Validação aparente e de conteúdo de escala de avaliação de Enfermagem para o paciente na sala de recuperação pós-anestésica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2022.38455

Palavras-chave:

Estudo de Validação, Enfermagem Perioperatória, Enfermagem em Pós-Anestésico, Complicações Pós-Operatórias

Resumo

Objetivo: realizar a construção e a validação de conteúdo e aparente de uma escala de Avaliação de Enfermagem para o paciente na sala de recuperação pós-anestésica. Método: estudo metodológico, com etapas de definição do conceito a ser mensurado, formulação dos itens do instrumento, desenvolvimento de instruções para os respondentes e teste de validade aparente e de conteúdo realizado entre os meses de dezembro de 2020 e março de 2021. Inicialmente, a escala foi dividida em três domínios, com dados sociodemográficos e clínicos, procedimento anestésico-cirúrgico e 10 parâmetros a serem avaliados: temperatura corpórea, frequência cardíaca, respiração, pressão arterial sistólica, saturação periférica de oxigênio, consciência, mobilidade, dor, náusea e vômito e ferida operatória. Cada um dos parâmetros tem o escore mínimo de um (1) e máximo de quatro (4); assim, o escore total pode variar de 10 a 40 pontos. A validação foi realizada com 10 juízes doutores e com experiência na área de Enfermagem Perioperatória. A análise foi realizada por meio dos Índices de Validade de Conteúdo, com questionário contendo cinco possíveis respostas (discordo totalmente; discordo; não discordo e não concordo; concordo; concordo totalmente), além sugestões de forma descritiva. Resultados: após validação dos juízes, a escala permaneceu com o terceiro domínio, com os 10 parâmetros a serem avaliados. A validação obteve a média global de 89%, e nenhum dos parâmetros avaliados apresentou Índice de Validade de Conteúdo inferior a 80%. Conclusão: a escala proposta é um instrumento confiável e válido para avaliação do paciente na Sala de Recuperação Pós-Anestésica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Associação Brasileira de Enfermeiros de Centro Cirúrgico, Recuperação Anestésica e Centro de Material e Esterilização. Diretrizes de Práticas em Enfermagem Cirúrgica e Processamento de Produtos para a Saúde. 7ª ed. São Paulo: SOBECC; 2017

Monte Souza CD, Silva AA, Jesus Bassine CP. A importância da equipe de enfermagem na recuperação pós-anestésica. FSR [Internet]. 2020[citado em 2020 dez. 18];4(1):4-13. Disponível em: https://www.iessa.edu.br/revista/index.php/fsr/article/view/1623

Souza CFQ, Felix LKCL, Silva KRA, Moura LR, Almeida MEP, Nóbrega LPO, et al. Uso do índice de Aldrete e Kroulik na sala de recuperação pós-anestésica: uma revisão sistemática. Rev Enferm Digit Cuid Promoção Saúde [Internet]. 2019[citado em 2021 dez. 10];4(1):31-8. Disponível em: https://cdn.publisher.gn1.link/redcps.com.br/pdf/v4n1a07.pdf

Cruz LF, Felix MMS, Ferreira MBG, Pires PS, Barichello E, Barbosa MH. Influência de variáveis sociodemográficas, clínicas e cirúrgicas no Índice de Aldrete e Kroulik. Rev Bras Enferm [Internet]. 2018[citado em 2021 dez. 10];71(6):3189-95. Disponível em: https://www.scielo.br/j/reben/a/XpfdrPWPn5RC6955CCWqsNS/?format=pdf&lang=pt

Ribeiro MB, Peniche ACG, Silva SCF. Complicações na sala de recuperação anestésica, fatores de risco e intervenções de enfermagem: revisão integrativa. Rev SOBECC [Internet]. 2017[citado em 2021 dez. 8];22(4):218-29. Disponível em: https://revista.sobecc.org.br/sobecc/article/view/268/pdf

Prearo M, Fontes CMB. Sistematização da Assistência de Enfermagem na sala de recuperação pós-anestésica: revisão integrativa. Enferm Foco [Internet]. 2019[citado em 2021 dez. 9];10(7):135-40. Disponível em: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/2470/562

Luciano FRS, Rosa LM, Alvarez AG, Kuze EB. Validação de instrumento para registro da sistematização da assistência de enfermagem perioperatória. Rev SOBECC [Internet]. 2019[citado em 2021 dez. 09];24(4):200-10. Disponível em: https://revista.sobecc.org.br/sobecc/article/view/520/pdf

Tostes MFP, Biserra CL, Silva BT, Covre ER, Neves IF, Reis HM. Validação de conteúdo de instrumento para o ensino do processo de enfermagem em sala de recuperação pós-anestésica. ScieELO Preprints [Preprints]. 2021[citado em 2021 dez. 08];1(1). Disponível em: https://data.scielo.org/dataset.xhtml?persistentId=doi:10.48331/scielodata.P4NHWV

Polit DF, Beck CT. Fundamentos de Pesquisa em Enfermagem: avaliação de evidências para a prática da enfermagem. Delineamento de pesquisas quantitativas. Porto Alegre: Artmed; 2011.

