Ir para o menu de navegação principal Ir para o conteúdo principal Ir para o rodapé

Artigos

v. 2 n. 1 (2021): Dossiê - Outras vidas contra o espetáculo: o animal, a planta, a máquina e o alien

O filósofo e a pandemia um ano depois: entre uma epidemia inventada e a controversa defesa da vida

DOI
https://doi.org/10.53981/destroos.v2i1.34167
Enviado
maio 24, 2021
Publicado
2021-08-25

Resumo

Escrevendo desde muito cedo sobre a pandemia que assola o mundo desde o início de 2020, bem como sobre os seus efeitos éticos e políticos, o filósofo italiano Giorgio Agamben colocou o seu nome no centro de uma polêmica internacional. Troços por ele arremessados atingiram em cheio gente desavisada com pouca visão, mas também gente com indignação experimentada e genuína. Compreendemos que o filósofo está entre o engodo de uma epidemia supostamente inventada e uma controversa defesa da vida e dos elementos que a tornam digna de ser vivida. Procuramos nas páginas que se seguem oferecer alguma inteligibilidade a respeito das ideias que se destacam no conjunto de publicações lançadas ao longo dos meses cruzando-as com o modo de produzir e com algumas das teses mais relevantes do seu projeto filosófico, organizando o texto em torno de quatro eixos principais: a defesa da vida e da liberdade, o uso do estado de exceção como técnica de domínio, a definitiva medicalização da vida contemporânea e o perecimento das relações humanas com a consequente impossibilidade da política.

Downloads

Não há dados estatísticos.