A GESTÃO COMUNITÁRIA DA ÁGUA: CAMINHOS PARA PROMOÇÃO DA JUSTIÇA HÍDRICA E MITIGAÇÃO DE CONFLITOS SOCIOAMBIENTAIS

  • Natália Duarte Cáceres IGC/UFMG
  • Brenner Henrique Maia Rodrigues IGC/UFMG
Palavras-chave: conflitos ambientais; justiça hídrica; recursos hídricos

Resumo

A demanda por uma análise abrangente das problemáticas ambientais e de justiça social encontra-se no âmago das lutas dos movimentos pela justiça ambiental, surgidos na América Latina entre os anos 1990 e 2000. Não é possível estudar as crises ambientais de forma separada e desconexa dos conflitos e contextos socioeconômicos. O presente trabalho busca analisar se a gestão comunitária da água é um modelo de abastecimento capaz de alterar a distribuição desigual desse recurso, mitigando conflitos ambientais, avaliando diferentes perspectivas a respeito da participação da comunidade na gestão de um recurso específico: a água. Para tanto, discute-se como a gestão comunitária da água pode ser uma estratégia para a reversão da injustiça hídrica a luz de exemplos da Bolívia, Colômbia, Equador e Peru. Apesar de os conceitos de governança, participação comunitária e descentralização serem manipulados com o objetivo de facilitar a inserção dos recursos naturais no mercado global, essas mesmas estratégias, nas mãos das comunidades e de movimentos locais, contribuem para a promoção de uma justiça ambiental ou, como analisado no presente trabalho, a justiça hídrica.

Publicado
2019-06-13
Seção
Artigos