Submissões

O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso. Acesso em uma conta existente ou Registrar uma nova conta.

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • A contribuição é original e inédita, e não está sendo avaliada para publicação por outra revista.
  • Sou portador do título de Doutor ou sou Doutorando.
  • O arquivo da submissão está em formato Microsoft Word ou Rtf.
  • O texto usa fonte Times New Roman tamanho 12; espaçamento 1,5 entre linhas; possuo autorização dos proprietários legais para a reprodução de todas as imagens contidas no texto.
  • O texto segue os padrões de estilo e requisitos bibliográficos descritos em Diretrizes para Autores.
  • Em meu cadastro, forneço as seguintes informações: afiliação acadêmica, titulação acadêmica e ORCID.

Diretrizes para Autores

Processo de Avaliação por Pares

A revista Kriterion publica apenas artigos originais, em qualquer área da filosofia. Resenhas e traduções não são, no momento, publicadas pela revista. A Kriterion aceita submissões em fluxo contínuo.

Todos os artigos publicados pela Kriterion são submetidos a uma avaliação dupla "cega" por pares. As submissões devem ser preparadas pelos autores para este tipo de processo de avaliação. O texto deve ser preparado em formato ANÔNIMO e IMPESSOAL, pelo que se entende que NÃO haja qualquer informação sobre a identidade ou referência que permita a identificação do/a autor/a.

Uma vez recebido, o artigo é pré-avaliado pelo Diretor e pelo Conselho Editorial da revista Kriterion. Tendo sido julgado formalmente adequado, ele será encaminhado a no mínimo dois pareceristas.

Os profissionais que atuam como pareceristas para a Kriterion são especialistas criteriosamente selecionados. O parecerista deverá preencher um formulário uniforme e objetivo. É concedido o prazo de 45 dias para a emissão do parecer. Contudo, uma vez que o processo de avaliação é inteiramente dependente da conveniência e da boa vontade do parecerista, que realiza um trabalho altamente qualificado e não remunerado, não é possível estabelecer com exatidão o prazo para uma decisão definitiva sobre cada submissão. Cabe ressaltar, porém, que os artigos submetidos à revista Kriterion levam, em média, três meses para obterem uma resposta final.

Há três modalidades possíveis de decisão final para um artigo submetido à revista Kriterion.

1. Aprovação. Significa que nem correções, nem modificações precisam ser feitas no texto. Esta modalidade é muito raramente aplicável a uma submissão.

2. Revisão e Ressubmissão. Significa que o/a autor/a deve fazer correções e modificações no texto, de acordo com os comentários e exigências dos/as pareceristas e/ou do Conselho Editorial. O artigo é, então, submetido a uma nova rodada de avaliação. A nova versão do artigo é enviada novamente aos pareceristas originais para a sua reavaliação como satisfatória ou não. Porém, não há qualquer garantia de que o artigo será aprovado no final deste processo.

3. Rejeição. Significa que o processo de avaliação está finalizado e o Conselho Editorial decidiu que o artigo não será publicado na Kriterion. Esta decisão é baseada nas avaliações dos pareceristas.

Para que um artigo seja considerado aprovado para publicação na revista Kriterion, ele deve obter ao menos dois pareceres com avaliação positiva (ou seja,  duas recomendações de Aprovação). Uma avaliação negativa por um dos pareceres é suficiente para a rejeição do artigo.

Preparação de manuscritos

O artigo deve ser inédito, tanto por meio impresso quanto por meio digital. Por 'meio digital' entende-se um artigo indexado/ISSN, quer em algum periódico eletrônico, quer em atas de congressos.

O tema deve ser pertinente e atual na área filosófica de interesse do trabalho submetido. Os objetivos devem ser claramente expostos, a argumentação sólida e a conclusão contemplar os propósitos iniciais.

A bibliografia deve ser atualizada e demonstrar um profundo conhecimento das pesquisas atuais da área.

