ANÁLISE TEMPORAL DA COBERTURA VEGETAL DO PARQUE NACIONAL DA SERRA DO CIPÓ(MG) UTILIZANDO A TÉCNICA DE NDVI

  • Glória Ramos Soares IGC/UFMG

Resumo

Mudanças na paisagem, como a destruição de habitats e fragmentação da paisagem, estão entre as pressões ambientais mais severas à biodiversidade. Existem diversas técnicas que auxiliam na identificação destas transformações da paisagem como comparação pós-classificação, diferença e razão de imagem, diferença de índice de vegetação, análises de componentes principais e análise de vetor de mudança. O NDVI identifica o grau de verde da superfície terrestre ocupada pela vegetação, resultado da combinação dos níveis de reflectância nas imagens de satélite. O objetivo deste artigo foi avaliar e quantificar mudanças na paisagem ocorridas no Parque Nacional da Serra do Cipó (MG) nos últimos 30 anos através de imagens de satélite Landsat de períodos distintos. Dos 351.445 pixels classificados na imagem da diferença NDVI 2011 – NDVI 1985, 26.853 representaram regeneração contra 23.964 de desmatamento. Cerca de 85% da paisagem não sofreu alteração (300.638 pixels) indicando que a criação do PARNA Cipó foi eficiente na conservação da vegetação. A utilização desta técnica possibilita retratar a condição de degradação sofrida pelo parque ao longo dos 26 anos de criação por retirada de cobertura vegetal, principalmente nas bordas, e ocorrência de processos erosivos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-05-11
Seção
Artigos