PERFIL SOCIODEMOGRÁFICO DA CLIENTELA ATENDIDA NO PLANTÃO PSICOLÓGICO SPA FAFICH UFMG NO ANO DE 2019

Autores

Palavras-chave:

Plantão Psicológico, Perfil sociodemográfico, Saúde mental, Clínica-escola de psicologia

Resumo

O Projeto de Extensão Plantão Psicológico no Serviço de Psicologia Aplicada (SPA) tem se mostrado importante para a saúde mental da comunidade interna da UFMG, em função da disponibilidade dos alunos-plantonistas para acolher aqueles que estão sofrendo quando procuram por atendimento psicológico. O objetivo deste estudo é descrever e analisar o  perfil sociodemográfico dos atendidos no Plantão Psicológico do SPA da FAFICH UFMG no período de junho a dezembro de 2019. Para isso, realizou-se análise documental das fichas de cadastro de clientes atendidos pelo serviço. Foram atendidas 146 pessoas, das quais 90 eram do sexo feminino e 56, do masculino; a maioria com idade entre 18 e 21 anos; 118 eram alunos da graduação da Universidade, a maioria entre 3º e 7º semestres. Poucos técnicos (2) e terceirizados (1) e nenhum professor procuraram pelo serviço. Apenas 7 clientes foram encaminhados para outros serviços. Os resultados convergem com outras pesquisas da mesma natureza.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela Maria Leroy Viana, Universidade Federal de Minas Gerais - Belo Horizonte - MG – Brasil

Psicóloga graduada na Universidade Federal de Minas Gerais - Belo Horizonte - MG – Brasil

Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FAFICH) - Laboratório de Análise de Processos em Subjetividade (LAPS)

Joana Buschini Brentano, Universidade Federal de Minas Gerais - Belo Horizonte - MG – Brasil

 Psicóloga graduada na Universidade Federal de Minas Gerais - Belo Horizonte - MG – Brasil Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FAFICH) - Laboratório de Análise de Processos em Subjetividade (LAPS)

Paulo Eduardo Rodrigues Alves, Universidade Federal de Minas Gerais Universidade Federal de Minas Gerais - Belo Horizonte - MG – Brasil

Doutor em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela Universidade de São Paulo, Mestre em Filosofia e Graduado em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. 

Professor Adjunto A de Psicologia na Universidade Federal de Minas Gerais Universidade Federal de Minas Gerais - Belo Horizonte - MG – Brasil

 Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FAFICH) - Laboratório de Análise de Processos em Subjetividade (LAPS)

Referências

Amatuzzi, M. (2001). Por uma psicologia humana. São Paulo: Alínea Editora.

Amorim, F. B. T.; Andrade, A. B.; Branco, P. C. C. (2015). Plantão psicológico como estratégia de clínica ampliada na atenção básica em saúde. Contextos Clínicos, 8(2), 141-152. https://dx.doi.org/10.4013/ctc.2015.82.03.

Ariño, D. O.; Bardagi, M. P. (2018). Relação entre fatores acadêmicos e a saúde mental de estudantes universitários. Psicologia em Pesquisa, 12(3), 44-52. Disponível em: [Recuperado de] http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1982-12472018000300005&lng=pt&nrm=iso.

Aun, H. (2005). Trágico avesso do mundo: narrativas de uma prática psicológica numa instituição para adolescentes infratores. Dissertação de mestrado, Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil. Disponível em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/47/47131/tde-28072007-170628/publico/dissertacaoHELOAUN.pdf.

Barroso, S. M.; Oliveira, N. R.; Andrade, V. S. (2019). Solidão e depressão: Relações com características pessoais e hábitos de vida em universitários. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 35, e35427. https://doi.org/10.1590/0102.3772e35427.

Borges, M. V. V. (2020). Aconselhamento psicológico como uma possibilidade de cuidado a estudantes de uma universidade pública. Monografia de conclusão de curso de Especialização em Psicologia Clínica da UFMG, Belo Horizonte, Brasil.

