Cárie dentária em crianças com paralisia cerebral e sua relação com a sobrecarga dos cuidadores

  • Ana Carolina Oliveira Lemos Universidade de Pernambuco – UPE
  • Cintia Regina Tornisiello Katz Universidade Federal de Pernambuco – UFPE

Resumo

Objetivo: Este estudo transversal objetivou avaliar a ocorrência de cárie dentária em 167 crianças de 6 a 12 anos de idade com paralisia cerebral e sua relação com a sobrecarga dos cuidadores. Métodos: Os dados foram coletados através de questionários e exames clínicos. A sobrecarga dos cuidadores foi avaliada
utilizando-se a Escala de Avaliação da Sobrecarga do Cuidador - Burden Interview. Para a análise estatística foram utilizados os testes Qui-quadrado de Pearson, Exato de Fisher, F(ANOVA) e Student t-test. Resultados:
A maioria das crianças apresentou paralisia cerebral do tipo espástica (70,7%). As prevalências de cárie foram 61,1% e 26,3% para as dentições decídua e permanente, respectivamente. A maioria dos cuidadores apresentou algum nível de sobrecarga (80,5%), sendo que o maior percentual apresentou sobrecarga leve à moderada (55,0%) e 25,5% apresentaram sobrecarga moderada a severa. Verificou-se que as médias do índice CPO-D e de dentes permanentes cariados foi maior entre os que tinham hemiparesia e menor entre
os que tinham quadriparesia, com diferença significativa entre essas duas categorias (p=0,004). A ocorrência de cárie dentária não foi associada à sobrecarga dos cuidadores (p=0,881 para a dentição decídua e p=0,144
para a dentição permanente). A sobrecarga do cuidador foi associada à escolaridade (p=0,044) e à região de procedência (p=0,001). Conclusão: Nesta população, a cárie está mais relacionada aos problemas inerentes
aos comprometimentos da paralisia cerebral, do que às dificuldades da rotina do cuidador. Sugere-se que estratégias mais humanizadas de acolhimento aos cuidadores sejam traçadas, visando à abordagem integral dos pacientes com paralisia cerebral e suas famílias.
Descritores: Paralisia cerebral. Cárie dentária. Cuidadores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Carolina Oliveira Lemos, Universidade de Pernambuco – UPE

Mestre em Odontologia/Odontopediatria. Departamento de Odontologia Social da Faculdade de Odontologia de Pernambuco da Universidade de Pernambuco – FOP/UPE, Recife, Pernambuco, Brasil.

Cintia Regina Tornisiello Katz, Universidade Federal de Pernambuco – UFPE

Doutora em Odontologia/Odontopediatria. Departamento de Clínica e Odontologia Preventiva da Universidade Federal de Pernambuco – UFPE, Recife, Pernambuco, Brasil.

