EXTENSÃO E COMUNICAÇÃO

A PERCEPÇÃO DE INTEGRANTES DE PROJETOS DA ZONA SUL FRENTE ATUAÇÃO NÃO PRESENCIAL NA PANDEMIA DA COVID-19

Autores

  • Michele Mandagara de Oliveira Universidade Federal de Pelotas
  • Giulia Oliveira Ribeiro Universidade Federal de Pelotas
  • Milena Quadro Nunes Universidade Federal de Pelotas
  • Gabriel Moura Pereira
  • Felipe Fehlberg Herrmann Universidade Federal de Pelotas
  • Aline de Castro e Kaster Universidade Federal de Pelotas

Palavras-chave:

Saúde, Comunidade, Pandemia de COVID-19, Projeto de extensão

Resumo

A pandemia da Covid-19 acarretou a alteração de diversas atividades do dia a dia da população, as quais podemser observadas em diferentes momentos e locais, incluindo as realizadas em meio acadêmico. Com isto, faz-se necessário a busca por diferentes maneiras de atuar e desenvolver atividades adaptadas e remodeladas a este momento a fim de que as atividades acadêmicas possam continuar sendo realizadas. Este texto tem por objetivo descrever a experiência de integrantes de dois projetos de extensão da carreira de Enfermagem da Universidade Federal de Pelotas e sua percepção sobre as atividades desenvolvidas em um momento atípico em que a distância social é imprescindível.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Michele Mandagara de Oliveira, Universidade Federal de Pelotas

Doutorado em Enfermagem em Saúde Pública (USP). Docente na Faculdade de Enfermagem na Universidade Federal de Pelotas (UFPel)/Departamento de Enfermagem em Saúde Coletiva. Coordenadora dos projetos de extensão Barraca da Saúde: cuidado interdisciplinar com as comunidades da zona sul e Comunica Saúde.

Giulia Oliveira Ribeiro, Universidade Federal de Pelotas

Acadêmica de Enfermagem do oitavo semestre da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Bolsista do Projeto de Extensão Comunica Saúde.

Milena Quadro Nunes, Universidade Federal de Pelotas

Acadêmica de Enfermagem do quinto semestre da Universidade Federal de Pelotas(UFPel). Bolsista do Projeto de Extensão Barraca da Saúde: cuidado interdisciplinar com as comunidades da zona sul

Gabriel Moura Pereira

Graduado em Enfermagem pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e mestrando no Programa de Pós Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Coordenador discente do projeto de extensão Barraca da Saúde: cuidado interdisciplinar com as comunidades da zona sul.

Felipe Fehlberg Herrmann, Universidade Federal de Pelotas

Docente na Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Pelotas (UFPel)/ Departamento de Nutrição. Doutorado em Engenharia de Produção e Sistemas (UNISINOS). Coordenador adjunto do Projeto de Extensão Barraca da Saúde: cuidado interdisciplinar com as comunidades da zona sul.

Aline de Castro e Kaster, Universidade Federal de Pelotas

Docente no Centro de Letras e Comunicação da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Discente de mestrado pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Coordenadora Adjunta do projeto de extensão Comunica saúde.

Referências

Azevedo, A. B.; Pezzato, L. M.; Mendes, R. (2017). Formação interdisciplinar em saúde e práticas coletivas. Saúde Debate, 41(113), 647-657. Recuperado em 15 setembro, 2020:, de https://www.scielosp.org/article/sdeb/2017.v41n113/647-657/pt/#.

Brasil, Ministério da Saúde (2000). Sistema Único de Saúde (SUS): princípios e conquistas. Brasília: Ministério da Saúde. 44p. Recuperado em 10 julho, 2020, de https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/sus_principios.pdf.

Cavalcante B. L. L., Lima U. T. S (2012). Relato de experiência de uma estudante de Enfermagem em um consultório especializado em tratamento de feridas. Journal of Nursing and Health, Pelotas, 1(2) 94-103. Disponível em: https://perio dicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/enfermagem/article/view/3447/2832.

Chubaci, R.Y.S.; Fraga, I.M. (2013). As motivações para o autocuidado dos docen tes de uma universidade pública: um enfoque da fenomenologia social. Revista Kairós, 16(2), 167-190. Recuperado em 14 julho, 2020, de https://revistas.pucsp.br/kairos/article/view/17638/13137.

Ferretti, F.; Gris, A.; Mattiello, D.; Teo, C.R.P.A.; Sá, T.C. (2014). Impacto de programa de educação em saúde no conhecimento de idosos sobre doenças cardiovas culares. Revista Salud Pública, 16(6), 807-820. Recuperado em 13 agosto, 2021, de: pt (scielosp.org).

