Correlações entre chuvas e movimentos de massa no município de Belo Horizonte, MG

Autores

  • Maria Giovana Parizzi Universidade Federal de Minas Gerais
  • Cristiane Silva Sebastião URBEL – Cia. Urbanizadora de Belo Horizonte - Prefeitura Municipal de Belo Horizonte
  • Cláudia de Sanctis Viana URBEL – Cia. Urbanizadora de Belo Horizonte - Prefeitura Municipal de Belo Horizonte
  • Marcelo de Carvalho Pflueger URBEL – Cia. Urbanizadora de Belo Horizonte - Prefeitura Municipal de Belo Horizonte
  • Luciane de Castro Campos URBEL – Cia. Urbanizadora de Belo Horizonte - Prefeitura Municipal de Belo Horizonte
  • Joana Maria Drumond Cajazeiro
  • Rodolfo Sena Tomich
  • Roberta Nunes Guimarães
  • Magda Luzimar de Abreu Universidade Federal de Minas Gerais
  • Frederico Garcia Sobreira Universidade Federal de Ouro Preto https://orcid.org/0000-0002-8507-8573
  • Ruibran dos Reis CEMIG - Cia. Energética de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-549X..13296

Palavras-chave:

Chuva, Escorregamento, Correlação

Resumo

Este trabalho estabelece uma correlação entre taxas de precipitação e escorregamentos na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais. A correlação foi desenvolvida durante dois períodos chuvosos, relativos aos anos de 2006/2007 e 2007/2008. Foram utilizados instrumentos do tipo pluviômetros automáticos, instalados em diferentes áreas de Belo Horizonte, caracterizadas por possuírem terrenos instáveis e susceptíveis aos processos de escorregamentos. Em Belo Horizonte predominam solos residuais de gnaisse, xistos, filitos e depósitos de tálus. Todos estes materiais são susceptíveis a escorregamentos porém a susceptibilidade varia entre eles. Os depósitos superficiais em contato com xistos e filitos são os mais susceptíveis, seguidos pelos filitos alterados e por último os solos residuais de gnaisse. As ocorrências de escorregamentos registradas nos períodos foram comparadas aos registros de pluviosidade, tanto o de chuvas acumuladas antes dos escorregamentos, quanto o de intensidade da chuva no dia do desencadeamento dos eventos. Numerosas ocorrências de escorregamento estão associadas, predominantemente, a eventos de chuva excepcional. Precipitações acumuladas por três dias acima de 100 mm já são desencadeadoras de escorregamentos, entretanto, todos os dias com mais de 6 ocorrências de processos também foram associados com intensa chuva diária (alta pluviosidade em poucas horas).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Giovana Parizzi, Universidade Federal de Minas Gerais

Instituto de Geociências - IGC, Departamento de Geologia, Doutora.

Cristiane Silva Sebastião, URBEL – Cia. Urbanizadora de Belo Horizonte - Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Mestranda UFOP.

Cláudia de Sanctis Viana, URBEL – Cia. Urbanizadora de Belo Horizonte - Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Mestre DESA/UFMG.

Marcelo de Carvalho Pflueger, URBEL – Cia. Urbanizadora de Belo Horizonte - Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Luciane de Castro Campos, URBEL – Cia. Urbanizadora de Belo Horizonte - Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Mestranda ETG/UFMG.

Joana Maria Drumond Cajazeiro,

Mestranda, pós-graduação - Universidade Federal de Minas Gerais, Depto. de Geografia.

Rodolfo Sena Tomich,

Bolsista de iniciação científica, graduação geologia – IGC/UFMG.

Roberta Nunes Guimarães,

Bolsista de iniciação científica, graduação geologia – IGC/UFMG.

Magda Luzimar de Abreu, Universidade Federal de Minas Gerais

Instituto de Geociências - IGC, Departamento de Geografia, Doutora.

Frederico Garcia Sobreira, Universidade Federal de Ouro Preto

Departamento de Engenharia Ambiental, Doutor.

