAnualPedidos.aspx>. Acesso em: 20 jul. de 2017.


BRASIL. MTFC. Relatório sobre a implementação da lei nº 12.527: Lei de Acesso à Informação. 2015. Disponível em:< http://www.acessoainformacao.gov.br/central-de-conteudo/publicacoes/relatorio_4anos_web.pdf>. Acesso em: 25 jul. de 2017.


BRASIL. MTFC. Relatório de pedidos de acesso à informação e solicitantes: Ministério da Educação, 2012 a 2017. Disponível em:< https://esic.cgu.gov.br/sistema/Relatorios/Anual/RelatorioAnualPedidos.aspx>. Acesso em: 20 jul. de 2017.


OLIVEIRA, A. C. de; JUNIOR, Octavio Cavalari; ZAGANELLI, Margareth Vetis. Um diagnóstico da aplicação da lei de acesso à informação nos portais dos institutos federais de educação, ciência e tecnologia brasileiros. In: Anais do Congresso de Administração, Sociedade e Inovação - CASI 2016. Anais. Juiz de Fora (MG) UFJF, 2017. Disponível em: . Acesso em: 25 jul. de 2017.


MONTEIRO, A. Aferição do grau de cumprimento às obrigações de transparência ativa constantes da Lei de Acesso à Informação por Universidades Federais do Brasil. 2014. 68 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Administração Pública). Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 2014.


RODRIGUES, G. M.. Indicadores de “transparência ativa” em instituições públicas: análise dos portais de universidades públicas federais. Disponível em:< Disponível em:< http://revista.ibict.br/liinc/article/viewFile/3474/3013
>. Acesso em: 25 jul. de 2017>. Acesso em: 25 jul. de 2017.


SOUZA, M.; JACINTHO, J.. O acesso à informação como pressuposto da cidadania no estado democrático de direito. IN: REZENDE, B.; RODRIGUES, H.. Anais do CONPEDI – Florianópolis. 2016, p. 337-352. Disponível em: < https://www.conpedi.org.br/publicacoes/y0ii48h0/5ccav186/MX062SHHP9UNl6KC.pdf>. Acesso em: 30 jul. 2017.
Publicado
2018-03-19
Edição
Seção
Artigos