FLUOROSE NA DENTIÇÃO DECÍDUA: RELATO DE UM CASO CLÍNICO

  • Lizette Feuzer Universidade Federal de Santa Catarina-UFSC
  • Sylvio Monteiro Junior Universidade Federal de Santa Catarina-UFSC
  • Élito Araújo Universidade Federal de Santa Catarina-UFSC

Resumo

A odontologia tem enfatizado a prevenção da doença cárie, reconhecendo a importância da higiene bucal, controle da dieta e uso do flúor. O uso indiscriminado do flúor traz uma nova preocupação em termos de saúde pública, a fluorose dentária. Ela acontece em conseqüência da ingestão excessiva e prolongada de flúor, sendo caracterizada pelo aumento da porosidade da superfície e sub superfície do esmalte, fazendo com que o esmalte pareça opaco. A prevalência da fluorose, presente tanto na dentição decídua, como na permanente vem aumentando devido às várias fontes de flúor que o indivíduo está exposto; água fluoretada, suplemento de flúor, creme dental, bebidas e alimentos fluoretados. Em dentes decíduos a fluorose tem sido negligenciada, pela dificuldade de ser reconhecida e pelo fato de ser dentição temporária Porém, estudos recentes sugeriram que a fluorose na dentição decídua poderia servir como um sinalizador para o desenvolvimento de fluorose na dentição permanente. Este artigo tem como objetivo apresentar um caso clínico de fluorose em decíduos, alertar para o diagnóstico e orientar para o uso do flúor.

Descritores: flúor; fluorose; dentição decídua

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lizette Feuzer, Universidade Federal de Santa Catarina-UFSC
Aluna do Programa de Pós Graduação, doutorado em Dentística da UFSC
Sylvio Monteiro Junior, Universidade Federal de Santa Catarina-UFSC
Professor Titular da Disciplina de Dentística (UFSC)
Élito Araújo, Universidade Federal de Santa Catarina-UFSC
Professor Titular da Disciplina de Dentística (UFSC)

