Saúde bucal de pacientes internados em hospital de emergência

Autores

  • Cecília Gadelha Gondim
  • Walda Viana Brígido de Moura Universidade Federal do Ceará -UFC
  • Regina Gláucia Ribeiro de Lucena Universidade Federal do Ceará -UFC
  • Bruno Rocha da Silva Universidade Federal do Ceará -UFC
  • Helvia Menezes Vasconcelos Universidade Federal do Ceará -UFC
  • Andréa Silvia Walter de Aguiar Universidade Federal do Ceará -UFC

Resumo

Objetivo: O objetivo deste estudo foi avaliar as condições de saúde bucal, acesso a serviços odontológicos e autopercepção em saúde bucal, bem como relacionar a necessidade de tratamento odontológico em pacientes internados em um hospital de emergência, em Fortaleza - Ceará, no ano de 2011. Materiais e Métodos: Pesquisa exploratória do tipo transversal em que foram examinados 301 pacientes internados em duas enfermarias de um hospital de referência terciária em trauma, de abrangência regional e estadual. As variáveis exploratórias foram avaliação socioeconômica, acesso e autopercepção em saúde bucal e Índice de Necessidade de Tratamento Odontológico (INTO). A coleta de dados foi realizada por um único examinador, os dados foram processados no SPSS (Statistical Package for Social Science), versão 17.0. A comparação entre as variáveis foi feita através do teste t de Student, com nível de significância de 5,0%. Resultados: A maioria dos pacientes era do sexo masculino, com média de idade de 39,38 anos, com ensino fundamental completo, com período mínimo de internamento de 2 dias e máximo de 4,83 meses (DP ±1,31). Ao serem indagados sobre busca de atendimento odontológico, o serviço público foi o principal meio de acesso e o principal motivo  relatado da procura do serviço foi a presença de cavidades de cárie. Grande parte dos pacientes foi classificada, segundo modificação do INTO, nos perfis 3 e 4 (76,4%), ou seja, apresentava cálculo dentário, cavidade pequena de cárie e indicação de exodontia. Houve associação estatisticamente significante entre as variáveis
“percepção de necessidade de tratamento odontológico” e “classificação da saúde bucal” (p<0,001), bem como entre “perfil” e “autopercepção de saúde bucal” (p<0,001). Conclusão: A partir de tal análise, conclui-se que
as condições de saúde bucal desses pacientes são preocupantes, com a necessidade inconteste de cuidados de saúde bucal para a população institucionalizada.

Descritores: Saúde bucal. Equipe hospitalar de odontologia. Serviço hospitalar de emergência. Higiene bucal. Educação em saúde. Assistência odontológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cecília Gadelha Gondim

Cirurgiã-dentista

Walda Viana Brígido de Moura, Universidade Federal do Ceará -UFC

Departamento de Clínica Odontológica, Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará (UFC),
Fortaleza, Ceará, Brasil

Regina Gláucia Ribeiro de Lucena, Universidade Federal do Ceará -UFC

Departamento de Clínica Odontológica, Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará (UFC),
Fortaleza, Ceará, Brasil

Bruno Rocha da Silva, Universidade Federal do Ceará -UFC

Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia, Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza, Ceará, Brasil

Helvia Menezes Vasconcelos, Universidade Federal do Ceará -UFC

Programa de Pós-Graduação em Saúde da Família, Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza, Ceará, Brasil

Andréa Silvia Walter de Aguiar, Universidade Federal do Ceará -UFC

Departamento de Clínica Odontológica, Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem, Universidade Federal do Ceará (UFC),
Fortaleza, Ceará, Brasil

Referências

1. Lima DC, Saliba NA, Garbin AJI, Fernandes LA, Garbin CAS. A importância da saúde bucal na ótica de pacientes hospitalizados. Ciênc Saúde Colet. 2011; 16:1173-80.
2. Brasil: Ministério da Saúde. Departamento de Informática do SUS. DATASUS. [acesso 2012 20 mar] Disponível em: http://www2.datasus.gov.br/
DATASUS/index.php?area=02.
3. Mello MS, Ferreira EF, Paixão HH. Educação para saúde em hospital: relato de uma experiência. Arq Centro Estud Curso Odontol. 1992; 29:99-104.
4. Ogunbosi BO, Oladokun RE, Brown BJ, Osinusi KI. Prevalence and clinical pattern of paediatric HIV infection at the University College Hospital, Ibadan, Nigeria: a prospective cross-sectional study. Ital J Pediatr. 2011; 16:37:29.
5. Saddki N, Yusoff A, Hwang YL. Factors associated with dental visit and barriers to utilization of oral health care services in a sample
of antenatal mothers in Hospital Universiti Sains Malaysia. BMC Public Health. 2010; 18:10:75.
6. WHO. World Health Organization. Food and Agriculture Organization of the United Nations. Diet, nutrition and the prevention of chronic
diseases. Geneva: World Health Organization; 2003.
7. Doris JM, Davis E, Du Pont C, Holdaway B. Social work in dentistry: the Cares model for improving patient retention and access to care. Dent Clin North Am. 2009; 53:549-59.
8. Buczkowska-Radlinska J, Szyszka-Sommerfeld L, Wozniak K. Anterior tooth crowding and prevalence of dental caries in children in Szczecin, Poland. Community Dent Health. 2012; 29:168- 72.
9. Brasil. Ministério da Saúde. Projeto SB Brasil 2010. [acesso 2012 abr 13] Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/geral/projeto_ sb2010_relatorio_final.pdf.
10. Castilho LS, Carvalho CF, Toso FP, Jaco MF, Abreu MHNG, Resende VLS. Utilização do INTO para triagem de grandes grupos populacionais: experiência com pacientes especiais. Rev CROMG. 2000; 6:195-9.
11. Dumont AS, Salla JT, Vilela MBL, Morais PC, Lucas SD. Índice de necessidade de tratamento odontológico: o caso dos índios Xakriabá. Rev Ciênc Saúde Coletiva. 2008; 13:1017-22
12. Aguiar ASW, Guimarães MV, Morais RMP, Saraiva JLA. Atenção em saúde bucal em nível hospitalar: relato de experiência de integração
ensino/serviço em Odontologia. Extensio: Rev Eletr Extensão. 2010; 9:100-10
13. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Saúde Brasil 2009: uma análise da situação de saúde e da agenda nacional e internacional de prioridades em saúde. Brasília:
Ministério da Saúde; 2010.
14. Andrade LM, de Lima MA, da Silva CHC, Caetano JA. Acidentes de motocicleta: características das vítimas e dos acidentes em hospital de Fortaleza - CE, Brasil. Rev Rene. 2009; 10:12-8.
15. Ahnquist J, Wamala SP, Lindstrom M. Social determinants of health: a question of social or economic capital? Interaction effects of
socioeconomic factors on health outcomes. Soc Sci Med. 2012; 74:930-9.
16. Blass E, Kurup AS. Equity, social determinants and public health programmes. Geneve: WHO Library Cataloguing-in-Publication Data; 2010.
17. Pacheco Santos LM, Moura EC, Barradas Barata RC, Serruya SJ, Motta ML, Silva Elias FT, et al. Fulfillment of the brazilian agenda of priorities in health research. Health Res Policy Syst. 2011; 9:35.
18. Brasil. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios - PNAD 2009. [acesso 2011 dez 11]. Disponível em: http://www.ibge.gov.br.
19. Costa IMD, Maciel SML, Cavalcanti AL. Acesso aos serviços odontológicos e motivos da procura por atendimento por pacientes idosos em Campina Grande - PB. Odontol Clín Cient. 2008; 7:331-5.
20. Martins AMEBL, Barreto SM, Pordeus IA. Uso de serviços odontológicos entre idosos brasileiros. Rev Panam Salud Pública. 2007; 22:308-16.
21. Kramer PF, Ardenghi TM, Ferreira S, Fischer LA, Cardoso L, Feldens CA. Utilização de serviços odontológicos por crianças de 0 a 5 anos de idade no município de Canela, Rio Grande do Sul, Brasil. Cad Saúde Pública. 2008; 24:150-6.
22. Esfahanizadeh N. Dental health education programme for 6-year-olds: a cluster randomised controlled trial. Eur J Paediatr Dent. 2011; 12:167- 70.
23. Wiener-Kronish JP. Ventilator-associated pneumonia: problems with diagnosis and therapy. Best Pract Res Clin Anaesthesiol. 2008; 22:437- 49.
24. Araújo RJG, Vinagre NPL, Sampaio JMS. Avaliação sobre a participação de cirurgiõesdentistas em equipes de assistência ao paciente. Acta Scient Health Sci. 2009; 31:153-7.
25. Ganz FD, Fink NF, Raanan O, Asher M, Bruttin M, Nun MB, Benbinishty J. ICU Nurses’ oralcare practices and the current best evidence. JNurs Scholarsh. 2009; 41:132-8.
26. Hough JL, Flenady V, Johnston L, Woodgate PG. Chest physiotherapy for reducing respiratory morbidity in infants requiring ventilatory support. Cochrane Database Syst Rev. 2008; 3:64-7.

Downloads

Publicado

2016-06-10

Como Citar

Gondim, C. G., Moura, W. V. B. de, Lucena, R. G. R. de, Silva, B. R. da, Vasconcelos, H. M., & Aguiar, A. S. W. de. (2016). Saúde bucal de pacientes internados em hospital de emergência. Arquivos Em Odontologia, 48(4). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/arquivosemodontologia/article/view/3619

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)