v. 4 n. 2 (2023): Dossiê - Corporeidades e subjetividades queer (jul/dez 2023)
Dossiê especial

Salmo queer: linguagem e multiplicidade do gênero

Geraldo Lucas Lopes Ferreira
Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasil
Biografia

Publicado 29-03-2024

Palavras-chave

  • queer,
  • linguagem,
  • multiplicidade do gênero,
  • poder

Como Citar

FERREIRA, G. L. L. Salmo queer: linguagem e multiplicidade do gênero. (Des)troços: revista de pensamento radical, Belo Horizonte, v. 4, n. 2, p. e48633, 2024. DOI: 10.53981/destroos.v4i2.48633. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistadestrocos/article/view/48633. Acesso em: 28 maio. 2024.

Resumo

Este artigo tem como objetivo investigar a influência das perspectivas queer nas discussões sobre gênero, sexualidade e linguagem. Partindo da premissa de que esses conceitos vêm sendo alvo de campanhas ideológicas de normalização de corpos pelo Direito, os estudos críticos queer surgem enquanto campo de pesquisa que visa desestabilizar as estruturas de poder baseadas na cisheteronormatividade. Diante desse cenário, a linguagem se apresenta como importante meio de formação das identidades de gênero tradicionais, mas também como um caminho para a multiplicidade das categorias binárias de gênero. Para abordar esse tema, emprega-se uma estratégia metodológica de revisão bibliográfica focada nos estudos queer e na influência da linguagem, a partir das contribuições dos pensadores Michel Foucault, Paul Preciado, Judith Butler e Monique Wittig. Conclui-se que as perspectivas queer, quando aplicadas à linguagem, podem se transformar em uma ferramenta poderosa para desconstruir o binarismo de gênero.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