Contribuições que sejam apenas uma mera redescrição de resultados, teses ou ideias de publicações prévias (de outrem) não serão aceitas.

Exigências formais para submissão

O texto deverá ser adequado às normas abaixo para efeito de submissão. Uma vez aprovado para publicação, deverá ser adequado às normas para publicação.

O texto deve ser preparado para a avaliação cega. Deve ser redigido em formato ANÔNIMO e IMPESSOAL, pelo que se entende que NÃO haja qualquer informação sobre a identidade ou referência que permita a identificação do/a autor/a. A não observância desta exigência tem como implicação a rejeição sumária da submissão por parte do Diretor/Conselho Editorial.

O periódico não publica artigos com mais de dois autore/as.

É obrigatório que o/a autor/a informe sua afiliação acadêmica e titulação, ao se cadastrar no sistema online da revista.

O periódico publica apenas artigos de Doutores/as ou Doutorandos/as.

A Kriterion não aceita mais de uma submissão de um/a mesmo/a autor/a por ano, nem publica artigos de um/a mesmo/a autor/a em intervalo inferior a dois anos.

É requerida a identificação ORCID para a submissão (obtido gratuitamente no endereço https://orcid.org).

Os artigos podem estar escritos em português, inglês, espanhol, francês, italiano ou alemão.

Os artigos devem estar em formato Word (doc; docx) ou Rtf, ser digitados em fonte Times New Roman (tamanho 12), e com espaçamento 1,5 entre linhas.

Os artigos deverão obedecer aos limites mínimo de 7.000 e máximo de 10.000 palavras.

As submissões deverão conter título, resumo (de até 200 palavras) e palavras-chave (de três a seis) tanto na língua em que o texto está redigido quanto em inglês. Quando redigido em inglês, o artigo deve também fornecer resumo e palavras-chave em português.

Exigências para publicação

O artigo, uma vez aceito para publicação, deverá ser padronizadao conforme os padrões abaixo.

Referências

1. As obras referidas ao longo do texto deverão estar listados no final do artigo, conforme os exemplos:

EARMAN, John. “Carnap, Kuhn, and the Philosophy of Scientific Methodology”. In: P. Horch (ed.), 1993. pp. 9-36.  [Ver abaixo mais informações sobre este padrão.]

GRICE, P. “Studies in the Way of Words”. Cambridge: Harvard University Press, 1989.

HART, H. L. A. “The Concept of Law”. 2ª ed. Oxford: Oxford University Press, 1994.

HUME, D. (1777). “Enquiries Concerning Human Understanding and Concerning the Principles of Morals”. 2ª ed. Oxford: Clarendon Press, 1902.

MONTAIGNE, M. (1580). “Les Essais”. Ed. Pierre Villey, 3 vols. Paris: Quadrige/ PUF, 1992.

PASCAL, B. “Pensées in OEuvres completes”. Ed. L. Lafuma. Paris: l’Integrale/ Seuil, 1963. Tradução para o português de Mário Laranjeira, São Paulo: Martins Fontes, 2001.

RUSSELL, B. “On Denoting”. Mind, 14, 1905, pp. 479-93.

WITTGENSTEIN, L. (1921) “Tractatus Logico-Philosophicus”. Trans. D. F. Pears and B. F. McGuinness. London: Routledge & Kegan Paul, 1969.

2. Para trabalhos reeditados, os detalhes acerca da edição original devem ser informados, mas é permitido usar a paginação da reedição:

WALZER, Richard Rudolf. “New Light on the Arabic Translations of Aristotle”. In: Oriens. Vol. 6, Nr. 1. Leiden: Brill, 1953. Reprinted in: Greek into Arabic: Essays on Islamic Philosophy. Cambridge, Massachussetts: Harvard University Press, 1962. pp. 142-163.

3. Artigos publicados em livros deverão adicionar uma referência separada aos últimos:

EARMAN, John. “Carnap, Kuhn, and the Philosophy of Scientific Methodology”. In: P. Horwich (ed.), 1993. pp. 9-36.

