Processos de movimentos de massa em Belo Horizonte, MG

Autores

  • Maria Giovana Parizzi Universidade Federal de Minas Gerais
  • Frederico Garcia Sobreira Universidade Federal de Ouro Preto
  • Terezinha Cássia de Brito Galvão Universidade Federal de Minas Gerais
  • Paulo Roberto Antunes Aranha Universidade Federal de Minas Gerais
  • Marcos Antônio Timbó Elmiro Universidade Federal de Minas Gerais
  • Elder Antônio Beirigo Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-549X..13309

Palavras-chave:

Movimentos de massa, Processos, Belo Horizonte

Resumo

O estudo investiga os movimentos de massa em taludes da região de Belo Horizonte, representativos de áreas de grande instabilidade. Na região ocorrem variados tipos de movimentos de massa particulares de três grupos de materiais geológicos distintos. No primeiro grupo, representado por filitos e xistos, o desencadeamento dos processos dependem da disposição, situação de confinamento e intensidade das descontinuidades e do grau de alteração dos maçiços rochosos. Mecanismos como alívio de tensão e a ação conjunta da água no interior dos maciços contribuem para o aumento da predisposição dos taludes à rupturas. No segundo grupo, representado pelos solos residuais de gnaisses, as rupturas ocorrem no interior de feições erosivas já instaladas condicionadas por estruturas reliquiares da rocha mãe. No terceiro grupo, representado por tálus, as rupturas mais comuns ocorrem estimuladas por cortes na base dos taludes. Os movimentos gravitacionais são do tipo fluxo de detritos, escorregamentos planares rasos, escorregamentos circulares sucessivos e rastejamentos. A maioria dos movimentos de massa observados ocorrem de modo progressivo, dependendo das alterações na geometria dos taludes e do grau de intemperismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Giovana Parizzi, Universidade Federal de Minas Gerais

Dra, Universidade Federal de Minas Gerais, Departamento de Geologia.

Frederico Garcia Sobreira, Universidade Federal de Ouro Preto

Dr, Universidade Federal de Ouro Preto, Departamento de Geologia.

Terezinha Cássia de Brito Galvão, Universidade Federal de Minas Gerais

PhD, Universidade Federal de Minas Gerais, Departamento de Geotecnia e Transportes.

Paulo Roberto Antunes Aranha, Universidade Federal de Minas Gerais

Dr, Universidade Federal de Minas Gerais, Departamento de Geologia.

Marcos Antônio Timbó Elmiro, Universidade Federal de Minas Gerais

PhD, Universidade Federal de Minas Gerais, Departamento de Geotecnia e Transportes.

Elder Antônio Beirigo, Universidade Federal de Minas Gerais

Dr, Universidade Federal de Minas Gerais, Departamento de Cartografia.

Referências

ATTEWELL, P. B., Farmer, I. W. 1976. Principles of Engineering Geology. LondonNewYork, Chapman and Hall.1045p.

AUGUSTO Filho, O. 1992. Caracterização geológico-geotécnica voltada à estabilização de encostas: uma proposta metodológica. In: Conferência Brasileira sobre Estabilidade de encostas, 1a COBRAE, Rio de Janeiro. Anais, II:721 – 733.

BALAAM, N. P. 2001 – Slope Stability Analysis – User´s Manual for Program XSlope for Windows. Centre for Geotecnhical Research – University of Sydney, 98p.

BARTON, N., Lien, R., Lunde, J. 1974. Engineering Classification of Rock Masses. Rock Mechanics. 6 (4): 189 – 236.

BIENIAWSKI, Z. T.1989. Engineering rock mass classification. New York: John Wiley. 215p. Bishop, A.W. 1955. The Use of the Slip Circle in the Stability Analysis of Earth Slopes, Geotechnique, (5): 7-17.

BISHOP, A.W., Morgenstern, N. 1960. Stability Coefficients for earth slopes. Geotechnique, 10 (4): 129-147.

