A recepção psicanalítica do pensamento psiquiátrico de Clérambault

a mitologia da doutrina

Palavras-chave: Clérambault, psicanálise, automatismo mental, erotomania, mitologia da doutrina

Resumo

A proposta deste artigo é fazer uma análise crítica da forma como as ideias do psiquiatra francês Gaëtan Gatian de Clérambault foram assimiladas e reapresentadas pela psicanálise, sobretudo a partir da influência lacaniana. Para tanto, faz-se, primeiramente, uma apresentação sintética das principais teses do autor, com destaque para aquelas contidas em seus estudos sobre o Automatismo Mental e a Erotomania. A seguir, a recepção psicanalítica dessas teses é discutida, a partir da apresentação e análise crítica dos exemplos mais representativos de seu estilo. O trabalho de Quentin Skinner sobre os equívocos históricos que frequentemente se cometem no campo da história das ideias é utilizado como parâmetro para realização dessa análise crítica, sobretudo sua discussão sobre as mitologias que são muitas vezes construídas pelos historiadores das ideias e, em particular, sua noção de “mitologia da doutrina”.

Biografia do Autor

Marco Antonio Gasparetto, Universidade Federal de Juiz de Fora
Médico graduado pela Faculdade de Medicina da UFJF (1981), Residência médica em Psiquiatria pelo Instituto Raul Soares - FHEMIG (1982-1983) - Mestrado em Letras pela UFJF (2002) - Dourando em Psicologia pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFJF (História e Filosofia da Psicologia) - Preceptor da Residência Médica em Psiquiatria do Hospital Universitário da UFJF - Psiquiatra e Psicanalista.
Richard Theisen Simanke, Universidade Federal de Juiz de Fora
Formado em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Mestre em Filosofia e Metodologia das Ciências pela Universidade Federal de São Carlos (1992) e Doutor em Filosofia pela USP (1997). Professor da Universidade Federal de São Carlos entre 1994 e 2012. Atualmente, é Professor Titular do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Professor e orientador de mestrado e doutorado do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFJF, desde agosto de 2012

Referências

American Psychiatric Association (1989). Manual de diagnóstico e estatístico de distúrbios mentais: DSM-III-R (L. H. S. Barbosa, Trad.). São Paulo: Manole. (Original publicado em 1987).

American Psychiatric Association (1995). Manual de diagnóstico e estatística de distúrbios mentais: DSM-IV (4a ed.). (D. Batista, Trad.). Porto Alegre: Artes Médicas. (Original publicado em 1994).

Barreto, F. P. (2012). S ou síndrome do automatismo mental, de Clérambault. Opção Lacaniana Online, 3(9), 1-5.

Berrios, G. E. (2015). Rumo a uma nova epistemologia da psiquiatria (L. A. Ávila, Trad.). São Paulo: Escuta. (Original publicado em 2011).

Bercherie, P. (1989). Os fundamentos da clínica: história e estrutura do saber psiquiátrico (V. Ribeiro, Trad.). Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Original publicado em 1980).

Bastos, A. & Gama, V. C. D. (2010). A feminização na psicose: empuxo-à-mulher e erotomania. Psicologia Clínica, 22(1), 141-156.

Berrios, G. E. & Kennedy, N. (2002). Erotomania: a conceptual history. History of Psychiatry, 13(52), 381-400.

Beveridge, A. & Mangin-Lazarus, C. (1995). Maurice Dide (1873-1944: a forgotten hero of French psychiatry. History of psychiatry, 6(24), 539-548.

Brémaud, N. (2008). Prépsychose: revue de la littérature et approche critique. L'information psychiatrique, 84(5), 383-393.

Bressanelli, J. & Teixeira, A. M. R. (2012). Erotomania: Os impasses do amor e uma resposta psicótica. Ágora: Estudos em Teoria Psicanalítica, 15, 437-451.

Clérambault, G. (1942a). Fausse amoureuse de prêtre revendicatrice. Em J. Fretet (Org.). Oeuvre Psychiatrique (Vol. I, pp. 311-314). Paris: Presses Universitaires. (Original publicado em 1913).