Referências

1. Alves NC.Oren ha ES. Reche NSG, Pelli MPS. Prevalência de fluorose dentada no dentição decídua em crianças participantes de programas de prevenção e promoção de saúde no município de Marilia-SP. Rev.Foc.Odontol. Bauru 2002;10:156-163.
2. Ando T. Cardoso MN. Andrade JLR. Alguns aspectos da fluorose dentária. Rev. Fac. Odontol. S. Paulo 1975;13:269-276.
3. Amaranto L.Merci D. Fluorose dentária. Artigos e Publicações. Curitiba. 2002:1-12.. http://www.saude.pr.gov.br/Artigos_Publicações/Saude_bucal/ fluorose_dentaria.htm
4. Assis GF. Mecanismos biológicos e influencia de fatores ambientais na fluorose dentária e o participação do flúor no prevenção de cárie. Rev. FOB 1999: 7:63-75.
5. Ato P. Incidence of fluorosis and caries in teeth of the first and second dentition in Isporta, Turkey. Odontostomatol. Trop. 1957; 6: 501-508.
6. Bastos JRM.et al.Conteúdo de flúor observado nos refrescos em pó encontrados no comércio de Bou ru-SP.Rev. Inst. Ciênc. Saúde 2000; 18:123-128.
7. Bentley EM, Ellwood RP. Davies .M. Foctors influencing the amount of fluoride toothpaste applied by the mothers of young children. Br Dent 11997; 183:412-414.
8. Conever JL Avaliação da concentração de flúor em águas engarrafados comercializadas no região da Amurel. Tubarão. Unisul. Tcc. 2003. 23p.
9. Campos DL. Prevalência de fluorose dentária em escolares de Brasília-Distilo Federal. Rev.Odontol.Univ.São Paulo 1998; 12: 225-230.
10. Ca ngussu MCT. A fiuorose dentária no Brasil: u mo revisão critica. CodSaúde Pública 2002; 8: 7-15.
11. Copella LF, Carcereri DL, Paiva SM. Ocorrência de fluorose dentária endêmica. Rev Gaúcha Odontol 1989; 37:371-375.
12. Copella LF. Estudos da ocorrência da fluorose dental em cocai: dentição decídua. Florianópolis. 1991. 88p Tese (mestrado) UFSC.
13. Coumoulos H. Observation on the apporence of dental enamel in a endemic fluorosis area whith particular reference to deciduos teeth. Brit Dent J 1049: 86:172-176.
14. Cury JA. Flúor: dos 8 aos 80? In: Bollino e Feller. Atualização no clinica odontológica. 1992.São Paulo: Artes Médicos. p.375-382.
15. Cury JA. Uso do flúor e controle da cárie como doença. In: BARAIlERI, LN.Odontologia Restauradora Fundamentos e Possibilidades. São Paulo: Santos. 2001. p.33-68,
16. C ury JA, VILLE NA RS. Flúor aplicação sistêmica. In: C orrea MSNP. Odontopediatria na primeira infância. São Paub:Santos, 1998: 292-314,
17. Decn Hf. Arnold FA. Endemic dental 111.0f05 ar mottled encrnel. JAmer Dent Ass 1943: 30: 1278-1283.
18. Evans W. Stamm JW. An epiderniological estinate of the criticai pedod during vvhitch human maxlllay central incisiors are most susceptble to fluorosis. J Publ Hecith Dent 1989: 49:259-271.
19. Fejerskov O. Ruorose Dentaía: um mcnual paa profissbnals da saúde.São Paulo : Santos.1994.
20. Gonçalves LD.Mda LC. Fluorose Dentária:Uma doordagem a Nível de Saúde Pública. Rev Ruminense de Saúde Coletiva 2034: 25: 14-17.
21. GuedesPin to AC. Issao M. Flúor uso interno. In: Guedes-Pinto AC. Odontopediatria. 2ed. São Palio: Santos 1990: p.473-512.
22. Ismail AL. Brodeur JM, Kavmaga M. Boisciair G.Tessier C, Picotte L. Prevalence of dental caies and dental fluorcds in students,1 1-17 yens of age, in fluoridated and non-fluoridated cities in Quebec. Caies Res 1990: 14: 290-297.
23. Levy SM. Review of fluoride exposures cnd ngestion. Commurith Dent Oral Epidemiol 1994: 22: 173-180.
24. Levy SM, Zael M.Z. Evalution of fluoride exposures in chicten.J Dent Child 1991: 58: 467-475.
25. Lima YBO, CU RY JA. Compaação da dieta e dentifrício fluoretado para a dose de risco de fluorose dental. In: Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Pesquisa Odontológica. Águas de São Pedro 1998. ANAIS: SBPq0, São Paulo. p.138.
26. Lima YBO. CU RY JA. hgestão de flúor por cricnças pela água e dentifrício. Rev Saúde Pública 2031: 35:457-481.
27. Mmn J. Ruorosis md dental caies in 6-8-yecr-old childeen in a 5 ppm fluoride area.Community Dent.Ord Epidemiol 1990:18:77-79.
28. Milson EF. Encrneldefecls in the deciduous dentition as a potentici precktor of defects in the permanent dentition 8 and 9 year dd children in fluoridated Cheshire. J Dent Res 1996: 75: 1020-26.
29. Moiler U. Ruorides cnd dental fluoros. ht. Dent J 1982: 32: 135-147.
30. Paiva SM. Ingestão total de flúor através da dieta e de dentifrícios:determinação da dose em relação ao risco de fluorose dentária.1999. 58f .Tese (Doutorado em Odontopedatria)-Faculdade de Odontolopa.Universidade de São Patio.São Paulo.
31. Rodrigues LJR Ruocosis in primarydentition in a region with endemia water fluaide.Sdud Publica Mex 203342:94-203.
32. RuÉ JM, Moraes PC. Importãncia da atenção muttidiscipina dente do diagnóstico de fluorose.Rev. ABOPREV 2032:3: 1-12.
33. Sato HK. Fomaziero CC. Wdter LR. Escavação dentária e o risco de fluorose em cricnças. Seminal997: 18:7-14.
34. Souza EF. Imparato JCP. Ruorose em dentes deckluos:um alerta paa dentes perrncnentes. Disponível em: http://www.cdonto.com.br./atigos/ outros/fluorose.asp.
35. Tavares PG. BastosJRM. Concentração de flúor na água: c ate, fluorose e teor de flúor urinário em escolares de Bauu-SP. Rev APCD 1999: 53: 407-414.
36. Trench L. Suplementação sistêmica de flúor na gestação e na infância em Bauu. Pesquisa Odontológica Brasileira 2033:14: 22-28.
37. Warren JJ, Kanerts SMJ. Levys M. Ruorosis of the primay dentition:what does it mean a permment teeth? J Am Dent Assoc 1999: 130: 922.
38. Warren JJ. Kcnellres SMJ. Levys M. Prevalence of dental fluorosis in the prinay dentition.J Ptbric Health Dent 2031:61:87-91.
39. Weeks KJ, Milson KM, Lenon MA. Enameldefects h 4-to 5-yece-old children in fluoridated and non-fluoddated parts of Cheshire,Uk. Caries Res1993: 7: 317-320.
Publicado
2016-03-02
Como Citar
Feuzer, L., Junior, S. M., & Araújo, Élito. (2016). FLUOROSE NA DENTIÇÃO DECÍDUA: RELATO DE UM CASO CLÍNICO. Arquivos Em Odontologia, 42(1). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/arquivosemodontologia/article/view/3398
Seção
Artigos