Características dos dentifrícios infantis disponíveis no mercado brasileiro

  • Pedro Henrique José Roza Universidade Federal de Pernambuco, Camaragibe, Pernambuco, Brasil.
  • Liana Peixoto Carvalho Studart Faculdade de Odontologia de Pernambuco da Universidade de Pernambuco, Camaragibe, Pernambuco, Brasil.
  • Cíntia Regina Tornisiello Katz Universidade Federal de Pernambuco, Camaragibe, Pernambuco, Brasil.

Resumo

Objetivo: Avaliar as características dos dentifrícios infantis disponíveis no mercado brasileiro de acordo com sua apresentação comercial, disponibilidade e preços. Métodos: O estudo foi realizado através da obtenção dos dentifrícios em estabelecimentos comerciais de representação nacional da cidade do Recife/PE, e subsequente análise das embalagens. Resultados: Foram encontradas 21 marcas comerciais de dentifrícios infantis de 10 fabricantes, sendo 12 (57,2%) com fluoreto e 9 (42,8%) sem fluoreto. Dos dentifrícios fluoretados, com exceção de dois, todos apresentaram concentrações acima de 1000 ppm de flúor. Os preços variaram entre R$ 2,25 e R$ 18,40. Todos se apresentaram na forma de gel, sendo a maioria com sabores atrativos para crianças (81,0%) e coloridos (71,4%). Pouco mais da metade forneciam orientações sobre a idade e recomendavam manter fora do alcance das crianças. Conclusão: Verificou-se a ampla oferta de dentifrícios infantis, sendo a maioria fluoretados. Não houve diferença na disponibilidade de dentifrícios com e sem fluoreto. Em geral os dentifrícios sem fluoreto foram os de maior preço. Todos apresentaram algum tipo de apelo publicitário, sendo que os com sabor de “frutas naturais”, sem corantes e/ou com personagens de maior apelo publicitário, apresentaram maiores preços. Verificou-se falta de regulamentação e padronização das informações aos responsáveis.

Descritores: Dentifrícios. Flúor. Cárie dentária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Henrique José Roza, Universidade Federal de Pernambuco, Camaragibe, Pernambuco, Brasil.

Cirurgião-dentista graduado pela Universidade Federal de Pernambuco, Camaragibe, Pernambuco, Brasil.

Liana Peixoto Carvalho Studart, Faculdade de Odontologia de Pernambuco da Universidade de Pernambuco, Camaragibe, Pernambuco, Brasil.

Mestre e doutoranda em Odontopediatria pela Faculdade de Odontologia de Pernambuco da Universidade de Pernambuco, Camaragibe, Pernambuco, Brasil.

Cíntia Regina Tornisiello Katz, Universidade Federal de Pernambuco, Camaragibe, Pernambuco, Brasil.

Professora adjunta do Departamento de Clínica de Odontologia Preventiva da Universidade Federal de Pernambuco, Camaragibe, Pernambuco, Brasil.

