A escolha do sintoma na neurose obsessiva

  • Vanessa Leite Teixeira Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – Campus Coração Eucarístico, Belo Horizonte – MG, Brasil

Resumo

O sintoma é um dos pontos fundamentais para a psicanálise uma vez que o
sujeito busca uma análise quando seu sintoma torna-se mais insustentável
que satisfatório. Freud (1916-1917/1996b) divide os sintomas em típicos e
em individuais: embora o sentido dos sintomas seja de ordem sexual, sua
lógica subjacente remete à particularidade da divisão subjetiva e da marca
da castração. A determinação do sintoma e de sua lógica particular é
fundamental, já que embasa o analista para a direção do tratamento. Assim,
faz-se a questão: o que determina a escolha do tipo clínico e dos seus
sintomas? Frente a vários tipos destacados pela psicanálise, este texto
volta-se à escolha do sintoma no tipo clínico da neurose obsessiva, a partir
de pesquisa bibliográfica .

Palavras-chave: Psicanálise; psicopatologia; sintoma; neurose obsessiva.

Publicado
2017-03-10
Como Citar
Teixeira, V. L. (2017). A escolha do sintoma na neurose obsessiva. Mosaico: Estudos Em Psicologia, 1(1). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/mosaico/article/view/6223
Seção
Artigos 2007-2013