Cérambault, G. (1942b). Les psychoses hallucinatoires chroniques : presentation de malade. Em J. Fretet (Org.). Oeuvre Psychiatrique (Vol. II, pp. 470-491). Paris: Presses Universitaires. (Original publicado em 1923).

Clérambault, G. (1942c). Définition de l‟automatisme mental : intervention. Em J. Fretet (Org.). Oeuvre Psychiatrique (Vol. II, pp. 492-494). Paris: Presses Universitaires. (Original publicado em 1924/).

Clérambault, G. (1942d). Discussion du rapport de M. Nayrac sur l‟automatisme mental au Congrès de Blois. Em J. Fretet (Org.). Oeuvre Psychiatrique (Vol. II, pp. 587-599). Paris: Presses Universitaires. (Original publicado em 1927).

Clérambault, G. (1942e). Érotomanie pure, érotomanie associee: presentation de malade. Em J. Fretet (Org.). Oeuvre Psychiatrique (Vol. I, pp. 346-370). Paris: Presses Universitaires. (Original publicado em 1921).

Clérambault, G. (1942f). Les psychoses hallucinatoires chroniques: analyse, pathogenie. Em J. Fretet (Org.). Oeuvre Psychiatrique (Vol. II, pp. 495-526). Paris: Presses Universitaires. (Original publicado em 1924).

Clérambault, G. (1942g). Les psychoses passionnelles; coexistence de deux delires persecution et erotomanie. Em J. Fretet (Org.). Oeuvre Psychiatrique (Vol. I, pp. 323-337). Paris: Presses Universitaires. (Original publicado em 1920).

Clérambault, G. (1942h). Les psychoses passionnelles; les delires passiionnels; érotomanie revendication, jalousie. Em J. Fretet (Org.). Oeuvre Psychiatrique (Vol. I, pp. 337-346). Paris: Presses Universitaires. (Original publicado em 1921).

Clérambault, G. (1942i). Psychoses a base d‟automatisme (premier article). Em J. Fretet (Org.). Oeuvre Psychiatrique (Vol. II, pp. 528-544). Paris: Presses Universitaires. (Original publicado em 1925).

Clérambault, G. (1942j). Psychoses a base d‟automatisme (second article). Em J. Fretet (Org.). Oeuvre Psychiatrique (Vol. II, pp. 544-576). Paris: Presses Universitaires. (Original publicado em 1926).

Clérambault, G. (1942k). Théorie professée a l‟infirmerie spéciale formules courantes de 1919 a 1923. Em J. Fretet (Org.). Oeuvre Psychiatrique (Vol. II, pp. 467- 468). Paris: Presses Universitaires. (Original publicado em 1927).

Czermak, M. & Jesuíno, A. (Org.s). (2009). Fenômenos elementares e automatismo mental. Rio de Janeiro: Tempo Freudiano.

Ey, H., Bernard, P. & Brisset, C. (1981). Manual de Psiquiatria (P. C. Geraldes & S. Ioannides, Trad.s). Rio de Janeiro: Masson. (Original publicado em 1960).

Ey, H. (2006). Une théorie mécaniciste: la doctrine de G. de Clérambault. Em H. Ey. Études psychiatriques (Vol I, Tomo I, pp. 83-102). Paris: Crehey. (Original publicado em 1948).

Ferretto, J.-L. (2009). Clérambault. Em M. Czermark & A. Jesuíno (Org.s). Fenômenos elementares e automatismo mental (pp. 111-131). Rio de Janeiro: Tempo Freudiano.

Fretet, J. (Org.). (1942). Oeuvre Psychiatrique. Paris: Presses Universitaires.

Girard, M. (1993). Gaëtan Gatian de Clérambault: morceaux choisis pour un parcours historique. Em P. Pignarre (Org.). Clérambault maître de Lacan (pp. 11-76). Paris: Synthélabo.

Guiraud, P. (1942). Préface. Em J. Fretet (Org.). Oeuvre Psychiatrique (Vol. I, pp. V- XVI). Paris: Presses Universitaires.

