Percepções das enfermeiras obstetras sobre sua formação na modalidade de residência e prática profissional

Autores

  • Adriana Lenho de Figueiredo Pereira Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Faculdade de Enfermagem, Rio de Janeiro RJ , Brazil, Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ, Faculdade de Enfermagem. Rio de Janeiro, RJ – Brasil
  • Juliana Cristina Nascimento Guimarães Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Faculdade de Enfermagem, Rio de Janeiro RJ , Brazil, Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ, Faculdade de Enfermagem. Rio de Janeiro, RJ – Brasil
  • Marina Caldas Nicácio Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Faculdade de Enfermagem, Rio de Janeiro RJ , Brazil, Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ, Faculdade de Enfermagem. Rio de Janeiro, RJ – Brasil
  • Deise Breder dos Santos Batista Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Faculdade de Enfermagem, Rio de Janeiro RJ , Brazil, Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ, Faculdade de Enfermagem. Rio de Janeiro, RJ – Brasil
  • Ricardo José Oliveira Mouta Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Faculdade de Enfermagem, Rio de Janeiro RJ , Brazil, Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ, Faculdade de Enfermagem. Rio de Janeiro, RJ – Brasil
  • Juliana Amaral Prata Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Faculdade de Enfermagem, Rio de Janeiro RJ , Brazil, Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ, Faculdade de Enfermagem. Rio de Janeiro, RJ – Brasil

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2018.49663

Palavras-chave:

Enfermagem Obstetra, Educação em Enfermagem, Prática Profissional

Resumo

Este estudo objetivou descrever as percepções das enfermeiras obstetras sobre a formação na modalidade de residência e suas interfaces com a prática profissional. Trata-se de pesquisa qualitativa, que entrevistou 25 enfermeiras obstetras qualificadas em curso de especialização na modalidade de residência. A técnica da análise temática foi aplicada para análise das entrevistas semiestruturadas. Os resultados mostraram que as enfermeiras obstetras têm percepção positiva sobre sua formação em programa de residência, mas mencionam contradições entre o enfoque no cuidado humanizado do ensino teórico e a persistência do modelo medicalizado nos cenários do ensino em serviço. Quanto à atuação profissional na área, as enfermeiras destacam a facilidade no uso das tecnologias de cuidados e os obstáculos decorrentes dos conflitos profissionais, do baixo reconhecimento e da sobrecarga de trabalho. Concluiu-se que a modalidade de residência promove segurança para o exercício da especialidade, mas as restrições identificadas impõem desafios para a qualificação e prática profissional, ressaltando a necessidade de adequação do programa de ensino com vistas à formação de especialistas com atitudes capazes de enfrentar e superar tais desafios.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Haddad J, Roschke MALC, Davini MC. Educación Permanente de Personal de Salud. Washington: Organización Panamericana de la Salud; 1994. Série Desarrollo de Recursos Humanos nº100.

Lemos CLS. Educação Permanente em Saúde no Brasil: educação ou gerenciamento permanente? Ciênc Saúde Coletiva. 2016[citado em 2017 mar. 15];21(3):913-22. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v21n3/1413-8123-csc-21-03-0913.pdf

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação na Saúde. Residência multiprofissional em saúde: experiências, avanços e desafios. Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

Ministério da Saúde (BR). Edital nº 21, de 5 de setembro de 2012 (BR). Processo seletivo destinado à oferta de bolsas para o Programa Nacional de Residência em Enfermagem Obstétrica (PRONAENF). Diário Oficial da União, Brasília (DF); 6 set. 2012: Seção 3:136-7

Pereira ALF, Nicácio MC. Formação e inserção profissional das egressas do curso de residência em enfermagem obstétrica. Rev Enferm UERJ. 2014[citado em 2017 mar 15]; 22(1):50-6. Disponível em: http://www.epublicacoes.uerj.br/index.php/enfermagemuerj/article/view/11418/9003

Ministério da Saúde (BR). Edital 28, de 27 de junho de 2013. Seleção de Programas de Residência Multiprofissional e em Área Profissional da Saúde para concessão de bolsas para residentes pelo Ministério da Saúde. Diário Oficial da União, Brasília (DF); 28 jun. 2013: Seção 3:156-60

Ministério da Saúde (BR). Portaria Conjunta nº 3, de 15 de setembro de 2015. Homologa o resultado do processo de renovação de bolsas do Programa Nacional de Bolsas para Residência Multiprofissional e em Área Profissional da Saúde do Edital de Convocação nº 32/SGTES-MS/SESu-MEC, de 24 de julho de 2014. Diário Oficial da União, Brasília (DF); 16 set. 2015: Seção 1:38

Lima GPV, Pereira ALF, Guida NFB, Progianti JM, Araújo CLF, Moura MAV. Expectations, motivations and perceptions of nurses on the nurse-midwifery specialization course in the residence modality. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2015[citado em 2017 abr 10];19(4):593-9. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v19n4/en_1414-8145-ean-19-04-0593.pdf

