AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM PREJUÍZOS DE APRENDIZAGEM EM AMBULATÓRIO HOSPITALAR ESPECIALIZADO

RELATO DE PROJETO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

Autores

Palavras-chave:

Psicologia, Aprendizagem, Desenvolvimento

Resumo

A aprendizagem é um processo complexo e depende de uma variedade de fatores. Seu sucesso vincula-se à relação de um conjunto de elementos cognitivos, psicossociais, culturais, emocionais e físicos de cada indivíduo. Portanto, é um fenômeno que deve ser compreendido por uma perspectiva interdisciplinar, visando, dessa maneira, a busca de estratégias de intervenção eficazes, planejadas por profissionais de diferentes áreas. O projeto de extensão intitulado “Avaliação Psicológica de Crianças e Adolescentes com Prejuízos de Aprendizagem” objetiva realizar a avaliação psicológica de infantes da rede de saúde pública de Porto Alegre e regiões próximas, que chegam ao ambulatório hospitalar especializado do Hospital da Criança Santo Antônio (HCSA), com demandas diversas relacionadas a problemas de aprendizagem. Os resultados obtidos a partir do levantamento de laudos derivados das avaliações psicológicas realizadas entre o período de março de 2017 a setembro de 2019 demonstraram, especialmente, uma diversidade de fatores de vulnerabilidade encontrados no histórico dos pacientes. Além disso, o projeto oportunizou um importante momento de aprendizado ao colocar o bolsista junto às outras áreas do conhecimento, como psicopedagogia, fonoaudiologia e pediatria que atuam no ambulatório de multiespecialidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arthur Aires, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre

Universidade Federal de Ciências da Saúde-UFCSPA- Porto Alegre- Rio Grande do Sul-Brasil
Aluno Egresso do Curso de Psicologia

Letícia Pacheco Ribas, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre

Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre-UFCSPA- Porto Alegre- Rio Grande do Sul-Brasil
Professora Adjunta – Departamento de Fonoaudiologia

Francisco Scornavacca, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre

Universidade Federal de Ciências da Saúde-UFCSPA- Porto Alegre- Rio Grande do Sul-Brasil
Professor Adjunto – Departamento de Pediatria

Ricardo Sukiennik, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre

Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre-UFCSPA- Porto Alegre- Rio Grande do Sul-Brasil
Professor Adjunto – Departamento de Pediatria

Gabriela Peretti Wagner, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre

Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre-UFCSPA- Porto Alegre- Rio Grande do Sul-Brasil
Professora Adjunta – Departamento de Psicologia
Professora Coordenadora do Projeto de Extensão

Referências

Ali, S. S. (2013). A brief review of risk-factors for growth and developmental delay among preschool children in developing countries. Advanced biomedical research, 91 (2). doi: 10.4103/2277-9175.122523.

Araújo, M. F. (2007). Estratégias de diagnóstico e avaliação psicológica. Psicologia: teoria e prática, 9(2), 126-141.

Brasil. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Sistema de Avaliação da Educação Básica - SAEB 2017. http://portal.mec.gov.br/ultimas-noticias/389-ensino-medio-2092297298/68271-apenas-1-6-dos-estudantes-do-ensino-medio-tem-niveis-de-aprendizagem-adequados-em-portugues.

Cavalcanti, L. S. (2005). Cotidiano, mediação pedagógica e formação de conceitos: uma contribuição de Vygotsky ao ensino de geografia. Cadernos CEDES, 25(66), 185-207. doi: 10.1590/S0101-32622005000200004

Fonseca, Paz. R, Salles, Jerusa F. & Parente, Mattos M. A. P. (2009). Coleção Neupsilin: Instrumento de Avaliação Neuropsicológica Breve. (1ª ed). Vetor.

Fortes, I. S. (2014). Prevalência de transtornos específicos de aprendizagem e sua associação com transtornos mentais da infância e adolescência do Estudo Epidemiológico de Saúde Mental do Escolar Brasileiro - INPD. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo, São Paulo. doi:10.11606/D.5.2015.tde-11052015-144445.

Halpern, R., & Figueiras, A. C. M.. (2004). Influências ambientais na saúde mental da criança. Jornal de Pediatria, 80 (2, Supl.), 104-110. https://doi.org/10.1590/S0021-75572004000300013

Hutz, C. S.; Bandeira, D. R.; Trentini, C. M. & Krug, J. S. (Orgs.) (2016). Psicodiagnóstico. Porto Alegre: Artmed.

Linhares, M. B. M. & Martins, C. B. S. (2015). O processo da autorregulação no desenvolvimento de crianças. Estudos de Psicologia (Campinas), 32(2), 281-293.doi:10.1590/0103-166X2015000200012

Milnitsky, Lilian, Giacomoni, Claudia Hofheinz & Fonseca, Rochele Paz (2019).TDE II - Teste de Desempenho Escolar (2 ed). Vetor.

Ministério da Educação (2019). Indicadores Educacionais. http://portal.inep.gov.br/web/guest/indicadores-educacionais.

Ministério da Saúde (2020). Rede de Atenção Psicossocial (RAPS). https://www.saude.gov.br/acoes-e-programas/rede-de-atencao-psicossocial-raps.