Braga, T.; Mosqueira, S.; Morato, H. T. P. (2012). Cartografia clínica em plantão psicológico: Investigação interventiva num projeto de atenção psicológica em distrito policial. Temas em Psicologia, 20(2), 555-569. https://dx.doi.org/10.9788/TP2012.2-20 .

Brasil, C. C. P.; Batista, M. H.; Melo, A. K. S.; Ibiapia, F. L. P.; Brilhante, A. V. M.; Silva, R. M. (2016). O contexto da docência e sua influência no sofrimento psíquico de professoras do ensino fundamental. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, 29(2), 180-188. Disponível em: https://periodicos.unifor.br/RBPS/article/view/5174.

Breschigliari, J. O.; Jafelice, G. T. (2015). Plantão psicológico: Ficções e reflexões. Psicologia: ciência e profissão, 35(1), 225-237. https://doi.org/10.1590/1982-3703000112014.

Brown, J. (2018). Student mental health: Some answers and more questions. Journal of Mental Health, 27(3), 193-196. https://doi.org/10.1080/09638237.2018.1470319.

Carvalho, E. A.; Bertolini, S. M. M. G.; Milani, R. G.; Martins, M. C. (2015). Índice de ansiedade em universitários ingressantes e concluintes de uma instituição de ensino superior. Ciência, Cuidado e Saúde, 14(3), 1290-1298.

https://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v14i3.23594.

Cerchiari, E. A. N.; Caetano, D.; Faccenda, O. (2005). Utilização do serviço de saúde mental em uma universidade pública. Psicologia: Ciência e Profissão, 25(2), 252-265. https://doi.org/10.1590/S1414-98932005000200008.

CISME/UFMG (2016). Relatório conclusivo da comissão instituída pelo reitor para constituir uma agenda de discussão e propor diretrizes para uma política institucional de saúde mental no âmbito da UFMG 2016. Disponível em: https://www.ufmg.br/online/arquivos/anexos/Relatorio%20da%20Comiss%E3o%20de%20Saude%20Mental%20da%20UFMG%2010-03-17.pdf.

Costa, L. S. T.; Gil-Monte, P. R.; Possobon, R. F.; Ambrosano, G. M. B. (2013). Prevalência da Síndrome de Burnout em uma amostra de professores universitários brasileiros. Psicologia: Reflexão e Crítica [online], 26(4), pp. 636-642. https://doi.org/10.1590/S0102-79722013000400003.

Coulon, A. (2017). O ofício de estudante: a entrada na vida universitária. Educação e Pesquisa [online], 43(4), 1239-1250. https://doi.org/10.1590/S1517-9702201710167954.

Eisenlohr, M. G. V. (1999). Serviço de aconselhamento psicológico do IPUSP: Breve histórico de sua criação e mudanças ocorridas na década de 90. In: Aconselhamento psicológico centrado na pessoa: novos desafios. São Paulo: Casa do Psicólogo

Evangelista, P. E. R. A. (2016a). Temporalidade kairológica do dasein e plantão psicológico. In: P. Evangelista, H. Morato, & P. Milanesi. (Orgs.), Fenomenologia existencial e prática em psicologia: alguns estudos (pp. 147-158). Rio de Janeiro: Via Verita.

Evangelista, P. E. R. A. (2016b). Psicologia fenomenológica existencial: a prática psicológica à luz de Heidegger. Curitiba: Juruá.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa, 4. ed. São Paulo: Atlas.

Gomes, C.; Comonian, J. O.; Araújo, C. L. (2018). Sofrimento psíquico na universidade: Uma análise dos sentidos configurados por acadêmicos. Revista Psicologia, Diversidade e Saúde, 7(2), 255-266. http://dx.doi.org/10.17267/2317-3394rpds.v7i2.1909.

Lameu, J. N.; Salazar, T. L.; Souza, W. F. (2016). Prevalência de sintomas de stress entre graduandos de uma universidade pública. Psicologia da Educação, (42), 13-22. https://dx.doi.org/10.5935/2175-3520.20150021.

Lim, M. F. E. M.; Lima-Filho, D. O. (2009). Condições de trabalho e saúde do/a professor/a universitário/a. Ciências & Cognição, 14(3), 62-82. Disponível em: http://cienciasecognicao.org/revista/index.php/cec/article/view/253.

