OS SONHOS ACORDADOS E A OBRA DE ARTE

Freud no percurso de Ernst Bloch

Autores

Palavras-chave:

Sinhos acordados, Sonhos noturnos, Obra de arte

Resumo

O objetivo desde artigo é demonstrar como Ernst Bloch se apropria das reflexões de Freud sobre os sonhos acordados para sua filosofia.  A partir de uma fenomenologia dos sonhos acordados, Bloch constrói sua hermenêutica da obra de arte de caráter utópico. Isso é possível desde a desvinculação ontológica entre sonhos noturnos e sonhos acordados. Desta operação, pode-se concluir que os sonhos acordados na filosofia de Bloch é uma chave hermenêutica que inquiri o sentido das obras de arte desde um ainda-não-consciente do futuro nas obras do passado.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ubiratane Rodrigues, Universidade Federal do Maranhão (UFMA)/ Professor Adjunto II

Professor Adjunto II de Filosofia da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) Campus de Grajaú. Doutor em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP) e Coodenador do Grupo de Estudos e Pesquisas em Filosofia da Cultura (CNPq/UFMA).

Referências

ALBORNOZ, Suzana. “Ética e Utopia: ensaio sobre Ernst Bloch”. Porto Alegre: Movimento, 1985.

BÉGUIN, Albert. “L’ame romantique et le revê: essai sur le romantisme allemande et la poésie française”. Paris: Libraire Jose Corti, 1960.

BICCA, L. “Marxismo e Liberdade”. S. Paulo: Loyola, 1987.

BLOCH, Ernst. “O princípio esperança”. Vol. I. Trad. Nélio Schneider. Rio de Janeiro: EDUERJ: Contraponto, 2005.

FREUD, Sigmund. “As fantasias histéricas e sua relação com a bissexualidade (1908)”. In: Obras Completas - Vol. 8. O Delírio e Os Sonhos na Grádiva, análise da fobia de um garoto de cinco anos e Outros Textos (1906-1909). Tradução de Paulo César de Sousa. 1ª Ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

FREUD, Sigmund. “A interpretação dos sonhos Vol. I”. Tradução de Renato Zwick. Porto Alegre, RS: L&PM POCKET, 2017.

FREUD, Sigmund. “A interpretação dos sonhos Vol. II”. Tradução de Renato Zwick. Porto Alegre, RS: L&PM POCKET, 2012.

FREUD, Sigmund. “O poeta e o fantasiar”. In. Freud: arte, literatura e os artistas. 1. Ed. Trad. Ernani Chaves. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2015, pp. 53-66.

FREUD, Sigmund. “Apresentação de THE PSYSICHOLOGY OF DAY-DREAM, DE J. VARENDONCK”. In: Psicologia das massas e outros textos (1920-1923). Tradução de Paulo César de Sousa. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

MACHADO, Carlos Eduardo Jordão. “Ernst Bloch e ‘o sonho de uma coisa’”. In: Pensamento Alemão no século XX: grandes protagonistas e recepção das obras no Brasil. Vol. I. ALMEIDA, Jorge de; BADER, Wolfgang (Orgs). São Paulo: Cosac Naify, 2009.

MÜNSTER, Arno. “Figures de l’utopie dans La pensée d’Ernst Bloch”. Paris: Hermann Philosophie, 2009.

MÜNSTER, Arno. “Utopia, Messianismo e Apocalipse nas primeiras de Ernst Bloch”. Trad. br. de Flávio Beno Siebeneichler. São Paulo: UNESP, 1997.

PIRON-AUDARD, Catherine. “Antropologie marxiste et psychanalyse selon Bloch”. In. RAULET, Gérard. Utopie – Marxisme selon Ernst Bloch: un système de l’inconstructible. Paris: Payot, 1976, p. 109-122.

UEDING, Gert. “Tagtraum, künstlerische Produktivität und Werkprozeß”. In: Ernst Bloch, Ästhetik des Vor-Scheins. Frankfurt/M: Suhrkamp Verlag, 1974. Bd. 2.

ZECCHI, Stefano. “Ernst Bloch: Utopia y Esperanza en el Comunismo”. Trad. Esp. Enric Pérez Nadal, Barcellona: Península, 1978.

Downloads

Publicado

2021-12-07

Como Citar

Rodrigues, U. (2021). OS SONHOS ACORDADOS E A OBRA DE ARTE: Freud no percurso de Ernst Bloch . Revista Kriterion, 62(150). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/kriterion/article/view/24814

Edição

Seção

Artigos