HORWICH, P. (ed.). “World Changes: Thomas Kuhn and the Nature of Science”. Cambridge, Mass.: MIT Press, 1993.

Citações

1. As obras citadas, referidas, mencionadas, etc., devem obedecer os seguintes padrões:

A referência às obras (e seus detalhes) devem, sempre que possível, aparecer no CORPO DO TEXTO (não em nota de rodapé), segundo o formato:

Autor seguido de data entre parênteses. Por exemplo:

Comte (1929)

ou

(Comte, 1929).

Deve haver vírgula após a data quando houver referência à paginação:

"Foucault (1975, pp. 90-99) anuncia uma espécie de decálogo, com o qual os reformadores tentam influenciar com eficácia universal os comportamentos sociais da política criminal".

ou

"Foucault anuncia uma espécie de decálogo, com o qual os reformadores tentam influenciar com eficácia universal os comportamentos sociais da política criminal". (Cf. Foucault, 1975, pp. 90-99).

2. Citações curtas e longas:

Citações curtas (de até três linhas) podem aparecer no corpo do texto, mas devem sempre conter aspas duplas.

Citações longas devem aparecer com recuo, precedido e sucedido por um espaço de linha, e não devem estar entre aspas. As informações sobre a referência devem constar ao final do texto citado, de acordo com o exemplo:

“Assim como a mercadoria é a unidade imediata de valor de uso e valor de troca, o processo de produção, o processo de produção de mercadoria, é a unidade imediata do processo de trabalho e do de valorização. Como mercadorias, isto é como unidade imediata de valor de uso e valor de troca, como resultado, como produto, aparecem ao processo {aus dem prozess herauskommen}, então como um elemento constituinte dele”. (Marx, RuP, p. 11).

3. Citações de obras clássicas:

Para obras clássicas, os autores podem usar uma abreviatura em vez da data. Por exemplo, referindo-se a “O Capital” de Karl Marx, poder-se-ia escrever "De acordo com Marx (RuP, p. 11) ...". Isto deve ficar claro na lista final de referências bibliográficas, como em:

Marx, K. “Resultate des unmittelbaren Produktionsprozess”. In: Das Kapital. I. Buch. Der Produktionsprozess des Kapitals. VI. Kapitel, Archiv sozialistischer Literatur, 17. Frankfurt: Verlag Neue Kritik, 1970.

4. Obras clássicas podem ser citadas, no corpo do texto, pelo título entre aspas:

Kant, em "A Crítica da razão pura", estabelece a diferença entre juízos sintéticos e juízos analíticos.

5. Citações de periódicos eletrônicos devem seguir o seguinte exemplo:

Stevenson, Olive. “Genericism & specialisation: the story since 1970”. British Journal of Social Work, 35, julho de 2005 [Online]. Disponível em: http://bjsw.oxfordjournals.org/ (Acessado em 05 de setembro de 2008).

Aspas

Aspas individuais devem ser usadas para referir uma palavra ou símbolo, como em:

Por 'Cicero' refiro-me ao homem que denunciou Catilina.

Aspas duplas devem ser usadas apenas para citar ou sugerir usos especiais (ironia, etc).

Pede-se colocar sinais de pontuação fora das aspas.

Notas de rodapé

Para inserir notas, utilize notas de rodapé (numeradas com algarismos arábicos), mas não notas finais. Citações dentro de notas de rodapé seguem as convenções acima.

Notas de rodapé não devem ser utilizadas para citações normais.

Palavras estrangeiras

Palavras estrangeiras devem estar em itálico.

 

Política de Acesso Livre

A revista Kriterion oferece acesso gratuito e imediato a todo o seu conteúdo publicado. A Kriterion norteia-se pelos princípios da democratização do conhecimento e da importância da divulgação da pesquisa acadêmica e científica.

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.