Lobiondo-Wood G, Haber J. Nursing research: methods and critical appraisal for evidence-based practice. Philadelphia: Mosby Elsevier; 2006.

Souza AC, Alexandre NMC, Guirardello EB. Propriedades psicométricas na avaliação de instrumentos: avaliação da confiabilidade e da validade. Epidemiol Serv Saúde [Internet]. 2017[citado em 2022 jan. 12];26(3):649-59. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ress/a/v5hs6c54VrhmjvN7yGcYb7b/?format=pdf&lang=pt

Alexandre NMC, Coluci, MZO. Validade de conteúdo nos processos de construção e adaptação de instrumento de medidas. Ciênc Saúde Colet [Internet]. 2011[citado em 2022 jan. 14];16(7):3061-8. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csc/a/5vBh8PmW5g4Nqxz3r999vrn/?format=pdf&lang=pt

Brunner & Suddarth. Hinkle JL, Cheever KH. Tratado de enfermagem médico-cirúrgica. 13ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2018.

Potter PA, Perry AG, Stockert PA, Hall AM. Fundamentos de enfermagem. 9ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2018.

Maciel BL, Nunes FC, Pereira NHC, Nascimento PDFS, Periañez CAH, Caetano EPS, et al. Oxigenoterapia relacionada com a saturação periférica de oxigênio em pacientes na sala de recuperação anestésica. Rev SOBECC [Internet]. 2017[citado em 2022 maio 15];22(2):60-7. Disponível em: https://revista.sobecc.org.br/sobecc/article/view/140

Panazzolo PS, Siqueira FD, Portella MP, Stumm EM, Colet CF. Avaliação da dor na sala de recuperação pós-anestésica em hospital terciário. Rev Dor [Internet]. 2017[citado em 2022 maio 10];18(1). Disponível em: https://www.scielo.br/j/rdor/a/RTsVfd5R8F3SXhq9LCQgtws/?lang=pt

Malagutti W, Kakihara CT. Curativos, estomias e dermatologia. São Paulo: Editora Martinari; 2010.

Alpendre FT, Cruz EDA, Dyniewicz AM, Mantovani MF, Camargo e Silva AEB, Santos GS. Cirurgia segura: validação de checklist pré e pós-operatório. Rev Latino-Am Enferm [Internet]. 2017[citado em 2022 jan. 12];25:e2907. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/cogitare/article/view/57539/pdf

Ferreira RC, Montanari FL, Ribeiro E, Correia MDL, Manzoli JPB, Duran ECM. Elaboração e validação de instrumento de assistência de enfermagem para pacientes em unidades de terapia intensiva. Cogitare Enferm [Internet]. 2018[citado em 2022 jan. 13];23(4):e57539. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/cogitare/article/view/57539/pdf

Redivo JJ, Machado JA, Trevisol FS. Complicações pós operatórias imediatas na SRPA em um hospital geral do sul de Santa Catarina. ACM Arq Catarin Med [Internet]. 2019[citado em 2022 jan. 13];48(2):1-11. Disponível em: http://www.acm.org.br/acm/seer/index.php/arquivos/article/view/516/347

Campos MPA, Dantas DV, Silva LSL, Santana JFNB, Oliveira DC, Fontes LL. Complicações na sala de recuperação pós-anestésica: uma revisão integrativa. Rev SOBECC [Internet]. 2018[citado em 2022 jan. 14];23(3):160-8. Disponível em: https://revista.sobecc.org.br/sobecc/article/view/385/pdf

Lucas MG, Nalin GV, Sant’anna ALGG, Oliveira SA, Machado RC. Validação de conteúdo de um instrumento para avaliação da capacitação em ressuscitação cardiopulmonar. REME - Rev Min Enferm [Internet]. 2018[citado em 2022 jan. 14];22:e-1132. Disponível em: http://www.revenf.bvs.br/pdf/reme/v22/1415-2762-reme-22-e1132.pdf

Arquivos adicionais

Publicado

28-12-2022

Como Citar

1.
Mattia AL de, Mendes FCN. Validação aparente e de conteúdo de escala de avaliação de Enfermagem para o paciente na sala de recuperação pós-anestésica . REME Rev Min Enferm. [Internet]. 28º de dezembro de 2022 [citado 4º de fevereiro de 2023];26. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/38455

Edição

Seção

Pesquisa