HANNAH ARENDT EM DIÁLOGO COM A FENOMENOLOGIA

Sartre, Merleau-Ponty e a trama entre liberdade e temporalidade

Autores

  • Alex de Campos Moura Professor Associado do Departamento de Filosofia da USP

Palavras-chave:

Liberdade, Temporalidade, fenomenologia, Hannah Arendt, Sartre, Merleay-Ponty

Resumo

Neste ensaio, discutiremos o modo como a relação entre liberdade e temporalidade aparece em momentos determinados da reflexão de Hannah Arendt, Sartre e Merleau-Ponty, tomando como eixo de investigação a
maneira pela qual cada um deles concebe a articulação entre permanência e mudança na descrição da dinâmica temporal. Com isso, pretende-se estabelecer um horizonte de convergência e, em seu interior, explicitar dois encaminhamentos distintos para uma questão similar, mostrando como é possível estabelecer um
eixo fenomenológico comum e, ao mesmo tempo, explicitar a diversidade que o constitui.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGOSTINHO. “De Civita Dei”. Trad. Oscar Paes Leme. Rio de Janeiro: Vozes, 2012. Parte II

ARENDT, H. “The life of the mind”. Trad. Antônio Abranches. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1991. [Harcout Brace, 1978].

______. “The Human Condition”. Trad. Roberto Raposo. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1987. [Chicago, 1958].

______. “Between Past and Future”. New York: Viking Press, 1961.

______. “O conceito de amor em Agostinho”. Lisboa: Instituto Piaget, 1997.

______. “O que é a filosofia da Existenz?”. In: ARENDT, H. A Dignidade da Política. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2002a.

______. “O interesse pela política no recente pensamento europeu”. In: ARENDT, H. A Dignidade da Política. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2002b.

BARBARAS, R. “Merleau-Ponty et la Psychologie de la Forme”. Les Études philosophiques, Nr. 2, 2001.

BENHABIB, S. “Feminist theory and the concept of public space in Hannah Arendt”. In: History of the Human Sciences, 1993.

______. “The Destruction of the Public Sphere and the Emergence of Totalitarism”. In: The reluctant modernism of Hannah Arendt. Oxford: Lanham: Rowman & Littlefield Publishers, 1996.

BIMBENET, E. “De la science à la philosophie”. In: Les Cigognes de la philosophie. Paris: L’Harmattan, 2002.

DUARTE, A. “Poder, violência e revolução no pensamento político de Hannah Arendt”. Cadernos de Filosofia Alemã, Vol. 21, 2016.

MERLEAU-PONTY, M. “Phénoménologie de La Percetion”. Trad. Carlos Alberto Ribeiro de Moura. São Paulo: Martins Fontes, 1994. [Gallimard, 1945].

______. “L’institution. La passivité”. Paris: Belin, 2003.

______. “La Structure du Comportement”. Paris: PUF, 1967.

MOURA, C. A. R. “Racionalidade e crise”. São Paulo: UFPR, 2001.

PITKIN, H. “Justice. On relating private and public”. Political Theory, Vol. 3, Nr. 9, pp. 327-352, 1981.

SARTRE, J.-P. “L’imaginaire”. Paris: Éllipses, 1999.

______. “O Ser e o Nada”. Rio de Janeiro: Vozes, 1997.

SILVA, F. “Ética e Literatura em Sartre”. São Paulo: UNESP, 2004.

______. “Literatura, ética e política em Sartre”. Teresa, São Paulo, Nr. 10-11, 2010

Downloads

Publicado

2021-12-07

Como Citar

Moura, A. de C. (2021). HANNAH ARENDT EM DIÁLOGO COM A FENOMENOLOGIA: Sartre, Merleau-Ponty e a trama entre liberdade e temporalidade . Revista Kriterion, 62(150). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/kriterion/article/view/24072

Edição

Seção

Artigos