O MOVIMENTO ESTUDANTIL ALEMÃO NA DÉCADA DE 1960 E A TEORIA CRÍTICA DA SOCIEDADE: ALGUMAS ANOTAÇÕES

Autores

  • Rodrigo Duarte Universidade Federal de Minas Gerais

Palavras-chave:

Escola de Frankfurt, Theodor Adorno, Max Horkheimer, Herbert Marcuse

Resumo

O artigo enfoca, numa ordem aproximadamente cronológica, os acontecimentos mais marcantes no relacionamento entre os expoentes da chamada “Escola de Frankfurt” – especialmente Theodor Adorno, Max Horkheimer e Herbert Marcuse, dentre outros – e os estudantes politicamente organizados da Universidade Wolfgang Goethe, sediada na cidade alemã que deu nome àquela corrente de pensamento. O texto procura mostrar que esse relacionamento sempre foi marcado por certa ambiguidade, na medida em que os principais líderes do movimento estudantil daquela instituição, dentre os quais se destaca Hans Jürgen Krahl, se consideravam inspirados pelos representantes da Teoria Crítica em termos teóricos, ao mesmo tempo em que se sentiam traídos por eles (excetuando-se talvez por Marcuse) no tocante ao posicionamento e à atividade política naquele momento difícil enfrentado pelos estudantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADORNO, Theodor W. “Resignation”. In: “Gesammelte Schriften 10.2”. Frankfurt am Main: Suhrkamp, 1996.

HABERMAS, Jürgen et allii. “Eine soziologische Untersuchung zum politischen Bewusstsein Frankfurter Studenten”. Darmstadt: Neuwied, 1961.

JAY, Martin “Adorno”. London: Fontana Paperbacks, 1984.

KRAUSHAAR, Wolfgang. “Frankfurter Schule und Studentenbewegung. Von der Flaschenpost zum Molotowcocktail”. 3 volumes. Hamburg: Rogner & Bernard, 1998.

Downloads

Publicado

2021-01-28