Patrimônio Cultural no Brasil

Autores

  • Pollyanna Lacerda Machado Universidade Federal de Minas Gerais
  • Thaís Kalile Zschaber Nogueira Universidade Federal de Minas Gerais

Resumo

Visando compreender a “imaginação museal” de Gustavo Barroso, Gilberto Freyre e Darcy Ribeiro – examinada com carinho e cuidado pelo museólogo (e poeta) Mário de Souza Chagas em sua tese defendida em 2003; assim como a relação do patrimônio cultural no cenário museológico brasileiro, defrontamo-nos com várias questões importantes para o entendimento da construção do significado dos museus e dos bens culturais em meados do século XIX. De início destacamos: “- a tradição museal brasileira pode ser inteiramente compreendida como parte de um processo civilizador de modernidade com raízes fincadas no solo do século XVIII.” (CHAGAS, 2009, p. 64). A partir deste trecho é possível perceber uma parcela do que seria a função dos museus e mais adiante discutiremos como os três intelectuais escolhidos para análise pensaram a preservação do patrimônio cultural e qual era o significado dos museus para eles.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-02-10

Como Citar

MACHADO, P. L.; NOGUEIRA, T. K. Z. Patrimônio Cultural no Brasil. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, [S. l.], v. 4, n. 1, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/moci/article/view/16981. Acesso em: 20 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos