TERRITÓRIO FUNK E FEMINILIDADES: SUBJETIVIDADES CONSTRUÍDAS ENTRE RELAÇÕES DE PODER, A RUA E A VIOLÊNCIA

Palavras-chave: Funk, Menina, Mulher, Território, Subjetividades.

Resumo

O objetivo deste trabalho foi compreender o processo de construção social das feminilidades em um bairro popular favelizado, suas relações com a violência e o poder nos momentos de lazer em bailes funk e, ainda, delinear os principais aspectos da configuração e organização dos Bondes na região metropolitana de Belo Horizonte. Foi possível, também, discorrer sobre relações de poder, o estabelecimento de lideranças em diferentes níveis, regras, rearranjos para fruição do lazer, códigos de convivência e a relação entre esses e a territorialidade local.  Para compreender as complexas relações entre sujeito, subjetividade, sentidos e significados no Território Funk adotamos a abordagem histórico cultural de Vigotski e a teoria da subjetividade de Fernando Rey. Definimos a metodologia qualitativa como estratégia para atingir os objetivos e usamos a entrevista semiestruturada com as jovens meninas/mulheres funqueira e periguete. Nesse contexto, coube também a utilização de lentes feministas para o entendimento do ethos presente na rua, buscando entender a ressignificação dos códigos reelaborados por essas jovens nos bailes funk.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Iara Pires Viana, Associação Brasileira de Pesquisadores Negros - ABPN
Possui graduação em Ciências Humanas - Geografia. Especialização em Área de Risco Social e Educação Ambiental (Universidade Federal de Minas Gerais), Professora da Educação Básica da Secretaria Estadual de Educação. Prestou consultoria como Geógrafa no Comitê Técnico de Elaboração do Plano Diretor - (Mapeamento das favelas) para a Prefeitura Municipal de Vespasiano/MG. Atuou como Orientadora de Aprendizagem no Telecurso-Tec, uma parceria entre a Fundação Roberto Marinho e o Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza/SP, para alunos do EJA - Educação de Jovens e Adultos. Ministrou o curso Secretariado e Assessoria - Modalidade Semi-Presencial. Possui Mestrado em Estudos do Lazer - PPGIEL - UFMG na Linha de Pesquisa: Lazer, Cultura e Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Participa do Grupo de Pesquisa NEPPCOM (Núcleo de Estudo e Pesquisa do Pensamento Complexo) – Grupo de Estudos Teoria e Histórico-Cultural FAE/UFMG. O Núcleo é uma estrutura criada a partir da vinculação ensino-pesquisa-extensão, promovendo o debate relativo às articulações entre o Pensamento Complexo e as questões relativas ao Lazer e grupos sociais vulneráveis no âmbito da inter e da transdisciplinaridade. Integrei e coordenei grupo de Professoras que foi enviado a Moçambique numa missão formativa de professores coordenadores da educação básica numa ação de Cooperação sul-sul através do Ministério das Relações Exteriores em 2015.Atualmente trabalha na Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais como Superintendente de Modalidades e Temáticas Especiais de Ensino.
Publicado
2017-06-04