Luna, S. V. (2011). Planejamento de pesquisa: Uma introdução, 2 ed. São Paulo: EDUC.

Mahfoud, M. (2012). A vivência de um desafio: Plantão psicológico. In: M. Mahfoud (Org.), Plantão Psicológico: Novos Horizontes, 2a ed. (pp. 17-30). São Paulo: EPU.

Mahfoud, M. (2013). Desafios sempre renovados: Plantão psicológico. In: M. A. Tassinari, A. P. Cordeiro, & W. T Durange (Orgs.), Revisitando o Plantão Psicológico Centrado na Pessoa. Curitiba: Editora CRV.

Mahfoud, M. (2018). Subjetividade como acontecimento, centro pessoal e plantão psicológico: Horizontes reabertos. In: J. P. Giovanetti (Org.), Fenomenologia e psicologia clínica (pp. 53-71). Belo Horizonte: Artesã.

Massa, L. D. B.; Silva, T. S. S.; Sá, I. S. V. B.; Barreto, B. C. S.; Almeida, P. H. T. Q.; Pontes, T. B. (2016). Síndrome de Burnout em professores universitários. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo, 27(2), 180-189.

https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v27i2p180-189.

Matta, A. H. A.; Câmara, V. M. S.; Bonadiman, H. L. (2019). Análise do mal-estar do estudante na perspectiva do perfil da clientela e das queixas acolhidas no atendimento psicológico de uma universidade federal. Humanidades & Inovação, 6(8), 48-58. Disponível em: https://revista.unitins.br/index.php/humanidadeseinovacao/article/view/1249.

Morato, H. T. P. (2006). Pedido, queixa e demanda no plantão psicológico: Querer poder ou precisar? In VI Simpósio Nacional de Práticas Psicológicas em Instituição – Psicologia e Políticas Públicas. Vitória, ES: Universidade Federal do Espírito Santo.

Morato, H. T. P. (2009). Plantão psicológico: Inventividade e plasticidade. In IX Simpósio Nacional de Práticas Psicológicas em Instituições – Atenção Psicológica: fundamentos, pesquisa e prática. São Paulo: Universidade de São Paulo,Instituto de Psicologia, Laboratório de Estudos em Fenomenologia Existencial e Prática em Psicologia. Disponível em: https://laclife.files.wordpress.com/2009/10/click-na-figura-para-baixar-o-artigo-de-henriette.pdf.

Morato, H. T. P. (2015). Por entre plantão psicológico e ação cartográfica clínica pelos “Caminhos de Floresta” (Tese de Livre-Docência). Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Nunes, A. P.; Morato, H. T. P. (2008). A práxis clínica de um laboratório universitário como aconselhamento psicológico. Boletim de Psicologia, 58(128), 73-84. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0006-59432008000100006

Nunes, A. P.; Morato, H. T. P. (2020). O estágio de atendimento nos anos iniciais: experiência com plantão psicológico. Revista da Abordagem Gestáltica, Goiânia, 26(1), 2-12. https://dx.doi.org/10.18065/RAG.2020v26n1.1.

Penha, J. R. L.; Oliveira, C. C.; Mendes, A. V. S. (2020). Saúde mental do estudante universitário: Revisão integrativa. Journal Health NPEPS, 5(1), pp. 369-395. http://dx.doi.org/10.30681/252610103549.

Peres, R. S.; Santos, M. A.; Coelho, H. M. B. (2004). Perfil da clientela de um programa de pronto-atendimento psicológico a estudantes universitários. Psicologia em Estudo, 9(1), 47-54. https://doi.org/10.1590/S1413-73722004000100007.

Perez, K. V.; Brun, L. G.; Rodrigues, C. M. L. (2019). Saúde mental no contexto universitário: Desafios e práticas. Trabalho (En)Cena, 4(2), pp. 357-365. 10.20873/25261487V4N2P357.

