O PROBLEMA TEÓRICO-FILOSÓFICO DA CRISE CAPITALISTA

O DEBATE DE GUY DEBORD COM E. BERNSTEIN E R. LUXEMBURGO

Autores

Palavras-chave:

Sociedade do espetáculo, Crise capitalista, Contratendências, Guy Debord

Resumo

Este artigo trata do fundamento econômico da teoria crítica apresentada por Guy Debord em “A sociedade do espetáculo” (1967). Nesse ponto, a tese fundamental dessa teoria é que o capitalismo avançado teria dominado as tendências à crise pela atuação estatal. Essa atuação não expressaria a autonomia da política sobre a economia, mas, antes, o movimento autônomo da economia fetichista atuando conscientemente no Estado. Acompanhando Debord, o artigo tenta mostrar como essa concepção teórica retoma os termos
filosóficos do debate de Rosa Luxemburgo e Eduard Bernstein sobre a crise capitalista, no início do século XX, posicionando-se de uma maneira muito própria diante dessa questão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AQUINO, J. E. F. “Reificação e linguagem em Guy Debord”. Fortaleza: EdUece, 2006.

BERNSTEIN, E. “Socialismo evolucionário”. Trad. bras. M. Teles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar; Ed.: Instituto Teotônio Vilela, 1997.

BILOGHI, D. “Logistique et ancien régime : les étapes du roi et de la province de Languedoc aux XVIIe et XVIIIe siècles». Études sur l’Hérault, Nr. 10, 1994, pp. 69-72 [Online]. Disponível em: http://www.etudesheraultaises.fr/wp-content/uploads/1994-

-logistique-et-ancien-regime-les-etapes-du-roi-et-de-la-province-de-languedoc-auxxviiie-et-xiiie-siecles.pdf (Acessado em 11 de agosto de 2019).

BOURSEILLER, C. «Vie et mort de Guy Debord». Paris: Plon, 1999.

CASTORIADIS, C. «Le mouvement révolutionnaire dans le capitalisme moderne». In: Capitalisme moderne et révolution, t. II. Paris: Editions 10/18, 1979. pp. 47-202.

______. «Les rapports de production en Russie». In: Socialisme ou Barbarie. Anthologie. Paris: Acratie, 2007. pp. 36-52.

DEBORD, G. “A sociedade do espetáculo; Comentários sobre a sociedade do espetáculo”. Trad. E. S. Abreu. Rio de Janeiro: 1997.

______. “Commentaires sur la société du spectacle”. Paris: Gallimard, 1992.

______. “La société du spectacle”. Paris: Gallimard, 1998a.

______. “Notes pour servir à l’histoire de l’I.S. de 1969 a 1971. La Véritable Scission dans l’Internationale”. Paris: Fayard, 1998b.

INTERNATIONALE SITUATIONNISTE. “Internationale Situationniste (1958-1969)”. Paris: Fayard, 1997.

JAPPE, A. “Guy Debord”. Trad. bras. I. Poleti. Petrópolis: Vozes, 1999.

KURZ, R. “A teoria de Marx, a crise e a abolição do capitalismo”. In: Exit! Crise e crítica da sociedade das mercadorias. 2010 [Online]. Disponível em: http://www.obeco-online.org/rkurz363.htm (Acessado em 26 de junho de 2021).

______. “O colapso da modernização: Da derrocada do socialismo de caserna à crise da economia mundial”. Trad. bras. K. E. Barbosa. Rio de janeiro: Paz e Terra, 1992.

LUXEMBURGO, R. “A acumulação do capital: Contribuição ao estudo econômico do imperialismo”. Trad. M. V. Lisboa. 2ª ed. São Paulo: Nova Cultural, 1985. (Os economistas)

______. “Reforma ou revolução?” Trad. bras. de Lívio Xavier. 3ª ed. São Paulo: Expressão Popular, 2015.

MARTINEZ, M. “O que é obsolescência programada?” eCycle, s/d [Online]. Disponível em: https://www.ecycle.com.br/1721-obsolescencia-programada (Acessado em 10 de agosto de 2019).

MARX, K. “O capital: Crítica da economia política, Vol. I, Livro I, Tomo I”. Trad. R. B. e F. R. Kothe. São Paulo: Abril Cultural, 1983. (Os economistas)

______. “O capital: Crítica da economia política, Vol. II, Livro II, Tomo I”. Trad. R. B. e F. R. Kothe. São Paulo: Abril Cultural, 1984a. (Os economistas).

______. “O capital: Crítica da economia política, Vol. III, Livro III, Tomo I.” Trad. R. Barbosa e F. R. Kothe. São Paulo: Abril Cultural, 1984b. (Os economistas).

______. “Prefácio de Para a crítica da economia política”. Trad. J. A. Gianotti e E. Malagodi. In: MARX, K. Manuscritos econômicos filosóficos e outros textos escolhidos. São Paulo: Nova Cultural, 1987. (Os Pensadores).

MÉSZÁROS, I. “Para além do capital: Rumo a uma teoria da transição”. Trad. P. C. Castanheira e S. Lessa. São Paulo: Boitempo, 2002.

MÜULER, M. L. “Exposição e método dialético em O capital”. Boletim SEAF, Belo Horizonte: Sociedade de Estudos e Atividades Filosóficas, 2, 1982.

QUIRINY, B. «Révolutionnaires et réformistes face au marxisme». In: CAUMIÈRES, P., KLIMIS, S., VAN EYNDE, L. «Socialisme ou Barbarie aujourd’hui : Analyses et témoignages. Nouvelle édition [en ligne]». Bruxelles: Presses de l’Université Saint-Louis, 2012. Disponível em: http://books.openedition.org/pusl/680 (Acessado em 3 de junho de 2019).

______. «Socialisme ou Barbarie et l’Internationale Situationniste. Note sur une «meprise»». In: Lieux comuns, maio de 2009 [Online]. Disponível em: https://collectiflieuxcommuns.fr/?120-socialisme-ou-barbarie-et-l&lang=fr (Acessado em 12 de agosto de 2019).

TEIXEIRA, F. J. S.; SANTOS, F. J. A. “Dinheiro e moeda em Karl Marx”. In: A terra é redonda, 03 de fevereiro de 2020 [Online]. Disponível em: https://aterraeredonda.com.br/dinheiro-e-moeda-em-karl-marx/ (Acessado em 21 de fevereiro de 2021).

THOMAS, F. «Entretien avec quelques anciens membres de Socialisme ou Barbarie».In: Dissidence: le blog, setembro de 2014 [Online]. Disponível em: https://dissidences.hypotheses.org/5691 (Acessado em 5 de julho de 2019).

Downloads

Publicado

05-01-2023

Como Citar

AQUINO, J. E. F. de. O PROBLEMA TEÓRICO-FILOSÓFICO DA CRISE CAPITALISTA: O DEBATE DE GUY DEBORD COM E. BERNSTEIN E R. LUXEMBURGO. Revista Kriterion, [S. l.], v. 63, n. 153, 2023. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/kriterion/article/view/35180. Acesso em: 4 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos