Público escolar e museus: relação entre capital cultural e frequência a museus por alunos do ensino médio de Belo Horizonte, Minas Gerais.

Autores

  • Elizabeth Castro Moreno UFMG-Universidade Federal de Minas Gerais

Palavras-chave:

público de museus, estudo de público, capital cultural, museu

Resumo

Com o objetivo de avaliar a importância do capital cultural na frequência a museus, foi realizado um levantamento entre alunos do 1° ano do ensino médio de duas escolas de Belo Horizonte. A coleta de dados foi realizada em duas etapas: questionário autoaplicável e entrevista face a face. Para estimar a força da associação do capital cultural com o hábito de ser visitante de museus foi desenvolvido um modelo explicativo que avaliou o tipo de escola (pública ou particular), as características demográficas dos alunos e indicadores de capital cultural. Utilizando a regressão logística multivariada, observou-se que a chance do estudante ter visitado museu no ano da pesquisa foi cinco vezes maior entre aqueles que já foram ao teatro, e cerca de três vezes maior entre aqueles com hábito de leitura ou experiência de visita a museus em companhia da família. A investigação qualitativa mostrou que (1) o interesse por museus está associado às experiências de visitação em família; (2) há diferenças entre a visita com a escola e com a família; (3) o museu é prioritariamente tido como espaço de aprendizagem; (4) independentemente do capital cultural, a experiência de visitação significativa em museus é aquela que desperta interesse e entusiasmo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elizabeth Castro Moreno, UFMG-Universidade Federal de Minas Gerais

Bióloga, Epidemiologista, Pesquisadora em Ciências da Saúde. Aluna do 6. Período de Museologia.

Downloads

Publicado

2018-07-09

Como Citar

MORENO, E. C. Público escolar e museus: relação entre capital cultural e frequência a museus por alunos do ensino médio de Belo Horizonte, Minas Gerais. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, [S. l.], v. 7, n. 2, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/moci/article/view/17029. Acesso em: 2 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos