v. 2 n. 1 (2021): Dossiê - Outras vidas contra o espetáculo: o animal, a planta, a máquina e o alien (jan/jun 2021)
Dossiê especial

Gaia e Ctônia

Giorgio Agamben
Università Iuav di Venezia, Veneza, Itália
Andityas Soares de Moura Costa Matos
Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasil
Biografia

Publicado 25-08-2021

Como Citar

AGAMBEN, G.; MATOS, A. S. de M. C. Gaia e Ctônia. (Des)troços: revista de pensamento radical, Belo Horizonte, v. 2, n. 1, p. 83–87, 2021. DOI: 10.53981/destroos.v2i1.33054. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistadestrocos/article/view/33054. Acesso em: 25 jun. 2024.

Resumo

Neste breve e denso ensaio, o filósofo italiano compara duas dimensões da terra conforme pensadas originalmente pelos gregos, a superfície onde tudo floresce, personificada na deusa Gaia, e os misteriosos subterrâneos compreendidos sob o signo de Ctônia. Contudo, mais do que uma reflexão estratigráfica, com o presente texto Agamben pretende indicar a inseparabilidade da esfera dos mortos em relação àquela dos vivos, concluindo que uma sociedade que, como a nossa, rompeu seus laços com Ctônia, na realidade cria para si uma dimensão em que a vida se torna impossível, assim como a política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

  1. AGAMBEN, Giorgio. Gaia e Ctonia. Quodlibet, 2020. Disponível em: https://www.quodlibet.it/giorgio-agamben-gaia-e-ctonia. Acesso em: 25 ago. 2021.