Moojen, S. (2004). Diagnósticos em Psicopedagogia. Revista Psicopedagogia, 21(66), 245-255.

Moreira, G. R. & Cotrin, J. T. D. (2016). Queixa escolar e atendimento psicológico na rede de saúde: contribuições para debate. Psicologia Escolar e Educacional, 20(1), 117-126. doi:10.1590/2175-353920150201938

Nobre, J. N. P; Santos, J. N.; Santos, L. R.; Guedes, S. C.; Pereira, L.; Costa, J. M.; Morais, R. L. S. (2019) Fatores determinantes no tempo de tela de crianças na primeira infância.. Cien Saude Colet [periódico na internet] (2019/Ago). http://www.cienciaesaudecoletiva.com.br/artigos/fatores-determinantes-no-tempo-de-tela-de-criancas-na-primeira-infancia/17321?id=17321.

Oliveira, C. R.; Rodrigues, J. C.; Fonseca, R. P. (2009). O uso de instrumentos neuropsicológicos na avaliação de dificuldades de aprendizagem. Revista de Psicopedagogia, 26 (79), 65-76.

Paiva, N. M. S. & COSTA, J. S. (2015). A influência da Tecnologia na Infância: Desenvolvimento ou Ameaça? Psicologia.pt. O portal dos Psicólogos. https://www.psicologia.pt/artigos/textos/A0839.pdf.

Piccolo, L. da R.; Arteche, A. X.; Fonseca, R. P. ; Grassi-Oliveira, R.; Salles, J. F. (2016). Influence of family socioeconomic status on IQ, language, memory and executive functions of Brazilian children. Psicologia: Reflexão e Crítica, 23 (29). doi: 10.1186/s41155-016-0016-x.

Prati, L. E.; Couto, M. C. P. de P.; Koller, S. H. (2009). Famílias em Vulnerabilidade Social: Rastreamento de Termos Utilizados por Terapeutas de Família. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 25(3), 403-408.

Resolução do Conselho Federal de Psicologia, n. 9, de 25 de abril de 2018. Estabelece diretrizes para a realização de Avaliação Psicológica no exercício profissional da psicóloga e do psicólogo, regulamenta o Sistema de Avaliação de Testes Psicológicos - SATEPSI e revoga as Resoluções n° 002/2003, nº 006/2004 e n° 005/2012 e Notas Técnicas n° 01/2017 e 02/2017. http://satepsi.cfp.org.br/docs/Resolu%C3%A7%C3%A3o-CFP-n%C2%BA-09-2018-com-anexo.pdf.

Resolução do Conselho Federal de Psicologia, n. 6, de 29 de março de 2019. Institui regras para a elaboração de documentos escritos produzidos pela(o) psicóloga(o) no exercício profissional e revoga a Resolução CFP nº 15/1996, a Resolução CFP nº 07/2003 e a Resolução CFP nº 04/2019. http://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/69440957/do1-

-04-01-resolucao-n-6-de-29-de-marco-de-2019-69440920.

Salles, J. F., Fonseca, R.P., Parente, M. A. M. P., Cruz-Rodrigues, C., Mello, C. B., Barbosa, T., & Miranda, M. C. (2016). Coleção Neupsilin-INF: Instrumento de Avaliação Neuropsicológica Breve Infantil. Vetor.146

Sameroff, A. (2009). The transactional model. In: A. Sameroff (Ed.), The transactional model of development: How children and contexts shape each other (pp. 3–21). American Psychological Association. doi: 10.1037/11877-001.

Sameroff, A. (2010). Dynamic developmental systems: Chaos and order. In: G. W. Evans & T. D. Wachs (Eds.), Decade of behavior (science conference). Chaos and its influence on children’s development: An ecological perspective (pp. 255–264). American Psychological Association. doi: 10.1037/12057-016.

Soares, M. R. Z., Souza, S. R. & Marinho, M. L.. (2004). Envolvimento dos pais: incentivo à habilidade de estudo em crianças. Estudos de Psicologia (Campinas), 21(3), 253-260. https://doi.org/10.1590/S0103-166X2004000300009.

Tabile, A. F. & Jacometo, M. C. D. (2017). Fatores influenciadores no processo de aprendizagem: um estudo de caso. Revista Psicopedagogia, 34(103), 75-86.

Trentini, C. M., Y., Denise B. & H., Stumpf, V., (2014). WASI – Escala Wechsler Abreviada de Inteligência. Casa do Psicólogo.

Vygotsky, L. S. (1989). A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes.

World Health Organization (2019). Guidelines on physical activity, sedentary behaviour and sleep for children under 5 years of age. https://apps.who.int/iris/handle/10665/311664.

Publicado

2021-12-31

Como Citar

AIRES, A.; RIBAS, L. P. .; SCORNAVACCA, F. .; SUKIENNIK, R. .; PERETTI WAGNER, G. . AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES COM PREJUÍZOS DE APRENDIZAGEM EM AMBULATÓRIO HOSPITALAR ESPECIALIZADO: RELATO DE PROJETO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Interfaces - Revista de Extensão da UFMG, [S. l.], v. 9, n. 2, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistainterfaces/article/view/24221. Acesso em: 27 jan. 2022.

Edição

Seção

Artigos