CRUDEN, D. M., Varnes, D. J. 1996. Landslides Types and Process. In: Turner, A. K & Schuster (ed.) Landslides – Investigation and Mitigation, Special Report 247, Washington, D.C., R.L.National Academy Press, 36 - 75.

DEERE, D. U., Patton, F. D. 1971. Slope Stability in Residual Soils. State of the art paper. In: Panamerican Conference on Soil Mechanics and Foundation Engineering, 4, San Juan. Proceedings, 1: 87 – 170.

Departamento de Estradas de Rodagem (DER) 1991. Taludes de Rodovias, Orientação para diagnóstico e soluções de seus problemas. São Paulo, 388p.

FERNANDES, C. P., Amaral, C. P. 2000. Movimentos de massa: uma abordagem geológicogeomorfológica. In: A. J. T. Guerra; S. B. Cunha (ed.) Geomorfologia e Meio Ambiente. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 123-186.

FERNANDES, G. 2000. Caracterização Geológico-Geotécnica e propostas de Estabilização da Encosta do Morro do Curral-Centro de Artes e Convenções de Ouro Preto. Escola de Minas, Departamento de Engenharia Civil, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, Dissertação de Mestrado, 136p.

FIORI, A., P., Carmignani, L. 2001. Fundamentos de mecânica dos solos e das rochas, aplicações na estabilidade de taludes. Ed. UFPR. 548p.

FRAZÃO, E. B., Mioto, J. A., Santos, A. R. 1976. O fenômeno de desagregação superficial em rochas argilosas – sua implicação na estabilidade de taludes viários. In: Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia, 1, Rio de Janeiro, Anais, 1:211-228.

GEORIO 2000. Manual Técnico de Encostas. Análise e Investigação, Rio de Janeiro, GeoRio, 253p.

GOMES CORREIA, A. 1988. Revisão da classificação de solos para propósitos de engenharia. Geotecnia, Lisboa. 52: 75-90.

GUIDICINI, G., Nieble, C. M 1976. Estabilidade de Taludes Naturais e de Escavação. São Paulo, Edgard Blücher Ltda & Universidade de São Paulo, 170p.

HOEK, E., Bray, J. 1981. Rock Slope Engineering. London, Institution of Min. Metall & Elsevier Applied Science. 358p Infanti

International Society of Rock Mecanics (ISRM). 1983. Métodos Para a Descrição Quantitativa de Descontinuidades em Maciços Rochosos. São Paulo, ABGE e Comitê Bras. de Mec. das Rochas. 132p. (Tradução no 12.).

Jr., N., Filho, F. N. 1998. Processos de dinâmica superficial - In: A. M. S. Oliveira & S. N. A Brito (ed.) Geologia de Engenharia. São Paulo, ABGE, 131 – 152

KING, L. C. 1953. Canons of Landscape Evolution. Bull. Geolog. Society of America, Washington, v. 64, n. 7, p. 721-732.

KROEGER, E. B. 1999. Slope Stability Software, 1: 1-3, http://www.engr. siu.edu/mining/kroeger

KROEGER, E. B, 2000a. Analysis of plane failures in compound slopes. International Journal of Surface Mining, Reclamation and Environment, 14: 215-222.

KROEGER, E. B. 2000b. The effects of water on Planar Features in Compound Slopes. Environmental & Engineering Geoscience, VI (4): 347-351.

MORGENSTERN, N. R, Matos, M. M, 1975 – Stability of slopes in residual soil. In: Pan American Conference on Soil Mech. and Found. Eng., V, Buenos Aires, Proceedings, III: 367-383.

PARIZZI, M.G. 2004. Condicionantes e Mecanismos de ruptura de taludes da região metropolitana de Belo Horizonte. Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP, tese de doutorado, 213 p.