Freud, S. (1977). Notas psicanalíticas sobre um relato autobiográfico de um caso de paranóia (dementia paranoides). Em S. Freud. Edição standart brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud (Vol. 12, pp. 13-108). (J. Salomão, Trad.). Rio de Janeiro: Imago. (Original publicado em 1911).

Haustgen, T. & Gumpper, S. (2012). Gaëtan Gatian de Clérambault (1872–1934): II - son héritage psychiatrique. Annales Médico-psychologiques, 170(5), 358-363.

Jaspers, K. (1979). Psicopatologia geral (Vol. I, 2a ed.). (S. P. Reis, Trad.). Rio de Janeiro: Atheneu. (Original publicado em 1913).

Lacan, J. (1987). Da psicose paranóica em suas relações com a personalidade seguido de primeiros escritos sobre a paranoica (A. Menezes, M. A. C. Jorge & P. M. Silveira Jr., Trad.s). Rio de Janeiro: Forense-Universitária. (Original publicado em 1932).

Lacan, J. (1988). O seminário, livro 3: as psicoses (1955-1956) (2a ed.). (A. Menezes, Trad.). Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Original publicado em 1981).

Lacan, J. (1998). De nossos antecedentes (V. Ribeiro, Trad.). Em J. Lacan. Escritos (pp. 69-76). Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Original publicado em 1966).

Marconi, M. D. A. & Lakatos, E. M. (2003). Fundamentos de metodologia científica (5a ed.). São Paulo: Atlas.

Massara, I. H. M. & Pinto, J. M. (2010). Clérambault: the feminine enjoyment. Psicologia USP, 21(3), 585-598.

Miller, J. A. (1995). A invenção do delírio (M. M. Lima, Trad.). Opção lacaniana online, 5, 1-25.

Miller, J. A. (2004). L'amour dans les psychoses. Paris: Seuil.

Miller, J. A. (2015). O osso de uma análise: mais o inconsciente e o corpo falante (S. Vicente, Trad.). Rio de Janeiro: Zahar. (Original publicado em 2015).

Postel, J. (2011). Dictionnaire de la psychiatrie. Paris: Larousse.

Quinet, A. (1997). Teoria e clínica da psicose. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Rahmani, R. & Pacheco, L. (2016). Clásicos de la psiquiatría (XVII): Gäetan Gatian de Clerambault. Lmentala, 42.

Ruiz, P., Sadock, B. J. & Sadock, V. A. (2017). Compêndio de psiquiatria: ciência do comportamento e psiquiatria clínica (11a ed.). (M. A. Almeida, M. C. G. Monteiro, P. Machado, R. Pizzato & S. M. M. Rosa, Trad.s). Porto Alegre: Artmed. (Original publicado em 2015).

Sartori, A. P. C. (2009). Erotomania: amor e sexuação. Tese de doutorado, Programa de Pós-Graduação em Teoria Psicanalítica, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ.

Schneider, K. (1978). Psicopatologia clínica (3a ed.). (E. C. Leão, Trad.). São Paulo: Mestre Jou. (Original publicado em 1948).

Skinner, Q. (1969). Meaning and understanding in the history of ideas. History and Theory, 8(1), 3-53.

Soler, C. (2007). Estrutura e função dos fenômenos erotomaníaco da psicose. Em C. Soler. O inconsciente a céu aberto da psicose (pp. 41-51). (V. Ribeiro, Trad.). Rio de Janeiro: Jorge Zahar. (Original publicado em 2002).

Tyszler, J-J. (2009). Clérambault. Em M. Czermark & A. Jesuíno (Org.s). Fenômenos elementares e automatismo mental (pp. 133-161). Rio de Janeiro: Tempo Freudiano.

Zbrun, M. (2010). A clínica diferencial das psicoses e as psicoses ordinárias. Opção Lacaniana, 1(3), 1-9.

Publicado
2019-10-20
Como Citar
Gasparetto, M. A., & Simanke, R. T. (2019). A recepção psicanalítica do pensamento psiquiátrico de Clérambault. Memorandum: Memória E História Em Psicologia, 36, 1-20. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/memorandum/article/view/6882
Seção
Artigos