Ruibran dos Reis, CEMIG - Cia. Energética de Minas Gerais

Doutor.

Referências

ABREU, M. L. Climatologia da estação chuvosa de Minas Gerais: de Nimer (1977) à Zona de Convergência do Atlântico Sul. Revista Geonomos, Belo Horizonte, v. 6, n. 2, p. 17-22, dez. 1998.

ABREU, M.L., Moreira, A. A. M., Lucio P. S., Toscano, E. M. M. 1998. Avaliação Estatística do Comportamento Temporal de Variáveis Climatológicas de Belo Horizonte - MG (Brasil). In: Congresso Brasileiro de Meteorologia, Brasília, 1998. Anais - CD-ROM.

ALMEIDA, M. C. J., NAKAZAWA, A., TATIZANA, C. 1993. Análise de correlação entre chuvas e escorregamentos no Município de Petrópolis, RJ. In: Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia, 7, Poços de Caldas, 1993. Anais, 2: 129 – 133.

ANJOS, C. A. M., CERRI, L. E. S., GANDOLFI, N. 1997. Situações de risco e medidas de prevenção de acidentes em encostas ocupadas na cidade de Maceió (AL), Brasil. In: Pan am. Symp. Of Landslides & Braz. Conf. on Slope Stability, 2 PSL/ COBRAE, Rio de Janeiro, 1997. Proceedings, II: 773 – 782.

AUGUSTO FILHO, O. 1995. Escorregamento em encostas naturais e ocupadas: Análise e controle. In: O.,Y., BITAR (ED.) Curso de Geologia Ambiental. 1995. São Paulo, ABGE/IPT, 77-100.

AUGUSTO FILHO, O. 2001. Cartas de risco de escorregamentos quantificadas em ambiente de sig: um ensaio de aplicação em Caraguatatuba (SP), Tese de doutorado, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Brasil. Ano de Obtenção: 2001. 200p.

CAJAZEIRO, J. M. D. ; PARIZZI, M. G. ; NOGUEIRA, C. A. ; ABREU, M. L. DE ; VIANNA, C. S. Chuvas e escorregamentos em Belo Horizonte. In: 2 SIBRADEN Simpósio Brasileiro de desastres naturais e tecnológicos, 2007, Santos. Anais do 2 SIBRADEN. São Paulo : ABGE, 2007. p. 1-12.

CAJAZEIRO , J. M. D. 2007. Correlação de chuvas e escorregamentos em Belo Horizonte. Relatório de Bolsa de Iniciação de Pesquisa –FAPEMIG, 2007, 80 p.

CASTRO, J. M. G. 2006. Pluviosidade e Movimentos de massa nas encostas de Ouro Preto. Dissertação (mestrado em Engenharia civil) – Universidade Federal de Ouro Preto. 2006, 100 p.

ELBACHÁ, A. T., CAMPOS, L. E. P., BAHIA, R. F. C. 1992. Tentativa de correlação entre precipitação e deslizamentos na cidade de Salvador. In: Conferência Brasileira sobre Estabilidade de Encostas, 1a COBRAE, Rio de Janeiro. 1992, Anais, II:647 – 673.

FEIJÓ, R. L., PAES, N. M., D’ORSI, R. N. 2001. Chuvas e movimentos de massa no município do Rio de Janeiro. In: Conferência Brasileira sobre Estabilidade de Encostas, III COBRAE, Rio de janeiro, 2001, Anais, 1: 223 – 230. Fundação Instituto de Geotécnica do município do Rio de Janeiro (RJ). Manual técnico de encostas. 2. ed. Rio de Janeiro: GEORIO, 2000.

GUIDICINI, G., IWASA, O. Y. 1976. Ensaio de correlação entre pluviosidade e escorregamentos em meio tropical úmido. São Paulo, Instituto de Pesquisas Tecnológicas – IPT. 1976. 48p. (Publicação no 1080).