PARIZZI, M.G. Santos, R.M., Aranha, P.R.A.,Sobreira, F.G.,Galvão, T.C.B.,Oliveira, C.V., Beirigo, E.A. 2005. Micromorfologia de solos e estudos geofísicos aplicados à analise de estabilidade de talude do município de Rio Acima, MG. 11 Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia, Florianópolis, ABGE 2005. – CD rom

PARIZZI, M.G.; Aranha, P.R.A. ; Sobreira, F. G. ; Galvão, T. C. B. 2006 A aplicação do GPR na análise de estabilidade de taludes. Geotecnia - Revista da Sociedade Portuguesa de Geotecnia, Lisboa Portugal, v. 106, p. 23-53.

PARIZZI, MG, Sobreira, F.G., Galvão, T.C.B, 200, Elmiro, M.A.T., 2004. Processos e mecanismos de escorregamentos em filitos alterados e tálus: o caso do Talude Ponteio em Belo Horizonte, Brasil. Solos e RochasRevista Brasileira de Geotécnica, São Paulo, v27, n1.15-24.

PATTON, F. D., Hendron JR., A. J. 1974. General Report on “Mass Movements”. Internacional Congress of the International Association of Engineering Geology, 2, São Paulo, Brazil, Proceedings, 2:V-GR.1–VGR. 57.

PITEAU, D. R., Martin, D. C. 1982. Mechanics of Rock Slope Failure. In: C. O. Brawner (ed.) Stability in Surface Mining. Michigan, Edward Brothers Inc., 113-170.

SANTOS, R. M. 2004. Caracterização Micromorfológica de Materiais Originados de Diferentes Litologias, em Áreas com Ocorrência de Movimentos de Massa na Região de Belo Horizonte e Rio Acima. Instituto de Geociências, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Dissertação de Mestrado, 119p.

SERRA Júnior, E., Ojima, L. M. 1998. Caracterização e Classificação de Maciços Rochosos. In: A. M. S. Oliveira & S. N. A Brito (ed.) Geologia de Engenharia. São Paulo, ABGE, 211 – 226.

SILVA, A. S., Carvalho, E. T, Fantinel, L. M., Romano, A. W., Viana, C. S. 1995. Estudos Geológicos, Hidrogeológicos, Geotécnicos e Geoambientais Integrados no Município de Belo Horizonte. Convênio: PMBH, SMP, FUNDEP/ UFMG. 490p. (Relatório Final).

TERZAGHI, K., Peck, R. B. 1967. Mecânica dos solos na prática da engenharia. 659p. Turner, A. K. 1996. Colluvium and Talus. In: Turner, A. K & Schuster, R. L. (ed.) Landslides – Investigation and Mitigation, Special Report 247. Washington D. C., National Academy Press, 525 - 554.

VIANA, C. S. 2000. Caracterização dos Processos Erosivos no Município de Belo Horizonte – Uma Contribuição à Gestão Ambiental e ao Planejamento Urbano. Dissertação de Mestrado – Departamento de Engenharia Sanitária, Ambiental, Hidráulica e Recursos Hídricos - DESA/ UFMG. 217p.

VIEIRA, B. C., Fernandes, N. F., Guimarães, R. F., Gomes, R. A. T. 1999. Análise qualitativa de fatores condicionantes de escorregamentos rasos a partir de um modelo de previsão de áreas de risco. In: Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia, 9, São Paulo, Anais, CDrom, 15p.

WOLLE, C. M., Hachich, W. 1989. Rain-induced landslides in southeastern Brazil. In: Internacional Conference on Soil Mechanics and Foundation Engineering, 12, Rio de Janeiro, Proceedings, 3:1639 – 1642

YANG, Z. Y., Chuang, C. C. 1997. A theoretical study on the progressive landslide of blocky slopes. In: Marinos, Koukis, Tsiambaos & Stoumaras (ed.). Engineering Geology and the Environment. Rotterdam, 1143 -1147.

Downloads

Publicado

2011-01-01

Como Citar

Parizzi, M. G., Sobreira, F. G., Galvão, T. C. de B., Aranha, P. R. A., Elmiro, M. A. T., & Beirigo, E. A. (2011). Processos de movimentos de massa em Belo Horizonte, MG. Revista Geografias, 58–87. https://doi.org/10.35699/2237-549X.13309

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)