1968, ONTEM E HOJE

Autores

  • João Carlos Brum Torres Universidade de Caxias do Sul / Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Palavras-chave:

maio de 68, neoliberalismo, repetição, conceito histórico

Resumo

A estrutura singular deste artigo deriva das peculiares características do evento Memórias 2 em 1: 25 anos do doutorado em Filosofia da UFMG/1968 ontem e hoje Brasil, Europa, EUA, ao qual esteve vinculada sua elaboração. A combinação no evento do apelo à reflexão filosófica com a remissão a acontecimentos históricos explica por que o artigo dividese em quatro seções, de teor bem diverso, organizadas como se partes de um mosaico. Na primeira evoca-se o “ambíguo significado dos eventos de 1968, em cujo curso as mobilizações e lutas por uma vida mais livre e por uma sociedade mais justa foram acompanhadas e sobrepujadas pela reação conservadora e autoritária. A segunda relembra de modo mais determinado as revoltas de 68 nos diferentes países e seus melancólicos desfechos. Na terceira seção, o artigo chama atenção para que, na sequência quase imediata de 1968, o processo de globalização e a difusão planetária do neoliberalismo produziram uma alteração profunda na forma de organização das sociedades contemporâneas e nos padrões socialmente esperados dos planos de vida e dos comportamentos individuais cuja consequência foi a abertura de um período histórico novo no desdobramento do qual a associação de insatisfação e aspirações revolucionárias e utópicas das revoltas de 1968 tornou-se irremediavelmente anacrônica. Na quarta e conclusiva parte, o artigo vale-se da lição de Heidegger sobre o conceito de repetição, do modo como Deleuze a comenta, de uma página de Foucault sobre o caráter transistórico das insurreições e da análise de Ricœur sobre a natureza dos conceitos empregados na historiografia para apresentar duas teses filosóficas: a do caráter sui generis da instanciação dos universais históricos e a da vinculação da série aberta dos movimentos insurrecionais ao caráter intrínseca e insuperavelmente problemático da sociabilidade humana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARISTÓTELES. “Política”. Tradução de Mário da Gama Cury. Brasília, D.F.: Editora Universidade de Brasília, 1983.

______. “Œuvres Complètes”. Paris: Flammarion, 2014.

BAUMAN, Z. “Sintomas à procura de um objeto e um nome”. In: GEISELBERGER, H. (ed.), 2019.

BECK, Ulrich. “O que é Globalização? Equívocos do globalismo e respostas à globalização”. Tradução de André Carone. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

BROWN, W. “In the Ruins of Neoliberalism: The rise of antidemocratic politics in the west”. NEW York: Columbia University Press, 2019.

BRUM TORRES, J. C. “Maio de 68, Filosofia e Memória”. Gazeta Mercantil – RS, ed. de 25 de maio de 1998. Porto Alegre, 1998.

CASATTI, R., VARZI, A. C. “Events”. In: ZALTA, E. N. (ed.). The Stanford Encyclopedia of Philosophy. Stanford, CA: Metaphysics Research Lab., Stanford University, 2015.

CASTELLS, M. “Ruptura – A crise da democracia liberal”. Rio de Janeiro: Zahar, 2018.

DELEUZE, G. “Différence et répétition”. Paris: P.U.F, 1968.

DELLA PORTA, D. (org.). “Sessantotto Passato e presente dell’anno ribelle”. Milão: Feltrinelli Editore, Kindle Edition, 2018.

FOUCAULT, M. “Inutile de se soulever?”. In: FOUCAULT, M. Dits et Écrits II. Paris: Gallimard, 2001.

GEISELBERGER, H. (ed.) “A Grande Regressão – Um debate internacional sobre os novos populismos – e como enfrenta-los”. São Paulo: Editora Liberdade, 2019.

HEIDEGGER, M. “Kant e o problema da metafísica”. Tradução de Marco Casanova. Rio de Janeiro: Via Veritas, 2019.

NACHTWEY, O. “Descivilização – Sobre tendências regressivas nas sociedades ocidentais”. In: Geiselberger, 2019.

PEIRCE, C. S. S. “Prolegomena to an Apology for Pragmaticism”. The Monist, Volume 16, Issue 4, p. 492-546. Outubro 1906.

POLANYI, K. “A Grande Transformação: as origens da nossa época”. Rio de Janeiro: Campus, 1980.

RICŒUR P. “Temps et récit. Tomo I, L'intrigue et le récit historique”. Paris: Éditions du Seuil, 1983.

VOGEL, E. F. “Deng Xiaping and the Transformation of China”. Cambridge USA: Harvard University Press, 2011.

WETZEL, Linda. “Types and Tokens”. In: Edward N. Zalta (ed.). The Stanford Encyclopedia of Philosophy, Fall 2018 Edition, URL = <https://plato.stanford.edu/archives/fall2018/entries/types-tokens/>.

ZHU, S. & PICKLES, J. “Bring In, Go Up, Go West, Go Out: Upgrading, Regionalisation and Delocalization in China’s Apparel Production Networks”. Journal of Contemporary Asia, Vol. 44, No. 1, 2014.

ZOURABICHVILI, F. “Le vocabulaire de Deleuze”. Paris: Ellipses, 2013.

Downloads

Publicado

2021-01-28