GUSMÃO FILHO, J. A. 1997. Encostas Urbanas: Aspectos ambientais, Sociais e Políticos. In: PanAmerican Symposium of Landslides, 2º COBRAE, 1997. Rio de Janeiro, Anais, 3: 315 – 331.

INFANTI JR., N., FILHO, F. N. 1998. Processos de dinâmica Superficial - In: A. M. S. Oliveira & S. N. A Brito (ed.) Geologia de Engenharia. São Paulo, ABGE, 1998, 131 – 152.

LUCAS, T. P. B; ABREU, M. L. Caracterização climática dos padrões de ventos associados a eventos extremos de precipitação em Belo Horizonte - MG. Cadernos de Geografia, Belo Horizonte, v. 14, n. 23, p. 135-152, 2004.

LUCAS, T. P. B. Chuvas persistentes e ação da Zona de Convergência do Atlântico Sul na Região Metropolitana de Belo Horizonte. 2007. 158 p. Dissertação de Mestrado – Universidade Federal de Minas Gerais, IGC, Belo Horizonte, MG. 2007.

MOREIRA, J. L. B. Universidade Federal de Minas Gerais. Estudo da distribuição espacial das chuvas em Belo Horizonte e em seu entorno [manuscrito]. 2002. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal de Minas Gerais.

Nimer, E.; IBGE. Climatologia do Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, SUPREN, 1979. 421p.

NOGUEIRA, C. A. ; PARIZZI, M. G. ; CAJAZEIRO, J. M. D. ; ABREU, M. L.DE ; VIANNA, C. S. O. Uso de Tensiômetros para monitoramento de áreas de risco em Belo Horizonte. In: 2 SIBRADEN Simpósio Brasileiro de desastres naturais e tecnológicos, 2007, Santos. Anais do 2 SIBRADEN. São Paulo : ABGE, 2007. p. 1-12.

PARIZZI, M. G. 2004. Condicionantes e mecanismos de ruptura em taludes da região Metropolitana de Belo Horizonte, MG. Tese (doutorado) – Universidade Federal de Ouro Preto, 2004. 213 pp.

REICHARDT, K. 1985. Processos de transferência no Sistema Solo- PlantaAtmosfera. 4 ed. Campinas: Fundação Cargill, 1985. 445p.

REIS, R.J., SIMÕES, T.K., 2007. MG Tempo – PUC Minas: Período chuvoso em Belo Horizonte 2006 / 2007. Relatório do Convênio MG - Tempo PUC Minas/PBH, 34p.

REIS, R.J., SIMÕES, T.K., 2008. MG Tempo – PUC Minas: Período chuvoso em Belo Horizonte 2006 / 2007. Relatório do Convênio MG - Tempo PUC Minas/PBH, 34p.

SANTORO, J.; MENDES, R.M.; PRESSINOTI, M.M.N.; MANOEL, G.R.; 2010. Correlação entre chuvas e deslizamentos ocorridos durante a operação do plano preventivo de defesa civil em São Paulo, SP. In: Anais do 7 Simpósio de Cartografia Geotécnica e Geoambiental – 7SBCGG, cd ROM, Agosto, Maringá, Pr. ABGE, UEM, 2010. p 1- 14.

SANTOS, A. R.;2002. Geologia de engenharia: conceitos, método e prática. Associação Brasileira de Geologia de Engenharia ambiental; Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo. São Paulo: ABGE/IPT, 2002. 222p.

Downloads

Publicado

2010-12-01

Como Citar

Parizzi, M. G., Sebastião, C. S., Viana, C. de S., Pflueger, M. de C., Campos, L. de C., Cajazeiro, J. M. D., Tomich, R. S., Guimarães, R. N., Abreu, M. L. de, Sobreira, F. G., & Reis, R. dos. (2010). Correlações entre chuvas e movimentos de massa no município de Belo Horizonte, MG. Revista Geografias, 49–68. https://doi.org/10.35699/2237-549X.13296

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)