Conceitos de saúde entre estudantes de odontologia

  • Fabiany Cristina Santos Nunes Universidade Federal de Goiás- UFG
  • Maria do Carmo Matias Freire Universidade Federal de Goiás- UFG

Resumo

O objetivo foi identificar os conceitos de saúde entre estudantes de odontologia. Compuseram a amostra 368 estudantes de todos os anos de duas das três faculdades de odontologia do Estado de Goiás. Foi utilizado um questionário auto-aplicável incluindo dados sobre o conceito de saúde, sexo, ano cursado e faculdade de origem. As respostas relacionadas ao conceito de saúde foram analisadas por meio de análise de conteúdo e as categorias obtidas foram analisadas estatisticamente. Para as comparações foi utilizado o teste Qui-quadrado. Os respondentes apresentavam idade média de 21,4 anos e a maioria era do sexo feminino (66,3%). O conceito de saúde mais freqüente foi relacionado ao bem-estar (78,0%) e os determinantes sociais da saúde foram
citados por 18,7% dos estudantes. Concluiu-se que a maioria dos estudantes concebe saúde como diversascondições de bem-estar, mas poucos consideram seus determinantes sociais. A percepção desses determinantes
aumentou gradativamente no decorrer do curso (p<0,001).
Descritores: Conhecimentos. Atitudes e prática em saúde. Estudantes de Odontologia. Formação de conceito.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiany Cristina Santos Nunes, Universidade Federal de Goiás- UFG
Profa. Associada, disciplina de Odontologia Coletiva, FO-UFG
Maria do Carmo Matias Freire, Universidade Federal de Goiás- UFG
Profa. Doutora, disciplina de Odontologia Coletiva, FO-UFG

Referências

1. Almeida Filho N. O conceito de saúde: pontocego da epidemiologia? Rev Bras Epidemiol. 2000; 3:4-19.
2. Scliar M. História do conceito de saúde. Physis (Rio J.). Rev Saúde Colet. 2007; 17: 29-41.
3. Gutierrez PR, Oberdiek HI. Concepções sobre a saúde e a doença. In: Andrade SM, Soares DA, Cordoni Júnior L (Org). Bases da saúde
coletiva. Londrina: Editora UEL; 2001. p. 1-25.
4. World Health Organization. Constitution of the World Health Organization. Basic Documents. Genebra 1946;1-125.
5. Organização Mundial de Saúde. Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde. Carta de Ottawa. Canadá 1986; 1-5.
6. Boruchovitch E, Sousa IC, Schall VT. Conceito de doença e preservação da saúde de população de professores e escolares de primeiro grau. Rev Saúde Pública. 1991; 25:418-25.
7. Cutolo LR, Cesa AI. Percepção dos alunos do curso de graduação em medicina da UFSC sobre a concepção saúde-doença das práticas
curriculares. ACM Arq Catarin Med. 2003;32:75-89.
8. Sarriera JC, Moreira MC, Rocha KB, Bonato TN, Duso R, Prikladnicki S. Paradigmas em psicologia: compreensões acerca da saúde e dos
estudos epidemiológicos. Psicol Soc. 2003; 15:88-100.
9. Smith P, Masterson A, Smith SL. Health promotion versus disease and care: failure to establish “blissful clarity” in British nurse education and practice. Soc Sci Med. 1999;48:227-39.
10. Rocha D, Deusdará B. Análise de conteúdo e análise do discurso: aproximações e afastamentos na (re)construção de uma
trajetória. ALEA 2005; 7:305-22.
11. Dahlgren G; Whitehead M. Policies and strategies to promote social equity in health. Stockholm: Institute of Futures Studies. 1991;
14:10-8.
12. Freitas SF. História social da cárie dentária. Bauru: EDUSC; 2001.
13. Teles GS, Martins AL. Conceito de saúde: uma abordagem histórica. In: Dias AA. Saúde bucal coletiva. São Paulo: Santos; 2006. p. 359-65.
14. Hofmann B. Simplified models of the relationship between health and disease. Theor Med Bioeth. 2005; 26:355-77.
15. Petersen A. The genetic conception of health:is it as radical as claimed? Health. 2006; 10:481- 500.
16. Koifman L. O modelo biomédico e a reformulação do currículo médico da Universidade Federal Fluminense. Hist Ciênc Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro. 2001; 8:48- 70.
17. Martins IS. Saúde e constituinte. Rev Saúde Pública. 1986; 20:331-2.
18. Andrade Júnior H, Souza MA, Brochier JI. Representação social da educação ambiental e da educação em saúde em universitários. Psicol
Reflex Crit. 2004; 17:43-50.
19. Niebrój LT. Defining health/illness: societal and/ or clinical medicine? J Physiol Pharmacol. 2006;57:251-62.
20. Freitas SFT, Kovaleski DF, Boing AF. Desenvolvimento moral em formandos de um curso de odontologia: uma avaliação construtivista. Ciênc Saúde Coletiva. 2005; 10:453-62.
21. Segre M, Ferraz FC. O conceito de saúde. Rev Saúde Pública. 1997; 31:538-42.
22. McClanahan KK, Huff MB, Omar HA. Holistic health: does it really include mental health? Sci World J. 2006; 6:2092-9.
23. Buss PM. Promoção da saúde e qualidade de vida. Ciênc Saúde Coletiva. 2000; 5:163-77.
24. Vasconcelos EM. A espiritualidade no trabalho em saúde. São Paulo: Hucitec; 2006. p.109-
Publicado
2016-03-14
Como Citar
Nunes, F. C. S., & Freire, M. do C. M. (2016). Conceitos de saúde entre estudantes de odontologia. Arquivos Em Odontologia, 44(3). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/arquivosemodontologia/article/view/3472
Seção
Artigos