v. 4 n. 2 (2023): Dossiê - Corporeidades e subjetividades queer (jul/dez 2023)
Dossiê especial

Da “testo” ao texto: a escrita química de Paul B. Preciado e a potência do termo transidentidade

Alinne Nogueira Silva Coppus
Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, Brasil
Biografia
Lorena Loures
Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
Biografia

Publicado 12-03-2024

Palavras-chave

  • transidentidade,
  • escrita,
  • corpo,
  • psicanálise

Como Citar

COPPUS, A. N. S.; LOURES, L. Da “testo” ao texto: a escrita química de Paul B. Preciado e a potência do termo transidentidade. (Des)troços: revista de pensamento radical, Belo Horizonte, v. 4, n. 2, p. e48625, 2024. DOI: 10.53981/destroos.v4i2.48625. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistadestrocos/article/view/48625. Acesso em: 28 maio. 2024.

Resumo

As dissidências de gênero materializam uma subversão pós-moderna dos termos da identidade e da identificação, as quais ganham uma conotação simbólica dado o lugar fulcral do identitarismo no laço contemporâneo, devendo ser lidas como formas autênticas de conhecimento. O objetivo deste artigo é problematizar a concepção do eu em psicanálise a partir do que aprendemos com as transidentidades. Para tanto, 1) faz-se uma leitura da identidade à guisa da descrição freudiana do eu e de sua releitura lacaniana; 2) aborda-se a escrita química de Preciado, bem como o caráter simbólico de seus usos do corpo e da testosterona no laço contemporâneo; 3) diferencia-se transgeneridade e transidentidade, defendendo-se o uso do segundo termo. O referencial teórico deste artigo, que resulta de um levantamento e análise bibliográficos partindo do binômio corpo e transidentidade, é a teoria psicanalítica que afirma o eu como projeção de superfície e a experiência de Preciado em Testo Junkie. Consideramos o descompasso estrutural entre corpo e imagem enquanto oportunidade de modelagem de novos significados e apropriações do corpo, partindo da singularidade dos processos identificatórios e para além da fixação derradeira em uma identidade, tal como nos demonstra o filósofo. Por fim, sustentamos o legado ético do psicanalista no testemunho das novas montagens corporais.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