Pinho, R. (2016). Caracterização da clientela de um programa de atendimento psicológico a estudantes universitários. Psicología, Conocimiento y Sociedad, 6(1), 114-130. Disponível em: http://www.scielo.edu.uy/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1688-70262016000100006&lng=es&tlng=pt.

Pompeia, J. A.; Sapienza, B. T. (2004). Uma caracterização da psicoterapia. In: J. A. Pompeia & B. T. Sapienza (Orgs.), Na presença do sentido: Uma aproximação fenomenológica a questões existenciais básicas (pp. 153-170). São Paulo: EDUC.

Rebouças, M. S. S.; Dutra, E. (2010). Plantão psicológico: uma prática clínica da contemporaneidade. Revista da Abordagem Gestáltica, 16(1), 19-28. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-68672010000100004.

Rios, M. G. V.; Mascarenha, L. V. R.; Souza, K. S.; Olebar, D. T. C. R.; Paiva, M. C. E.; Silveira, A. O. (2019). Adoecimento e sofrimento psíquico entre universitários: Estado da arte. Humanidades & Inovação, 6(8), 23-31. Disponível em: https://revista.unitins.br/index.php/humanidadeseinovacao/article/view/1259.

Schmidt, M. L. S. (2004). Plantão psicológico, universidade pública e política de saúde mental. Estudos de Psicologia, 21(3), 173-192. https://doi.org/10.1590/S0103-166X2004000300003.

Schmidt, M. L. S. (2015). Aconselhamento psicológico como área de fronteira. Psicologia USP, 26(3), 407-413. https://doi.org/10.1590/0103-656420140033

Sena, B. A. C.; Lima, A. I. O. (2021). O sofrimento mental e a docência de ensino superior em enfermagem. Psicologia e Saúde em Debate, 7(1), 241–255. https://doi.org/10.22289/2446-922X.V7N1A17

Souza, A. C.; Bartilotti, C. B. (2018). Perfil das pessoas inscritas e atendidas no serviço de Psicologia da UNISUL. Monografia de Conclusão de Curso de Psicologia da Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, Brasil. Disponível em: https://www.riuni.unisul.br/bitstream/handle/12345/8926/Perfil%20das%20pessoas%20inscritas%20e%20atendidas%20no%20Servi%c3

%a7o%20de%20Psicologia%20da%20UNISUL.pdf?sequence=1&isAllowed=y.

Souza, S. R.; Coelho, H. M. B.; Migliorini, W. J. M. (2015). Estudo descritivo sobre a demanda de um pronto-atendimento psicológico em um serviço-escola. Colloquium Humanarum, 12(Especial), 1624-1634. Disponível em: http://www.unoeste.br/site/enepe/2015/suplementos/area/Humanarum/Psicologia/ESTUDO%20DESCRITIVO%20SOBRE%20A%20DEMANDA%20DE%20UM%20PRONTO-ATENDIMENTO%20PSICOL%C3%93GICO%20EM%20UM%20SERVI%C3%87O-ESCOLA.pdf.

Tostes, M. V.; Albuquerque, G. S. C.; Silva, M. J. S.; Petterle, R. R. (2018). Sofrimento mental de professores do ensino público. Saúde em Debate [online], 42(116), 87-99. https://doi.org/10.1590/0103-1104201811607.

Universidade Federal de Minas Gerais. (2020). UFMG em números. https://ufmg.br/a-universidade/apresentacao/ufmg-em-numeros.

Vieira, E. M.; Boris, G. D. J. B. (2012). O plantão psicológico como possibilidade de interlocução da psicologia clínica com as políticas

públicas. Estudos e Pesquisas em Psicologia, 12(3), 883-896. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1808-42812012000300010.

Downloads

Publicado

2022-12-31

Como Citar

VIANA, G. M. L.; BRENTANO, J. B. .; ALVES, P. E. R. . PERFIL SOCIODEMOGRÁFICO DA CLIENTELA ATENDIDA NO PLANTÃO PSICOLÓGICO SPA FAFICH UFMG NO ANO DE 2019. Interfaces - Revista de Extensão da UFMG, [S. l.], v. 10, n. 2, 2022. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistainterfaces/article/view/33977. Acesso em: 4 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos