Folheto educativo melhora o conhecimento de pais frente ao traumatismo alvéolo-dentário?

Autores

  • Márjori Frítola Universidade Federal do Paraná - UFPR
  • Ana Carolina Fernandes Couto Universidade Federal do Paraná - UFPR
  • Denise Spinardi Universidade Federal do Paraná - UFPR
  • Mônica Carmen Junkes Universidade Federal do Paraná - UFPR
  • Fabian Calixto Fraiz Universidade Federal do Paraná - UFPR
  • Fernanda de Morais Ferreira Universidade Federal do Paraná - UFPR

Resumo

Objetivo: Este estudo teve como objetivo verificar a eficácia de um folheto educativo para melhorar o nível de conhecimento sobre o pronto-atendimento em casos de traumatismo alvéolo-dentário (TAD) por pais/responsáveis de crianças de até 12 anos. Materiais e Métodos: Uma amostra de 257 pais/responsáveis de crianças de até 12 anos de idade que faziam acompanhamento em Unidades de Saúde do Município de Colombo (PR) entre junho e setembro de 2012 respondeu a questionários com dados demográficos e socioeconômicos e sobre atitudes no prontoatendimento de casos de TAD (QTAD). O QTAD é um questionário autoaplicado, composto por 10 perguntas de múltipla escolha referentes a situações de avulsão, intrusão, extrusão e fratura na dentição decídua e permanente e foi aplicado antes (QTAD1) e imediatamente após (QTAD2) a leitura do folheto educativo. O folheto educativo se baseou nas orientações da Sociedade Brasileira de Traumatologia Dentária, continha instruções sobre como proceder diante de casos de TAD e possuía ilustrações coloridas das situações, linguagem simples e direta. Resultados: Após a leitura do folheto, houve aumento no escore total do QTAD (Teste de Wilcoxon, p < 0,001) e na frequência de acertos para a maioria das questões individuais, sendo o aumento mais expressivo para respondentes jovens (rs = -0,127, p = 0,042), com maior escolaridade (Teste de Mann-Whitney, p < 0,001), maior renda (rs = 0,135, p = 0,030) e menor escore em QTAD1 (rs = -0,524, p < 0,001). Conclusão: O folheto educativo mostrou-se um instrumento válido para melhorar o conhecimento de pais/responsáveis sobre o pronto-atendimento em casos de TAD em crianças.

Descritores: Educação em saúde bucal. Traumatismos dentários. Conhecimento. Criança. Pais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márjori Frítola, Universidade Federal do Paraná - UFPR

Curso de Odontologia, Faculdade de Odontologia, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba, Paraná, Brasil

Ana Carolina Fernandes Couto, Universidade Federal do Paraná - UFPR

Curso de Odontologia, Faculdade de Odontologia, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba, Paraná, Brasil

Denise Spinardi, Universidade Federal do Paraná - UFPR

Programa de Pós-Graduação em Odontologia, Departamento de Estomatologia, Faculdade de Odontologia, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba, Paraná, Brasil

Mônica Carmen Junkes, Universidade Federal do Paraná - UFPR

Departamento de Estomatologia, Faculdade de Odontologia, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba, Paraná, Brasil

Fabian Calixto Fraiz, Universidade Federal do Paraná - UFPR

Departamento de Estomatologia, Faculdade de Odontologia, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba, Paraná, Brasil

Fernanda de Morais Ferreira, Universidade Federal do Paraná - UFPR

Departamento de Estomatologia, Faculdade de Odontologia, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba, Paraná, Brasil