  1. AGAMBEN, Giorgio. O uso dos corpos. Trad. Selvino J. Assmann. São Paulo: Boitempo, 2017.
  2. AYOUCH, Thamy. Quem tem medo dos saberes T.? Psicanálise, estudos transgêneros, saberes situados. Revista Periódicus. Salvador, n. 5, v. 1, pp. 3-6, maio/out. 2016. DOI: https://doi.org/10.9771/peri.v1i5.17171
  3. BHABHA, Homi K. Interrogando a identidade. Tradução: Myriam Ávila Eliana Lourenço de Lima Reis Gláucia Renate Gonçalves. In: BHABHA, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: UFMG, 1998. pp. 70-104.
  4. BURITY Joanilton. Psicanálise, identificação e a formação de atores coletivos. Recife: INPSO-FUNDAJ, Instituto de Pesquisas Sociais-Fundacao Joaquim Nabuco Editorial/Editor, 1997.
  5. BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Trad. Renata Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.
  6. BUTLER, Judith. (1993) Corpos que importam: os limites discursivos do sexo. Trad. Veronica Daminelli e Daniel Yago Françoli. São Paulo, n-1, 2019.
  7. CAVALHEIRO, Rafael; POMBO, Mariana; TRISKA, Vitor Hugo. No divã de Paul B. Preciado: psicanálise e des(obediência) epistêmica. Estudos e pesquisas em psicologia, Rio de Janeiro, v. 22, pp. 1393-1413, 2022. DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2022.71644
  8. CUNHA, Eduardo Leal. O que aprender com as transidentidades: psicanálise, gênero e política. Porto Alegre: Criação Humana, 2021.
  9. CUNHA, Eduardo Leal. A multidão das dissidências de gênero e a clínica psicanalítica. In: Tempo Psicanalítico, Rio de Janeiro, v. 54, n. 2, pp. 161-180, 2022.
  10. CUNHA, Eduardo Leal. Apresentação: quanto vale um *? In: HALBERSTAM, Jack. Trans: uma abordagem curta e curiosa sobre a variabilidade de gênero, Trad. Daniel Kveller, Rafael Leopoldo, Salvador: Derives, 2023.
  11. FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. 8. ed. Trad. Luiz Felipe Baeta Neves. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.
  12. FREUD, Sigmund. Estudos sobre a Histeria. In: FREUD, Sigmund. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1996. v. 2.
  13. FREUD, Sigmund. Interpretação dos sonhos. In: FREUD, Sigmund. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1996. v. 5.
  14. FREUD, Sigmund. Introdução ao Narcisismo. In: FREUD, Sigmund. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1996. v. 14.
  15. FREUD, Sigmund. Psicologia das Massas e análise do Eu. In: FREUD, Sigmund. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1996. v. 15.
  16. FREUD, Sigmund. O eu e o isso. In: FREUD, Sigmund. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1996. v. 19.
  17. FREUD, Sigmund. Dissolução do Complexo de édipo. In: FREUD, Sigmund. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1996. v. 19.
  18. FREUD, Sigmund. O Mal-estar na civilização. In: FREUD, Sigmund. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1996. v. 21.
  19. GARCIA, Carla Cristina. O que viu Tirésias: A identidade transexual na obra de Virginia Woolf. Revista de psicologia da UNESP, São Paulo, v. 11, n. 1, pp. 44- 52, 2012.
  20. HALBERSTAM, Jack. Trans*: uma abordagem curta e curiosa sobre a variabilidade de gênero. Trad. Daniel Kveller, Rafael Leopoldo. Salvador: Derives, 2023.
  21. HALL, Stuart. Raça, o Significante Flutuante. Trad. Liv Sovik, em colaboração com Katia Santos. Revista Z cultural. Rio de Janeiro, ano 8, n. 2, 2023. Conferência proferida de 1995.
  22. LACAN, Jacques. A agressividade em psicanálise. In: LACAN, Jacques. Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1998. pp. 104- 125.
  23. LACAN, Jacques. O Estádio do espelho como formador da função do eu. In: LACAN, Jacques. Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1998. p. 96- 103.
  24. LACAN, Jacques. O Seminário: Livro 1: Os escritos técnicos de Freud. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1986.
  25. LACAN, Jacques. O Seminário: Livro 2: O eu na teoria de Freud e na técnica da psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1985.
  26. LACAN, Jacques. O Seminário: Livro 8: A transferência. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1992.
  27. LACAN, Jacques. O Seminário: Livro 10: A Angústia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2005.
  28. LACAN, Jacques. O Seminário: Livro 11: Os quatro conceitos fundamentais da psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1986.
  29. LACAN Jacques. O Seminário: Livro 23: O Sinthoma. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2007.
  30. LATTANZIO, Felippe Figueiredo, RIBEIRO, Paulo de Carvalho. Nascimento e primeiros desenvolvimentos do conceito de gênero. Psicologia Clínica, Rio de Janeiro, v. 30, n. 3, pp. 409-425, set./dez. 2018. DOI: https://dx.doi.org/10.33208/PC1980-5438v0030n03A01.
  31. LEAL, Dodi Tavares Borges. Fabulações travestis sobre o fim. Conceição/Conception, [S. l.], v. 10, n. 00, pp. 1-19, 2021. DOI: 10.20396/conce.v10i00.8664035. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conce/article/view/8664035. Acesso em: 28 out. 2023. DOI: https://doi.org/10.20396/conce.v10i00.8664035
  32. LEMMA, Alessandra.Trans-itory identities: some psychoanalytic reflections on transgender identities. The International Journal of Psychoanalysis, v. 99, n. 5, pp. 1089-1106, 2018. DOI: https://doi.org/10.1080/00207578.2018.1489710
  33. MILLER, Jacques-Alain. Docile au trans. Lacan Quotidien: Paris, n. 928, pp. 3-18, 2021.
  34. PRECIADO, Beatriz Paul. Je suis un monstre qui vous parle. 1. ed. Paris: Grasset & Fasquelle, 2020.
  35. PRECIADO, Beatriz Paul. Testo Junkie. 1. ed. Trad. Maria Paula Gurgel Ribeiro. São Paulo: n-1, 2018.
  36. ROSA, Miriam Debieux. A psicanálise frente à questão da identidade. In: ENCONTRO NACIONAL DE PSICOLOGIA SOCIAL, 9, 1997. Anais [...] Belo Horizonte: Associação Brasileira de Psicologia Social (ABRAPSO), 1997. Disponível em: https://psicanalisepolitica.files.wordpress.com/2014/06/a-psicanc3a1lise-frente-c3a0-questc3a3o-da-identidade.pdf . Acesso em: 28 out. 2023.
  37. ROUDINESCO, Elisabeth. O Eu soberano: ensaios sobre as derivas identitárias. Trad. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2022.
  38. RIVERA, Tânia. Identidade na psicanálise. Revista Cult, São Paulo, 24 set. 2020. Disponível em: https://revistacult.uol.com.br/home/por-uma-psicanalise-favor-da-identidade/. Acesso em: Acesso em: 28 out. 2023.
  39. SANTOS, Camila; MENEGOTTO, Lisiane. A razão/desrazão no alienista: um ensaio em literatura e psicanálise. Revista da Sociedade de Psicologia do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, v. 9, n. 1, pp. 77-83, 2020. DOI: https://doi.org/10.29327/217869.9.2-12
  40. SEGATO, Rita. Crítica da colonialidade em oito ensaios: e uma antropologia por demanda. São Paulo: Boitempo, 2021.
  41. SOARES, Douglas et.al. La obra el manifiesto contrasexual en el ideal del feminismo moderno. Revista Missioneira, Santo Ângelo, v. 22, n. 1, pp. 4-22, 2020. DOI: https://doi.org/10.31512/missioneira.v22i1.220
  42. SOLER, C. Um Outro Narciso. São Paulo: Aller, 2021.
  43. THIBIERGE, Stéphane. Corpo e identidade: questões de psicopatologia individual e coletiva. Ágora: estudos em teoria psicanalítica, Rio de Janeiro, v. 18, n. 2, pp. 211-224, jul./dez. 2015. DOI: https://doi.org/10.1590/S1516-14982015000200004