Referências

1. Dougherty NJ. A review of cerebral palsy for the oral health professional. Dent Clin North Am. 2009; 53:329-38.
2. Pakula AT, Braun KVN, Yeargin-Allsopp M. Cerebral palsy: classification and epidemiology. Phys Med Rehabil Clin N Am. 2009; 20:425-52.
3. De Camargo MAFD, Antunes JLF. Untreated dental caries in children with cerebral palsy in the Brazilian context. Int J Pedriatr Dent. 2008;
18:131-8.
4. Raina P, O’Donnell M, Schwellnus H, Rosenbaum P, King G, Brehaut J, et al. Caregiving process and caregiver burden: conceptual models to guide research and practice. BMC Pediatr. 2004; 4:1- 13.
5. Ones K, Yilmaz E, Centinkaya B, Caglar N. Assessment of the quality of life of mothers of children with cerebral palsy (primary caregivers).
Neurorehabil Neural Repair. 2005; 19:232-7.
6. Raina P, O’Donnell M, Rosenbaum P, Brehaut J, Walter SD, Russell D, et al. The health and well-being of caregivers of children with cerebral
palsy. Pediatrics. 2005; 115:626-36.
7. Cardoso AM, Gomes LN, Silva CR, Soares RS, Abreu MH, Padilha WW, et al. Dental caries and periodontal disease in Brazilian children and
adolescents with cerebral palsy. Int J Environ Res Public Health. 2014;12:335-53.
8. Brehaut JC, Kohen DE, Raina P, Walter SD, Russell DJ, Swinton M, et al. The health of primary caregivers of children with cerebral palsy: how does it compare with that of other Canadian caregivers? Pediatrics. 2004; 114:182- 91.
9. Lim J; Zebrack B. Caring for family members with chronic physical illness: a critical review of cavegiver literature. Health Qual Life Outcomes. 2004; 2:1-9.
10. González F; Graz A; Pitiot D; Podestá J. Sobrecarga del cuidadores de personas com lesiones neurológicas. Rev. Hospital JM Ramos
Mejla. 2004; 9:1-22.
11. Santos MTBR, Biancardi M, Guare RO, Jardim JR. Caries prevalence in patients with cerebral palsy and the burden of caring for them. Spec
Care Dentist. 2010; 30:206-10.
12. Santos AADS, Vargas MM, Oliveira CCDC, Macedo IDAB. Avaliação da sobrecarga dos cuidadores de criança com paralisia cerebral.
Cienc Cuid Saúde. 2010; 9:503-9.
13. Zarit SH, Zarit JM. The memory and behavior problems checklist – 1987R and the Burden Interview (technical report). University Park
(PA): Pennsylvania State University, 1987.
14. Scazufca M. Brazilian version of the Burden interview scale for the assessment of burden of care in carers of people with mental illnesses. Rev Bras Psiquiatr. 2002; 24:12-7.
15. Donnell D, Sheiham A, Wai YK. Dental findings in 4-, 14- and 25- to 35- year-old Hong Kong residents with mental and physical disabilities.
Spec Care Dent. 2002;22:232-4.
16. Santos MTR, Masiero D, Novo MF, Simionato MR. Oral Conditions in children with cerebral palsy. J Dent Child. 2003; 70:40-6.
17. Vasquez CR, Garcillan MR, Rioboo R, Bratos E. Prevalence of dental caries in an adult population with mental disabilities in Spain. Spec Care
Dentist. 2002; 22:65-9.
18. Colver A. Benefits of a population register of children with cerebral palsy. Indian Pediatric. 2003; 40:639-44.
19. Guare RO; Ciampione AL. Dental caries prevalence in primary dentition of cerebral palsied children. J Clin Pedriatr Dent; 2003; 27:287-92.
20. Johnson A. Prevalence and characteristics of children with cerebral palsy in Europe. Dev Med Child Neurol. 2002; 44:633-40.
21. Santos MT, Masiero D, Simionato MR. Risk factors for dental caries in children with cerebral palsy. Spec Care Dent. 2002; 22:103-7.
22. Guerreiro PO; Garcias GDL. Diagnóstico das condições de saúde bucal em portadores de paralisia cerebral do município de Pelotas, Rio
Grande do Sul, Brasil. Ciên e Saúde Coletetiva. 2009; 14:1939-46.
23. Du RY, McGrath C, Yiun CKY, King NM. Oral health in preschool children with cerebral palsy: a case-control community-based study. Int J
Pedriatr Dent. 2010; 20:330-5.
24. Pope JE, Curzon ME. The dental status of cerebral palsied children. Pediatr Dent. 1991; 13:156-62.
25. Nielsen LA. Caries among children with cerebral palsy: relation to CP-diagnosis, mental and motor handicap. ASDCJ Dent Child. 1990; 57:267-73.
26. Brasil, Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Projeto SB Brasil 2003. Condições de saúde bucal da população brasileira 2002-2003: resultados principais. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.
27. Roncalli, AG. Projeto SB Brasil 2010 - pesquisa nacional de saúde bucal revela importante redução da cárie dentária no país [editorial]. Cad. Saúde Pública. 2011; 27:4-5
28. Mobarak R, Khan NZ, Munir S, Zamar SS, Mcconachie H. Predictors of stress in mothers of children with cerebral palsy in Bangladesh. J
Pedriatr Psychol. 2000; 25:427-33.
Publicado
2016-07-18
Como Citar
Lemos, A. C. O., & Katz, C. R. T. (2016). Cárie dentária em crianças com paralisia cerebral e sua relação com a sobrecarga dos cuidadores. Arquivos Em Odontologia, 52(2). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/arquivosemodontologia/article/view/3698
Seção
Artigos