Referências

1. Fernandes DSC, Klein GV, Lippert AO, Medeiros NG, Oliveira RP. Motivo do atendimento odontológico na primeira infância. Stomatos. 2010;16(30):4-10.
2. Oliveira MSB, Carneiro MC, Amorim TM, Maia VN, Alvarez AV, Vianna MIP, et al. Contexto familiar, traumatismo dentário e oclusopatias em crianças em idade pré-escolar: ocorrência e fatores associados. Rev Odontol UNESP. 2010;39(2):81-8.
3. Viegas CM, Scarpelli AC, Carvalho AC, Ferreira FM, Pordeus IA, Paiva SM. Predisposing factors for traumatic dental injuries in Brazilian preschool children. Eur J Paediatr Dent. 2010;11(2):59-65. 4. Kramer PF, Gomes CS, Ferreira SH, Feldens CA, Viana ES. Traumatismo na dentição decídua e fatores associados em pré-escolares do município de Canela/RS. Pesqui Bras Odontopediatria Clin Integr. 2009;9(1):95-100.
5. Kawabata CM, Sant’anna GR, Duarte DA, Mathias MF. Estudo de Injúrias Traumáticas em Crianças na Faixa Etária de 1 a 3 Anos no Município de Barueri, São Paulo, Brasil. Pesq Bras Odontoped Clin Integr. 2007;7(3):229-33.
6. Damé-Teixeira N, Alves LS, Susin C, Maltz M. Traumatic dental injury among 12-year-old South Brazilian schoolchildren: prevalence, severity, and risk indicators. Dent Traumatol. 2013;29(1):52-8.
7. Mota LQ, Targino AGR, Lima MGGC, Farias JFG, Silva ALA, Farias FFG. Estudo do traumatismo dentário em escolares do município de João Pessoa, PB, Brasil. Pesqui Bras Odontopediatria Clin Integr. 2011;11(2):217-2.
8. Silveira JLGC, Bona AJ, Arruda JAB. Traumatismos dentários em escolares de 12 anos do município de Blumenau, SC, Brasil. Pesqui Bras Odontopediatria Clin Integr. 2010;10(1):23-6.
9. Traebert J, Marcon KB, Lacerda JT. Prevalência de traumatismo dentário e fatores associados em escolares do município de Palhoça (SC). Ciênc Saúde Coletiva. 2010;15(1):1849-55.
10. Traebert J, Facenda F, Lacerda JT. Prevalência e necessidade de tratamento devido ao traumatismo dentário em escolares de Joaçaba, SC. Rev Fac Odontol Porto Alegre. 2008;49(3):14-6.
11. Traebert J, Almeida ICS, Garghetti C, Marcenes W. Prevalência, necessidade de tratamento e fatores predisponentes do traumatismo na dentição permanente de escolares de 11 a 13 anos de idade. Cad Saúde Pública. 2004;20(2):403-10.
12. Gassner R, Bösch R, Tuli T, Emshoff R. Prevalence of dental trauma in 6000 patients with facial injuries: Implications for prevention. Oral Surg Oral Med Oral Pathol Oral Radiol Endod. 1999;87(1):27-33.
13. Sousa DL, Moreira Neto JJS, Gondim JO, Bezerra Filho JG. Prevalência de trauma dental em crianças atendidas na Universidade Federal do Ceará. Rev Odonto Ciênc. 2008;23(4):355-9.
14. Granville-Garcia AF, Menezes VA, Lira PIC. Prevalência e fatores sociodemográficos associados ao traumatismo dentário em préescolares. Odontol Clín-Cient. 2006;5(1):57-64.
15. Arikan V, Sönmez H. Knowledge level of primary school teachers regarding traumatic dental injuries and their emergency management before and after receiving an informative leaflet. Dent Traumatol. 2012;28(2):101–7.
16. Araújo TPB, Nogueira LLA, Carvalho FP, Gomes IL, Souza SFC. Avaliação do conhecimento de pais e educadores de escolas públicas do município de São Luis, MA, sobre avulsão dental. Pesqui Bras Odontopediatria Clin Integr. 2010;10(3):371-6.
17. Santos MESM, Palmeira PTSS, Soares DM, Souza CMA, Maciel WV. Nível de conhecimento dos estudantes de Enfermagem, Educação Física e Odontologia sobre traumatismo alvéolo-dentario do tipo avulsão: estudo preliminar. Rev Cir Traumatol Buco-Maxilo-Fac. 2009;9(3):105-12.
18. Stangler ML, Echer R, Vanni JR. Avaliação quantitativa do conhecimento dos estagiários do curso de Pedagogia – UPF sobre avulsão-reimplante. RFO UPF. 2002;7(1):23-8.
19. Souza-Filho FJ, Soares AJ, Gomes BPFA, Zaia AA, Ferraz CCR, Almeida JFA. Avaliação das injúrias dentárias observadas no Centro de Trauma Dental da Faculdade de Odontologia de Piracicaba – Unicamp. RFO UPF. 2009;14(2):111-6.
20. Ozer S, Yilmaz EI, Bayrak S, Tunc ES. Parental knowledge and attitudes regarding the emergency treatment of avulsed permanent teeth. Eur J Dent. 2012;6(4):370-5.
21. Hanan SA, Costa SK. Conhecimento dos professores de 1ª a 4ª série de escolas públicas municipais de Manaus/AM frente à avulsão dentária. Pesqui Bras Odontopediatria Clin Integr. 2010;10(1):27-33.
22. Bittencourt AM, Pessoa OF, Silva JM. Avaliação do conhecimento de professores em relação ao manejo da avulsão dentária em crianças. Rev
Odontol UNESP. 2008;37(1):15-9.
23. Freitas DA, Freitas VA, Antunes SLNO, Crispim RR. Avaliação do conhecimento de acadêmicos de Educação Física sobre avulsão/reimplante dentário e a importância do uso de protetor bucal durante atividades físicas. Rev Bras Cir Cabeça Pescoço. 2008;37(4):215-8.
24. Moreira MF, Nóbrega MML, Silva MIT. Comunicação escrita: contribuição para a elaboração de material educativo em saúde. Rev Bras Enferm. 2003;56(2):184-8.
25. Young C, Wong KY, Cheung LK. Effectiveness of educational poster on knowledge of emergency management of dental trauma–part 1. Cluster randomized controlled trial for primary and secondary school teachers. Plos One. 2013;8(9):1-8.
26. Gimeniz-Paschoal SR, Pereira DM, Nascimento EM. Efeito de ação educativa sobre o conhecimento de familiares a respeito de queimaduras infantis em ambiente doméstico. Rev Latinoam Enferm. 2009;17(3):56-62.
27. Sociedade Brasileira de Traumatologia Dentária. Campanha de educação e prevenção do trauma dentário. [Internet]. 2007 [acesso em 2012 mai 3]. Disponível em: http://www.sbtd.org.br/paciente.asp.
28. Carthery-Goulart MT, Anghinah R, Areza-Fegyveres R, Bahia VS, Brucki SM, Damin A, et al. Performance of a Brazilian population on the test of functional health literacy in adults. Rev Saúde Pública. 2009;43(4):631-8.
29. Silva ARV, Zanetti ML, Forti AC, Freitas RWJF, Hissa MN, Damasceno MMC. Avaliação de duas intervenções educativas para a prevenção do diabetes mellitus tipo 2 em adolescentes. Texto Contexto-Enferm. 2011;20(4):782-7.

Downloads

Publicado

2016-06-14

Como Citar

Frítola, M., Couto, A. C. F., Spinardi, D., Junkes, M. C., Fraiz, F. C., & Ferreira, F. de M. (2016). Folheto educativo melhora o conhecimento de pais frente ao traumatismo alvéolo-dentário?. Arquivos Em Odontologia, 50(4). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/arquivosemodontologia/article/view/3662

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)