Por que criamos? Reflexões psicanalíticas sobre a gênese da arte

  • Felippe Lattazio Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte-MG, Brasil

Resumo

A pergunta sobre a gênese da criação artística perpassa há muito a civilização, intrigando artistas, filósofos, psicólogos e toda uma gama de teóricos. A partir de um breve diálogo com alguns escritores e músicos, procuraremos, neste artigo, pensar o fenômeno do processo criativo principalmente a partir da psicanálise, considerando diferentes linhas de raciocínio: a sublimação como destino da pulsão; o fator pulsional-quantitativo como indicação de dom; a relação oscilante do eu com as instâncias ideais; os processos primário e secundário como possíveis correlativos de inspiração e método e, por fim, a participação necessária e muitas vezes destrutiva da pulsão de morte na criação.

Palavras-chave: Criação artística, Psicanálise, Sublimação, Inspiração e método.

Como Citar
Lattazio, F. (1). Por que criamos? Reflexões psicanalíticas sobre a gênese da arte. Mosaico: Estudos Em Psicologia, 3(1). Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/mosaico/article/view/6256
Seção
Artigos 2007-2013