PREVALÊNCIA DE DIARREIA NA BACIA DO RIO DOCE ENTRE 2014 E 2016: POSSÍVEIS RELAÇÕES COM O DESASTRE AMBIENTAL EM MARIANA-MG.

  • Thiago Juarez Ferreira de Araújo IGC/UFMG
Palavras-chave: Bacia hidrográfica, doenças, Índice de Moran, Minas Gerais, Espírito Santo

Resumo

O rompimento da barragem de Fundão no município de Mariana-MG, ocorrido no dia 5 de novembro de 2015, trouxe consequências socioambientais graves e bastante onerosas em escala regional. Dentre essas consequências, destacam-se os riscos de doenças de veiculação hídrica, como a diarreia, causada principalmente pela ingestão de água e alimentos contaminados. Dessa forma, o presente estudo tem por objetivo realizar uma análise socioespacial dos municípios pertencentes à bacia do rio Doce, averiguando alterações nos casos de internações por diarreia, entre 2014 a 2016. Além disso, pretende-se analisar se o rompimento ocorrido na barragem em Mariana pode ter causado alguma influência de internações nos municípios cuja captação de água foi comprometida nesse período. Através de técnicas de análise exploratória de autocorrelação espacial (teste I de Moran). Os resultados obtidos revelaram o aumento na taxa de internações por diarreia em alguns municípios abastecidos pelo rio Doce, e que essa alteração pode estar associada ao desastre ambiental ocorrido em Mariana-MG.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-02-03
Seção
Artigos