Referências

1. Magalhães AC, Moron BM, Comar LP, Buzalaf MAR. Uso racional dos dentifrícios. Rev Gaúcha Odontol. 2011; 59:615-25.
2. Cury JA, Tenuta LM, Ribeiro CC, Paes Leme AF. The importance of fluoride toothpastes to the current dental caries prevalence in Brazil. Braz
Dent J. 2004; 15:167-74.
3. Cury JA, Caldarelli PG, Tenuta LM. Necessidade de revisão da regulamentação brasileira sobre dentifrícios fluoretados. Rev Saúde Pública. 2015; 49:74.
4. Cury JA, Tenuta LM. Evidências para uso de fluoretos em Odontologia [Internet]. [acesso em 2015 dec15]. Disponível em: http://www.colgateprofissional.com.br/leardshipbr/professionalEducaction/articles/resources/pdf/OBE4_Fluoretos.pdf.
5. Santos AP, Nadanovsky P, de Oliveira BH. A systematic review and meta-analysis of the effects of fluoride toothpastes on the prevention of dental caries in the primary dentition of preschool children.
Community Dent Oral Epidemiol. 2013; 41:1-12.
6. Marinho VC, Higgins JP, Sheiham A, Logan S. Fluoride toothpastes for preventing dental caries in children and adolescents. Cochrane Database
Syst Rev. 2003; 1:34-7.
7. American Academy of Pediatrics. Preventive oral health intervention for pediatricians. Pediatrics. 2008; 122:1387-94.
8. American Academy of Pediatric Dentistry. Guideline on fluoride therapy. Pediatr Dent. 2008; 30 Suppl 7:121-4.
9. Oliveira BH, Santos APP, Nadanovsky P. Sobre de dentifrício fluoretado por pré-escolares: o que os pediatras precisam saber. Rev Resid Pediatr.
2012; 12:12-9.
10. Chedid, SJ, Tenuta LMA, Cury JA. O uso de fluoretos em Odontopediatria fundamentado em evidências. In: Coutinho L Bönecker M.
Odontopediatria para o pediatra. São Paulo: Atheneu; 2013. p. 419-30.
11. American Academy of Pediatric Dentistry. American Academy of Pediatric Dentistry reference manual 2011-2012. Pediatr
Dent. 2011; 33:1–349.
12. American Dental Association. Fluoride toothpaste use for young children. J Am Dent Assoc. 2014; 145: 190-1.
13. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Secretaria de Atenção Básica, Guia de recomendações para o uso de fluoretos no Brasil. Brasília; 2009.
14. França S. Dentifrícios fluoretados: equilíbrio entre benefícios e riscos. Rev Assoc Paul Cir Dent. 2012; 66:6-7.
15. Blank, D. Entendimento dos médicos pediatras na recomendação de cremes dentais na primeira infância. Rev Fac Odontol. 2012; 53:36-40.
16. Walsh T, Worthington HV, Glenny AM, Appelbe P, Marinho VC, Shi X. Fluoride toothpastes of different concentrations for preventing dental caries in children and adolescents. Cochrane Database Syst Rev. 2010; (1):CD007868.
17. Scabar LF, Manfedini MA, Armonia PL, Narvai PC, Frazão P. Frequência de uso de creme dental segundo renda e escolaridade: uma revisão sistemática. J Health Sci Inst. 2014; 32:318-25.
18. Spear CS, Savisky LA. A study of children’s taste and visual preferences in toothpastes. ASDC J Dent Child. 1991; 58:300-2.
19. Lima NHL, Martins CC, Paiva SM. Apresentação comercial de dentifrícios convencionais e infantis presentes no mercado brasileiro. Pesqui Bras
Odontopediatria Clin Integr. 2005; 5:141-9.
20. Kobayashi CA, Belini MR, Italiani FM, Pauleto AR, Araujo JJ, Tessarolli V et al. Factors influencing fluoride ingestion from toothpaste by children. Community Dent Oral Epidemiol. 2011; 39:426-32.
21. Ellwood RP, Cury JA. How much toothpaste should a child under the age of 6 years use? Eur Arch Paediatr Dent. 2009; 10:168-74.
22. Villena RS. An investigation of the transverse technique of toothpaste application to reduce theamount of fluoride toothpaste for young children.
Pediatr Dent. 2000; 22:312-7.
23. Warren JJ, Levy SM, Broffitt B, Cavanaugh JE, Kanellis MJ, Weber-Gasparoni K. Considerations on optimal fluoride intake using dental fluorosis and dental caries outcomes--a longitudinal study.
J Public Health Dent. 2009; 69:111-5.
24. Tenuta LM, Chedid SJ, Cury JA. Uso de fluoretos em odontopediatria - mitos e evidências. In: Maia LC, Primo LG. Odontologia integrada na
infância. São Paulo: Santos; 2012. p.153-77.
25. Wong MC, Glenny AM, Tsang BW, Lo EC, Worthington HV, Marinho VC. Topical fluoride as a cause of dental fluorosis in children. Cochrane
Database Syst Rev. 2010; (1):CD007693.
26. Buzalaf MA, Cardoso CA, Magalhães AC. Low-fluoride toothpastes may not lead to dental fluorosis but may not control caries development.
Standard fluoride toothpastes can control caries development but may lead to dental fluorosis. J Evid Based Dent Pract. 2013; 13:148-50.
Publicado
2017-08-18
Como Citar
Roza, P. H. J., Studart, L. P. C., & Katz, C. R. T. (2017). Características dos dentifrícios infantis disponíveis no mercado brasileiro. Arquivos Em Odontologia, 52(4). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/arquivosemodontologia/article/view/3718
Seção
Artigos