  1. AUSTIN, John Langshaw. Quando dizer é fazer. Trad. Danilo Marcondes de Souza Filho. Porto Alegre: Artes Médicas, 1990.
  2. BAHIA, Alexandre Gustavo Melo Franco de Moraes. Sobre a (in)capacidade do direito de lidar com a gramática da diversidade de gênero. Revista Jurídica da Presidência, Brasília, v. 18, n. 16, pp. 481-506, jan. 2017. DOI: https://doi.org/10.20499/2236-3645.RJP2017v18e116-1465
  3. BEAUVOIR, Simone. O segundo sexo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.
  4. BENTO, Berenice. A reinvenção do corpo: sexualidade e gênero na experiência transexual. Rio de Janeiro: Garamond, 2006.
  5. BORBA, Rodrigo. Linguística queer: uma perspectiva pós-identitária para os estudos da linguagem. Revista Entrelinhas, São Leopoldo, v. 9, n. 1, pp. 91-107, out. 2015.
  6. BOURCIER, Sam. Cinquante nuances de genres (et de sexes) ou plus? Les genres en action: entre karaoké de la différencesexuelle et politiquesmultisexgenrées. In: LEDUC, Guyonne. Comment faire des études-genres avec de la littérature. Paris: L’harmattan, 2014. pp. 1–20.
  7. BUTLER, Judith. Cuerpos que importan: sobre los limites materiales y discursivos del “sexo”. Buenos Aires: Paidós, 2002.
  8. BUTLER, Judith. Diagnosticando o gênero. Trad. André Rios. Revisão Técnica Márcia Arán. Physis Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 19, n. 1, pp. 95-126, 2009. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-73312009000100006
  9. BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Trad. Renato Aguiar. 17. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2019.
  10. CARRLILLO, Jesús. Entrevista com Beatriz Preciado. Cadernos Pagu, Campinas, s/v, n. 28, pp. 375-405, jan./jun. 2007. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-83332007000100016
  11. COHEN, Stanley. Folk Devils and Moral Panics: The Creation of Mods and Rockers. London: Harper Collins, 1972.
  12. de Janeiro: Graal, 1979.
  13. DE LAURETIS, Teresa. Queer Theory: Lesbian and Gay Sexualities - An Introduction. Differences: A Journal of Feminist Cultural Studies, Durham, v. 3, n. 2, jul. 1991. DOI: https://doi.org/10.1215/10407391-3-2-iii
  14. DERRIDA, Jacques. Assinatura Acontecimento Contexto. In: DERRIDA, Jacques. Margens da Filosofia. Trad. Joaquim Torres Costa; Antônio M. Magalhães. Campinas: Papirus, 1991. pp. 349-373.
  15. FAUSTO-STERLING, Anne. Dualismos em duelo. Cadernos Pagu, Campinas, s/v, n. 17-18, pp. 9-79, mar. 2001. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-83332002000100002
  16. FERREIRA, Geraldo Lucas Lopes. Mesa de operações: o Direito à autodeterminação de corpos intersexo sob uma perspectiva queer antinormalizadora. In: ZINI, João Felipe; RAMOS, Marcelo Maciel; NICOLI, Pedro A. Gravatá (orgs.). Reflexões e reinvenções em gênero e sexualidade: identidades, preocupações e cuidado num contexto político e sanitário adverso. Belo Horizonte: Dialética, 2023. pp. 71-91.
  17. FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade I: a vontade de saber. Trad. Maria Thereza da Costa Albuquerque; J. A. Guilhon Albuquerque. 2. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1988.
  18. FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Trad. Roberto Machado. 1. ed. Rio
  19. GAMA, Maria Clara Brito da. Cura Gay? Debates parlamentares sobre a (des)patologização da homossexualidade. Sexualidad, Salud y Sociedad - Revista Latinoamericana, s/v, n. 3, pp. 4-27, apr. 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/1984-6487.sess.2019.31.02.a
  20. KRISTEVA, Julia. Powers of horror: an essay on abjection. New York: Columbia UP, 1982.
  21. LOPES, Laís Godoi. Corpos e práticas da pessoalidade: a emergência e a desconstrução da identidade de gênero. 2014. Dissertação (Mestrado em Direito) – Faculdade de Direito, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2014.
  22. LOURO, Guacira Lopes. Gênero e sexualidade: pedagogias contemporâneas. Proposições, Campinas, v. 19, n. 2 (56), pp. 17-23, mai./ago. 2008. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-73072008000200003
  23. LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2001.
  24. LOURO, Guacira Lopes. O corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.
  25. MISKOLCI, Richard. A teoria queer e a sociologia: o desafio de uma analítica da normalização. Dossiê Sociologias, Porto Alegre, ano 11, n. 21, jan./jun. 2009. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-45222009000100008
  26. MISKOLCI, Richard. Pânicos morais e controle social: reflexões sobre o casamento gay. Cadernos Pagu, Campinas, s/v, n. 28, pp. 101-128, abr. 2007. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-83332007000100006
  27. MISKOLCI, Richard. Teoria queer: um aprendizado pelas diferenças. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.
  28. PRECIADO, Beatriz. Multidões queer: notas para uma política dos ‘anormais’. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 19, n. 1, pp. 11–20, jan/abr. 2011. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-026X2011000100002
  29. PRECIADO, Paul. Manifesto contrassexual: práticas subversivas de identidade sexual. Trad. Maria Paula Gurgel Ribeiro. São Paulo: n-1, 2017.
  30. RAMOS, Marcelo Maciel. Teorias feministas e teorias queer do direito: gênero e sexualidade como categorias úteis para a crítica jurídica. Revista Direito e Práxis, Rio de Janeiro, v. 12, n. 3, pp. 1679-1710, set. 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/2179-8966/2020/50776
  31. RUBIN, Gayle. Políticas do sexo. Trad. Jamille Pinheiro Dias. São Paulo: Ubu, 2017.
  32. SEIDMAN, Steven. Queer Theory/Sociology. Malden: Blackwell, 1996.
  33. SPARGO, Tamsin. Foucault e a teoria queer: seguindo de Ágape e êxtase: orientações pós-seculares. Trad. Heci Regina Candiani. In: MISKOLCI. Richard. Estranhando Foucault: uma releitura queer de História da sexualidade I. 1. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.
  34. STANCIOLI, Brunello. Corpo, Informação e tecnociências: a manipulação da plataforma empírica dos direitos fundamentais. In: DOMINGUES, Ivan (org.). Biotecnologias e regulações: desafios contemporâneos. Belo Horizonte: UFMG, 2018, pp. 309-322.
  35. STOLLER, Robert. Sex and gender: the development of masculinity and femininity. New York: Science House, 1968.
  36. TAYLOR, Charles. The ethics of authenticity. Cambridge: Harvard University Press, 1991.
  37. TORRES, Igor Leonardo de Santana; FERNANDES, Felipe Bruno Martins. Desidentificação crítica ou notas sobre uma estética das multiplicidades: do materialismo lésbico de Wittig às suas interpretações queer. Revista Ártemis, João Pessoa, v. 35, n. 1, pp. 151-167, jan-jun, 2023.
  38. WITTIG, Monique. O pensamento hétero e outros ensaios. Trad. Maíra Mendes Galvão. 1. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2022.
  39. WITTIG, Monique. The mark of Gender. Feminist Issues, v. 5, s/n, pp. 3-12, 1985. DOI: https://doi.org/10.1007/BF02685575