A constituição da pessoa por meio do arrependimento

o lugar da metanoia no trabalho clínico

Palavras-chave: arrependimento, metanoia, pessoa, alteridade, clínica

Resumo

Esse estudo investiga o potencial que a experiência de arrependimento tem em relação à constituição humana. Por meio de um método analítico-interpretativo, aproximar-se-á da compreensão que filósofos e teólogos cristãos, tais como Christos Yannaras e Serguei Horujy, guardam a respeito da condição humana e de sua antropologia assentada na pessoa. Para esses autores, o homem é ontologicamente um ser aberto para o encontro e troca com a alteridade, tendo sua vocação existencial realizada, apenas, à medida que se faz transcendência por meio de tal característica originária. O arrependimento enquanto metanoia será compreendido como evento que sustenta tal abertura ontológica e se apresenta como dispositivo de transformação e resgate humanos quando a mesma é, eventualmente, tamponada. Procurar-se-á transpor o tipo de discussão gerada no contexto teológico para a realidade clínica, a fim de se pensar intervenções e manejos que aproveitem do arrependimento humano como caminho para a constituição da pessoa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Pedro Lorenzon Jávera, Universidade de São Paulo

João Pedro Jávera é psicólogo. Mestre e doutorando em Psicologia Clínica pelo Departamento de Psicologia da Universidade São Paulo – IPUSP. Integrante do Núcleo de Pesquisa e Laboratório Prosopon do IPUSP. 

Gilberto Safra, Universidade de São Paulo

Gilberto Safra é psicólogo. Professor-titular no Departamento de Psicologia Clínica da Universidade de São Paulo – IPUSP e fundador do Núcleo de Pesquisa e Laboratório Prosopon do IPUSP.

Referências

A Bíblia (1995). Tradução Ecumênica (TEB). São Paulo: Edições Paulinas.

Bruce, F. (1998). O sujeito lacaniano. Entre linguagem e gozo (M. L. Sette Câmara, Trad.). Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Original publicado em 1995).

Dias, P. H. C. & Safra, G. (2015). O lugar da mística na clínica psicanalítica. Memorandum, 28, 171-183.

Ferenczi, S. (1990) Diário Clínico (A. Cabral, Trad.). São Paulo: Martins Fontes. (Original publicado em 1932).

Fernandes, M. A. (2014). Subjetidade e subjetividade: uma meditação histórico-ontológica a partir de Heidegger. Princípios, 21, 121-152.

Freud, S. (1980a). Linhas de progresso na terapia psicanalítica. Obras completas, v. XVII. Rio de Janeiro: Imago. (Original publicado em 1919).

Freud, S. (1980b). A dissecação da personalidade psíquica. Obras completas, XXXI. Rio de Janeiro: Imago. (Original publicado em 1933).

Horujy, S. (1998). Synergie hésycaste et conversion philosophique. Em A. Charles-Saget (Org.). Retour, repentir et constitution de soi. Paris: Librairie Philosophique J. Vrin.

Horujy, S. (2010). Slavophiles, Westernizers, and the birth of Russian philosophical humanism. Em G. M. Hamburg, R. A. Poole (Orgs). A History of Russian Philosophy, 1830-1930. Cambridge: Cambridge Press.

Horujy, S. (2011). Psychology of the gate as a gate to metapsychology. Recuperado em 12 de agosto, 2020, de http://synergia-isa.ru/wp-content/uploads/2011/08/hor_psychology_vrat_eng.pdf.

Jávera, J. P. (2016). A participação do arrependimento na constituição humana: concern, metanoia, a estória de um pardal. Dissertação de Mestrado, Instituto de Psicologia Clínica, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP.

Kohon, G. (2018). British Psychoanalysis: new perspectives in the independent tradition. Abingdon: Rutledge.

Kupermann, D. (2010). A via sensível da elaboração. Caminhos da clínica psicanalítica. Cadernos de Psicanálise, 32, 31-45.

Nave, G. D. (2002). Role and function of repentance in Luke Acts. Atlanta: Society of Biblical Literature.

Rayner, E. (1991). The Independent Mind in British Psychoanalysis. London: Aronson.

Rosa, J. G. (1969). Corpo de Baile: No Urubuquáquá, no Pinhém. Rio de Janeiro: Olympio.

Rycroft. C. (1995). A critical dictionary of Psychoanalysis. London: Penguin Books.

Safra, G. (2004). A poética na clínica contemporânea. Aparecida: Ideias e Letras.

Safra, G. (2006). A hermenêutica na situação clínica. São Paulo, Sobornost.

Safra, G. (2008a). A dor como revelação do ser e da dignidade humana. Em A. Hoffman, M. Massimi & L. Oliveira (Orgs). Dor (pp. 197-204). Ribeirão Preto, SP: Faculdade Medicina de Ribeirão Preto.

Safra, G. (2008b). O sagrado e as necessidades da alma na situação clínica. Em C. Bruscagin & A. Savio (Orgs). Religiosidade e Psicoterapia (pp. 101-110). São Paulo: Roca.

Winnicott, D. W. (1988). Concern, Guilt and Inner Personal Psychic reality. Human Nature. New York: Schocken Books.

Winnicott, D. W. (2001). The Depressive Position in Normal Emotional Development. Em D. W. Winnicott. Collected papers: through paedtrics to psycho-analysis (pp. 262-277). London: Routledge (Original publicado em 1955).

Winnicott, D. W. (1990). The Development of the Capacity for Concern. Maturational Processes and the facilitating environment (pp. 73-82). London: Karnac Books (Original publicado em 1963).

Yannaras, C. (1984). Freedom of Morality. New York: St. Vladimir Press.

Yannaras, C. (1991). Elements of Faith. New York: T & T Clark.

Yannaras, C. (2004). Postmodern Metaphysics. Brookline: Holy Cross.

Yannaras, C. (2007). Person and Eros. Brookline: Holy Cross.

Zizioulas, J. (2011). The Eucharistic Communion. London: T & T Clark.

Publicado
2020-08-12
Como Citar
Jávera, J. P. L., & Safra, G. (2020). A constituição da pessoa por meio do arrependimento. Memorandum: Memória E História Em Psicologia, 37. https://doi.org/10.35699/1676-1669.2020.15183
Seção
Artigos