Dallegrave D, Ceccim RB. Healthcare residency: what has been produced in theses and dissertations? Interface (Botucatu). 2013[citado em 2017 maio 20];17(47):759-76. Disponível em: http://www.scielosp.org/pdf/icse/v17n47/en_aop4113.pdf

Guido LA, Silva RM, Goulart CT, Bolzan MEO, Lopes LFD. Burnout syndrome in multiprofessional residents of a public university. Rev Esc Enferm USP. 2012[citado em 2017 jun 12];46(6):1477-83. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/ v46n6/en_27.pdf

World Health Organization. The State of the World's Midwifery 2014. A Universal Pathway. A Woman's Right to Health. New York (US): United Nations Population Fund; 2014.

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 14ª ed. São Paulo: Hucitec; 2014.

Silva RMO, Cordeiro ALAO, Fernandes JD, Silva LS, Teixeira GAS. Contribution of a residency specialization program to professional know-how. Acta Paul Enferm. 2014[citado em 2017 jan 8];27(4):362-6. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ape/v27n4/en_1982-0194-ape-027-004-0362.pdf

Merighi MAB, Jesus MCP, Domingos SRF, Oliveira DM, Ito TN. Ensinar e aprender no campo clínico: perspectiva de docentes, enfermeiras e estudantes de enfermagem. Rev Bras Enferm. 2014[citado em 2017 jul 20];67(4):505-11. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v67n4/0034-7167-reben-67-04-0505.pdf

Öztürk D, Çalışkan N, Baykara ZG, Karadag A, Karabulut H. Determining the effect of periodic training on the basic psychomotor skills of nursing students. Nurse Educ Today. 2015[citado em 2017 fev 12];35(2):402-7. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25466792

Costa AANM, Schimer J. A atuação de egressos do curso de especialização em obstetrícia no Nordeste: da proposta à operacionalização. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2012[citado em 2017 maio 30];16(2):332-9. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ean/v16n2/18.pdf

Higa EFR, Gomes R, Carvalho MHR, Guimarães APC, Taipeiro EF, Hafner MLM. et al. Perceptions of nursing alumni regarding the course contribution in providing health care. Texto Contexto Enferm. 2013[citado em 2017 jul 12];22(1):97-105. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v22n1/12.pdf

Burgatti JC, Leonello VM, Bracialli LAD, Oliveira MAC. Estratégias pedagógicas para o desenvolvimento da competência ético-política na formação inicial em Enfermagem. Rev Bras Enferm. 2013[citado em 2017 maio 30];66(2):282-6. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v66n2/20.pdf

Barbosa GC, Meneguim S, Lima SAM, Moreno V. Política Nacional de Humanização e formação dos profissionais de saúde: revisão integrativa. Rev Bras Enferm. 2013[citado em 2017 jun 29];66(1):123-7. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v66n1/v66n1a19.pdf

Prata JA, Progianti JM, David HSL. Productive restructuring in the area of health and obstetric nursing. Texto Contexto Enferm. 2014[citado em 2017 jul 12];23(4):1123-9. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v23n4/0104-0707-tce-23-04-01123.pdf

Kramer M, Maguire P, Halfer D, Brewer B, Schmalenberg C. Impact of residency programs on professional socialization of newly licensed registered nurses. West J Nurs Res. 2013[citado em 2017 ago 12];35(4):459-96. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21816962

Gomes ML, Moura MAV, Souza IEO. Obstetrical practice by nurses in institutional childbirth: a possibility for emancipatory knowledge. Texto Contexto Enferm. 2013[citado em 2017 ago 10];22(3):763-71. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v22n3/en_v22n3a24.pdf

Carneiro MS, Teixeira E, Silva SED, Carvalho LR, Silva Bruna AC, Silva LFL. Dimensões da saúde materna na perspectiva das representações sociais. REME - Rev Min Enferm. 2013[citado em 2017 jun. 24];17(2):446-53. Disponível em: http://www.reme.org.br/exportar-pdf/662/v17n2a16.pdf

Gama SGN, Viellas EF, Torres JA, Bastos MH, Brüggemann OM, Theme Filha MM. et al. Labor and birth care by nurse with midwifery skills in Brazil. Reproductive Health. 2016[citado em 2017 maio 12];13(Suppl 3):123. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27766971

Cardoso ACM. Organização e intensificação do tempo de trabalho. Soc Estado. 2013[citado em 2017 jul 10];28(2):351-74. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/se/v28n2/v28n2a09.pdf

Publicado

19-09-2018

Como Citar

1.
Pereira AL de F, Guimarães JCN, Nicácio MC, Batista DB dos S, Mouta RJO, Prata JA. Percepções das enfermeiras obstetras sobre sua formação na modalidade de residência e prática profissional. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 19º de setembro de 2018 [citado 15º de junho de 2024];22(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/49663

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.