A questão da objetividade nos estudos biográficos de Freud

Palavras-chave: Biografia; Sigmund Freud; metodologia.

Resumo

O problema da objetividade na escrita de uma biografia sempre assombrou os biógrafos. No caso dos estudos biográficos de Freud, essa questão é ainda mais complexa, já que seus primeiros biógrafos eram psicanalistas que tentavam mesclar o método biográfico e o psicanalítico. Discutiremos inicialmente a relação do biógrafo com seu sujeito e o grau de objetividade que é possível atingir ao narrar a vida de alguém. O problema da transferência e das distorções que ela introduz no texto também é abordado. Em seguida acompanharemos os biógrafos de Freud, percorrendo textos desde 1923, para compreender como eles tratam os desafios da relação biógrafo-biografado.

Biografia do Autor

Marcus Vinicius Neto Silva, UFMG
Psicólogo (Newton Paiva), especialista em Teoria Psicanalítica (UFMG), mestre em Estudos Psicanalíticos (UFMG), doutorando em Estudos Psicanalíticos (UFMG).
Guilherme Massara Rocha, UFMG
Psicanalista, Prof.Adjunto do Departamento de Psicologia da UFMG. Membro da International Society of
Philosophy and Psychoanalysis e da Fédération Européenne de Psychanalyse (FEDEPSY).

Referências

Anderson, J. W. (1981). The methodology of psychological biography. The Journal of Interdisciplinary History, 11(3), 455-475.

Bettelheim, B. (1991). Duas visões de Freud. Em B. Bettelheim. A Viena de Freud e outros ensaios (pp. 37-53). (L. Wyler, Trad.). Rio de Janeiro: Campus. (Original publicado em 1990).

Caine, B. (2010). Biography and history. London: Palgrave Macmillan.

Crews, F. (2017). Freud: the making of an illusion. New York: Metropolitan Books.

Dosse, F. (2009). O desafio biográfico: escrever uma vida (G. C. C. Souza, Trad.). São Paulo: Edusp. (Original publicado em 2005).

Edel, L. (1961). The biographer and psycho-analysis. International Journal of Psycho- analysis, 42, 458-466.

Edel, L. (1978). Biography: a manifesto. Biography, 1(1), 1-3.

Edel, L. (1984). Transference: the biographer's dilemma. Biography, 7(4), 283-291.

Elms, A. C. (1988). Freud as Leonardo: why the first psychobiography went wrong. Journal of Personality, 56(1), 19-40.

Elms, A. C. (1994). Uncovering lives: the uneasy alliance of biography and psychology. New York: Oxford University.

Emerson, R. W. (2001). History. Em R. W. Emerson. Essays (pp. 5-25). Hazleton: Pennsylvania State University.

Freud, E. (1960). The letters of Sigmund Freud. New York: Basic Books.

Freud, S. (1996a). Análise de uma fobia em um menino de cinco anos. Em S. Freud. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud (Vol. X; pp. 13-133). (J. Salomão, Trad.). Rio de Janeiro: Imago. (Original publicado em 1909).

Freud, S. (1996b). Carta a Fritz Wittels. Em S. Freud. Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud( Vol. XIX; pp. 320-32). (J. Salomão, Trad.). Rio de Janeiro: Imago. (Original publicado em 19023-4).

Freud, S. (2011). Carta a Fritz Wittels. Em S. Freud. O eu e o id, autobiografia e outros textos (pp. 344-345). (P. C. Souza, Trad.). São Paulo: Companhia das Letras. (Original publicado em 1923-4).

Freud, S. (2015). O poeta e o fantasiar. Em S. Freud. Arte, literatura e os artistas (pp. 53-66). Belo Horizonte: Autêntica. (Original publicado em 1908).

Freud, S. (2015). Uma lembrança de infância de Leonardo da Vinci. Em S. Freud. Arte, literatura e os artistas (pp. 69-165). Belo Horizonte: Autêntica. (Original publicado em 1910).

Freud, S. & Bullitt, W. (1984). Thomas Woodrow Wilson: um estudo psicológico (H. L. Barros, Trad.). Rio de Janeiro: Graal. (Original publicado postumamente em 1966).

Gay, P. (2012). Freud: uma vida para o nosso tempo (D. Bottmann, Trad.). São Paulo: Companhia das Letras. (Original publicado em 1988).

Gedo, J. (1972). The methodology of psychoanalytic biography. Journal of the American Psychoanalytic Association, 20(3), 638-649.

Hitschmann, E. (1956). Some psycho-analytic aspects of biography. International Journal of Psycho-Analysis, 37, 265-269.

Hoffman, L. (1984). Early psychobiography, 1900-1930: some reconsiderations. Biography, 7(4), 341-351.

Jones, E. (1953). The life and work of Sigmund Freud. New York: Basic Books.

Lichtenberg, J. (1978). Freud's Leonardo: psychobiography and autobiography of a genius. Journal of the American Psychoanalytic Association, 26, 863-880.

Ludwig, E. (1948). Freud desmascarado (A. Andrade, Trad.). Rio de Janeiro: José Olympio. (Original publicado em 1946).

Meyers, J. (1989). Introduction. Em J. Meyers (Org.). The biographer's art (pp. 1-9). London: Macmillan.

Novak, M. (1989). James Boswell's Life of Johnson. Em J. Meyers (Org.). The biographer's art (pp. 31-52). London: Macmillan.

Nunberg, H. & Federn, E. (1962). Minutes of the Vienna Psychoanalytic Society (Vol. 1). New York: International Universities.

Phillips, A. (2014). Becoming Freud. New Haven: Yale University.

Puner, H. W. (1947/1959). Freud: his life and his mind. New York: Dell.

Rodrigué, E. (1995). Sigmund Freud: o século da psicanálise. São Paulo: Escuta.

Roudinesco, E. (2016). Sigmund Freud: na sua época e em nosso tempo (A. Telles, Trad.). Rio de Janeiro: Zahar. (Original publicado em 2014).

Sachs, H. (1944). Freud, master and friend. Cambridge: Harvard University.

Sadger, I. (2005). Recollecting Freud (A. Dundes, Ed.). Madison: The University of Wisconsin. (Original publicado em 1930).

Schepeler, E. (1990). The biographer's transference. Biography, 13(2), 111-129.

Schur, M. (1972). Freud: living and dying. New York: International Universities.

Sulloway, F. (1979). Freud: biologist of the mind. New york: Basic Books.

Whitebook, J. (2017). Freud: an intellectual biography. Cambridge: Cambridge University.

Wittels, F. (1924). Sigmund Freud: his personality, his teaching and his school (E. a. Paul, Trad.) New York: Dodd, Mead and Company. (Original publicado em 1924).

Young-Bruehl, E. (1998). Subject to biography: psychoanalysis, feminism, and writing women's lives. Cambridge: Harvard University.

Publicado
2019-10-04
Como Citar
Silva, M. V., & Rocha, G. (2019). A questão da objetividade nos estudos biográficos de Freud. Memorandum: Memória E História Em Psicologia, 36, 1-18. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/memorandum/article/view/6610
Seção
Artigos