A IMAGEM DO “JARDIM DE ADÔNIS” E A REFLEXÃO SOBRE A ESCRITA COMO PARADIGMA PARA DETERMINAÇÃO DO LÓGOS NO FEDRO DE PLATÃO (276B1-277B3)

Autores

Palavras-chave:

Platão, escrita, oralidade, dialética, lógos

Resumo

O trecho entre 276b1 e 277b3 do diálogo Fedro tem sido usado como indício de uma dicotomia entre oralidade e escrita, que seria, por sua vez, signo de uma inconciliável relação entre a dialética e a escrita. Ambas são associadas, respectivamente, a uma atividade séria (spoudé) e a uma brincadeira ou jogo (paidiá). Em nossa leitura, pretendemos mostrar não ser possível subscrever tal associação, tendo em vista que, por um lado, a passagem deve ser lida como uma espécie de síntese de uma reflexão mais abrangente (a determinação do lógos filosófico, i.e., a dialética) e, por outro, que nela se entreveem camadas de significação produzidas pelo diálogo intertextual (o debate sobre a escrita encetado entre Alcidamante e Isócrates). Nesse sentido, propomos uma interpretação que leva em conta uma análise imanente da passagem, mostrando que ela carece dos significantes para uma dicotomia oralidade vs. escrita, seguida de uma reflexão que a repõe no enquadre do diálogo, ao analisarmos os sentidos filosóficos da imagem do “Jardim de Adônis” e da oposição entre paidiá e spoudé.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALCIDAMANTE. “Testimonios y Fragmentos”. Tradução para o espanhol de J. L. López Cruces, Javier Campos Daroca e M. A. Márquez Guerrero. Madrid: Ed. Gredos, 2005.

BRISSON, L. “Introduction”. In: PLATÃO, 2004, p. 13-68.

BURGER, R. “Plato’s Phaedrus. A defense of a philosophic art of writing”. Alabama: The University of Alabama Press, 1980.

COTTON, A. K. “Platonic dialogue and the education of the reader”. Oxford: Oxford University Press, 2014.

FERRARI, G. R. F. “Listening to cicadas. A study of Plato’s Phaedrus”. Cambridge: Cambridge University Press, 1990.

FORTES, F. S. “A dialética e as letras: imagens e paradigmas do pensar no Fedro de Platão”. Tese de Doutorado em Filosofia. Belo Horizonte: UFMG, 2019.

HADOT, P. “O que é a filosofia antiga?” Tradução para o português de Dion Davi Macedo. São Paulo: Loyola, 2014.

HÖSLE, V. “Interpretar Platão”. Tradução para o português de Antônio Celiomar Pinto de Lima. São Paulo: Loyola, 2008.

HOWATSON, M. C. “The Oxford companion to Classical Literature”. Oxford: OUP, 2005.

ISÓCRATES. “Discursos I”. Tradução para o espanhol de Juan Manuel Guzmán Hermida. Madrid: Gredos, 1979.

NICHOLS Jr., J. H. “Introdução ao Fedro”. In: PLATÃO, 2016, p. 37-72.

PARKER, R. “Polytheism and society at Athens”. Oxford: Oxford University Press, 2005.

PERINE, M. “Platão não estava doente”. São Paulo: Loyola, 2014.

PLATÃO. “Fedro”. Tradução para o português, introdução e notas de Maria Cecília Gomes dos Reis. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

______. “Phaedrus”. Editado por Harvey Yunis. Cambridge Greek and Latin Classics. Cambridge: Cambridge University Press, 2014.

QUIRIM, D. “O kairós da escrita e do discurso improvisado em Alcidamante e Isócrates”. Revista Ética e Filosofia Política, Juiz de Fora, v. 19, v. 2, p. 78-93, 2016. [Online] Disponível em: http://www.ufjf.br/eticaefilosofia/files/2009/08/19_2_quirim.pdf. (Acessado em 02 de março de 2021).

REALE, G. “Para uma nova interpretação de Platão”. Tradução para o português de Marcelo Perine. 2. ed. São Paulo: Loyola, 2004 [1991].

SZLEZÁK, T. “Platão e a escritura da Filosofia. Análise de estrutura dos diálogos da juventude e da maturidade à luz de um novo paradigma hermenêutico”. Tradução para o português de Milton Camargo. Loyola, 2009 [1985].

TRABATTONI, F. “Oralidade e escrita em Platão”. Tradução para o português de Fernando Rey Puente e Roberto Bolzani Filho. São Paulo: Discurso Editorial, 2003.

______. “Scrivere nell’anima. Verità, dialettica e persuasione in Platone”. Firenze: La nuova Italia Editrice, 1993.

Downloads

Publicado

2021-12-07

Como Citar

Fortes, F. (2021). A IMAGEM DO “JARDIM DE ADÔNIS” E A REFLEXÃO SOBRE A ESCRITA COMO PARADIGMA PARA DETERMINAÇÃO DO LÓGOS NO FEDRO DE PLATÃO (276B1-277B3). Revista Kriterion, 62(150). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/kriterion/article/view/36072

Edição

Seção

Artigos