Perfil epidemiológico dos pacientes e dos atendimentos realizados no ambulatório de exodontia (FO-UFRGS)

  • Betina Beloc Crescente Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Fernando de Oliveira Andriola Hospital São Lucas, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)
  • Adriana Corsetti Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
  • Silvia Leticia Freddo Unidade Central de Educação FAEM Faculdade (UCEFF)
  • Angelo Luiz Freddo Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Resumo

Objetivo: Realizar um levantamento epidemiológico dos pacientes que buscaram atendimento no ambulatório de Exodontia da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (FO-UFRGS).

Métodos: Estudo descritivo retrospectivo no qual foram reunidos e tabulados 1905 relatórios cirúrgicos preenchidos pelos alunos da graduação nas atividades referentes à disciplina de Exodontia, entre os anos de 2011 e 2015.

Resultados: Os pacientes eram na maioria mulheres, entre 30 e 59 anos, cor de pele branca, com ensino fundamental incompleto e renda familiar entre 2 e 3 salários mínimos, 30,9% dos pacientes relatavam fumar e 27,8% disseram consumir bebidas alcoólicas pelo menos uma vez por semana. Quanto à história clínica, 24,4% dos pacientes relataram sofrer de hipertensão, 7,9% eram diabéticos. Em relação aos procedimentos, 24,9% estavam indicados por serem restos radiculares, 9% dos procedimentos foram suspensos, sendo a hipertensão a principal razão para tal (42,6%). Em 59,8% dos procedimentos não houve nenhum tipo de complicação pós-operatória.

Conclusão: A partir dos dados obtidos foi possível conhecer o perfil epidemiológico e a situação de saúde da população atendida, identificando suas principais necessidades, fornecendo informações estratégicas para a organização e qualificação do serviço.

Descritores: Cirurgia bucal. Perfil de saúde. Saúde pública.

Publicado
2019-04-03
Seção
Artigos