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2010). Censo Demográfico 2010: Características gerais da população, religião e pessoas com deficiência. Rio de Janeiro, p.1-215. Recuperado em 10 julho, 2020, de: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/94/cd_2010_religiao_deficiencia.pdf.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2020). Acesso à internet e à tele visão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal 2018. Rio de Janeiro: IBGE, 12 p. Recuperado em 07 agosto, 2020, de: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101705_informativo.pdf.

Johnson, M.C.; Cuesta, L.S.; Tumas, N. (2020). Emociones, preocupaciones y reflexiones frente a la pandemia del COVID-19 en Argentina. Ciência & Saúde Coletiva, 25(1), 2447-2456. Recuperado em 10 julho, 2020, de: https://www.scie lo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232020006702447.

Lopes, R.M.; Vianna, N.G.; Silva, E.M. (2017). comunicação do surdo com profis sionais de saúde na busca da integralidade. Revista Saúde e Pesquisa. Maringá. V.10, n.2, p.213-221. Recuperado em 10 julho, 2020, de: https://periodicos.unice sumar.edu.br/index.php/saudpesq/article/view/5883.

Nardi, A.C.F.; Soares, R.A.S.; Mendonça, A.V.M; Sousa, M.F. (2018) comunicação em saúde: um estudo do perfil e da estrutura das assessorias de comunicação municipais em 2014-2015. Revista Epidemiologia e Serviços de Saúde. Brasília. V.27, n.2, p.1-10. Recuperado em 11 agosto, 2021, de: https://www.scielo.br/j/ress/a/VvbSGwMt8pvGY7nv46cgpkK/?lang=pt&format=pdf.

Neto, M.; Gomes, T. O.; Porto, F.R.; Rafael, R..M.R.; Fonseca, M.H.S.; Nascimento, J. (2020). Fake News no cenário da pandemia de covid-19. Cogitare Enfermagem, 25, 1-7. Recuperado em 12 julho, 2020, de: https://revistas.ufpr.br/cogitare/arti cle/view/72627.

Organização Pan-Americana da Saúde. (2020). Departamento de Evidência e inteligência para Ação em Saúde. Entenda a infodemia e a desinformação na luta contra a Covid-19, 5p. Recuperado em 28 agosto, 2020, de: https://iris.paho.org/bitstream/handle/10665.2/52054/FactsheetInfodemic_por.pdf?sequence=14.

Sousa, G.F.; Oliveira, K.D.P.; Queiroz, S.M.D. (2019). Educação em saúde como es tratégia para a adesão ao autocuidado e às práticas de saúde em uma unidade de saúde da família. Revista de Medicina, v.98, n.1, p.30-39. Recuperado em 14 julho, 2020, de: http://www.revistas.usp.br/revistadc/article/view/151693.

Souza, M.F.N.S.; Araújo, A.M.B.; Sandes, L.F.F.; Freitas, D.A.; Soares, W.D.; Vianna. R.S. M.; Sousa, A.A.D. (2017). Principais dificuldades e obstáculos en frentados pela comunidade surda no acesso à saúde: uma revisão integrativa de literatura. Revista CEFAC. 19(3), 395-405. Recuperado em 10 julho, 2020, de https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S151618462017000300395&script=sci_abstract&tlng=pt.

Tedesco, J.R,, Junges, J.R. (2013). Challenges for receiving hearing-impaired individuals in primary healthcare services. Cadernos de Saúde Pública. 29(8), 1685-1689. Recuperado em 10 julho, 2020: de https://www.researchgate.net/publication/256449540_Challenges_for_receiving_hearingimpaired_individuals_in_primary_healthcare_services.

Publicado

2022-07-30

Como Citar

MANDAGARA DE OLIVEIRA, M.; OLIVEIRA RIBEIRO, G.; QUADRO NUNES, M.; MOURA PEREIRA, G.; FEHLBERG HERRMANN, F.; DE CASTRO E KASTER, A. EXTENSÃO E COMUNICAÇÃO: A PERCEPÇÃO DE INTEGRANTES DE PROJETOS DA ZONA SUL FRENTE ATUAÇÃO NÃO PRESENCIAL NA PANDEMIA DA COVID-19. Interfaces - Revista de Extensão da UFMG, [S. l.], v. 10, n. 1, 2022. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistainterfaces/article/view/26512. Acesso em: 15 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos