O OUTRO TAMBÉM PODE TER RAZÃO – PARA ALÉM DE ELE TER APENAS SEUS DIREITOS RECONHECIDOS

Autores

  • Luiz Rohden Universidade Do Vale Do Rio Dos Sinos

Palavras-chave:

Hermenêutica, Gadamer, Ética, Alteridade, Direito

Resumo

Este artigo constitui um desdobramento da reflexão sobre a Hermenêutica enquanto ética tecida em torno da cunhagem, da descrição e da fundamentação da expressão Eu Hermeneuticus, que trata o outro como fim em si mesmo e não como um objeto. Aqui, sob a égide do pressuposto gadameriano segundo o qual “o outro não somente tem também um direito, mas talvez também pode ter razão”, pretendo evidenciar e justificar a centralidade da alteridade na teoria e na práxis da hermenêutica filosófica. A compreensão filosófica erige-se sobre o exercício de reconhecimento dos direitos aos direitos do outro, mas também sobre as razões dos seus argumentos, exercício que gera implicações éticas importantes em termos pessoais e sociais, como mostrarei. Com isso, viso mostrar e fundamentar a face e a função ética da hermenêutica filosófica com escopo de sedimentar o projeto de uma Hermenêutica Ética.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

GADAMER, H.G., KOSELLECK, R. “Hermeneutik und Historik”. Heidelberg: Winter, 1987.

______. “La incapacidad para el diálogo”. In: ______. Verdad y Metodo II. Salamanca: Ediciones Sígueme, 1992, pp. 203-210.

______. “Über die Verborgenheit der Gesundheit”. Frankfurt a.M.: Suhrkamp Verlag, 1993a.

______. “Wahrheit und Methode”. Tübingen: Mohr Siebeck, 1993b. GW2.

______. “Wahrheit und Methode”. Tübingen: Mohr Siebeck, 1999. GW1.

______. “Da palavra ao conceito”. In: ALMEIDA, C.L.S. de; FLICKINGER, H.G;

______. “Europe y la ‘oikoumene’”. In: ______. El Giro Hermenéutico. Madrid: Ediciones Cátedra, 2001, pp. 219-238.

______. “Amistad y solidariedad”. In: ______. Acotaciones hermenéuticas. Madrid: Editorial Trotta, 2002. pp. 77-90.

GEORGE, T. “Responsibility to Understand”. In: HEIDEN, G.J (ed.). Phenomenological Perspectives on Plurality. Leiden: Brill Publishing, 2014, pp. 103-120.

GRONDIN, J. “Einführung in die Philosophische Hermeneutik”. Darmstadt: Wiss. Buges., 1991.

HELENO, J.M.M.H. “Hermenêutica e Ontologia em Paul Ricoeur”. Lisboa: Instituto Piaget, 2001.

KÖGLER, H-H. “The Crisis of a Hermeneutic Ethic”. Philosophy Today, Vol. 58, Issue 1, pp. 9-22, 2014.

RISSER, J. “Hermeneutics and the voice of the Other: re-reading Gadamer´s Philosophical Hermeneutics”. New York: State University of New York Press, 1997.

ROHDEN, L. “Hermenêutica filosófica: uma configuração entre a amizade aristotélica e a dialética dialógica”. Síntese (Belo Horizonte), Vol. 31, pp. 191-212, 2004.

______. “Hans-Georg Gadamer: educação em direitos humanos”. In: MÜHL, E.H. (ed.). Textos referenciais para Educação em Diretos Humanos. 2a. ed. Passo Fundo: Ed. IFIBE, 2013. Vol. 1, pp. 138-142.

_______. “Hermenêutica Filosófica”. São Leopoldo: Ed. Unisinos, 2003.

ROHDEN, L. Hermenêutica Filosófica: nas trilhas de Hans-Georg Gadamer. Porto Alegre: Edipucrs, 2000, pp. 13-26.

SCHMIDT, D.J. “On the sources of ethical life”. Research in Phenomenology, Vol. 42, pp. 35-48, 2012.

______. “O Texto e o Jardim: A leitura do Fedro de Platão sobre a Leitura e a Tarefa Ética da Hermenêutica”. In: ROHDEN, L. (org.). Hermenêutica e Dialética: entre Gadamer e Platão. São Paulo: Loyola, 2014. pp. 169-184.

SMITH, P. Christopher. “The Ethical dimension of Gadamer’s Hermeneutical Theory”. Research in Phenomenology, Vol. 18, pp. 75-91, 1988.

SÓFOCLES. “A trilogia tebana: Édipo Rei, Édipo em Colono, Antígona”. Trad. M. da Gama Cury. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1990.

______. “Antígone”. Trad. J. B. de Mello e Souza. Versão para eBook. [S.l.], 2005.

______. “Antígona”. Trad. D. Schüler. Porto Alegre: L&PM, 2017.

STRECK, L. L. “Hermenêutica Jurídica e(m) Crise: uma exploração hermenêutica da construção do Direito”. 11a. ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2013.

______. “Verdade e Consenso”. 6a. ed. São Paulo: Saraiva, 2017.

Downloads

Publicado

2021-06-09

Como Citar

Rohden, L. (2021). O OUTRO TAMBÉM PODE TER RAZÃO – PARA ALÉM DE ELE TER APENAS SEUS DIREITOS RECONHECIDOS. Revista Kriterion, 62(148). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/kriterion/article/view/34508

Edição

Seção

Artigos