Ações de cuidado do enfermeiro no programa rede mãe paranaense

Autores

  • Sebastião Caldeira Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel PR , Brazil, Enfermeiro. Doutor em Ciência. Professor. Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE. Cascavel, PR – Brasil., Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Mateus Souza da Luz UNIOESTE, Cascavel PR , Brazil, Acadêmico do Curso de Enfermagem. UNIOESTE. Cascavel, PR – Brasil., Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Mauren Teresa Grubisich Mendes Tacla Universidade Estadual de Londrina, Londrina PR , Brazil, Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora. Universidade Estadual de Londrina – UEL. Londrina, PR – Brasil., Universidade Estadual de Londrina
  • Gicelle Galvan Machineski UNIOESTE, Cascavel PR , Brazil, Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora. UNIOESTE. Cascavel, PR - Brasil., Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Rosane Meire Munhak da Silva UNIOESTE, Foz do Iguaçu PR , Brazil, Enfermeira. Mestre em Biociências e Saúde. Professora. UNIOESTE. Foz do Iguaçu, PR – Brasil., Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Meire Perpétua Vieira Pinto UNIOESTE, Associação Internacional União das Américas, Foz do Iguaçu PR , Brazil, Psicóloga Clínica. Mestranda em Saúde Pública em Região de Fronteira. Professora. UNIOESTE, Associação Internacional União das Américas. Foz do Iguaçu, PR – Brasil., Universidade Estadual do Oeste do Paraná
  • Rosângela Aparecida Pimenta Ferrari UEL, Londrina PR , Brazil, Enfermeira. Doutora em Ciências. Professora. UEL. Londrina, PR – Brasil., Universidade Estadual de Londrina

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2017.49893

Palavras-chave:

Atenção Primária à Saúde, Saúde Materno-Infantil, Cuidados de Enfermagem, Pesquisa Qualitativa

Resumo

Objetivo: compreender as ações de cuidado do enfermeiro a partir do Programa Rede Mãe Paranaense (PRMP). Métodos: estudo qualitativo alicerçado na fenomenologia social de Alfred Schütz. Participaram oito enfermeiros dos municípios da 10ª Regional de Saúde do Paraná. Realizouse entrevista semiestruturada de agosto a dezembro de 2014. Resultados: identificaram-se três categorias: conhecimento sobre o PRMP; ações de cuidado do enfermeiro no PRMP; e expectativas quanto ao PRMP. O enfermeiro conhece os objetivos, os compromissos e os indicadores do PRMP. Desenvolve ações de captação precoce; estratificação de risco habitual, intermediário e alto risco e encaminhamentos conforme o risco. Proporciona cuidado qualificado à gestante, à parturiente, à puérpera e à criança. A partir das ações de cuidado, vislumbram qualificar ainda mais as ações de cuidado a essa população. Conclusão: as ações da equipe multidisciplinar poderão contribuir de forma eficaz na redução da morbimortalidade materna e infantil. Faz-se necessário mais investimento nos programas de saúde para o alcance da excelência nas ações de cuidado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Mendes EV. As redes de atenção à saúde. Brasília: Organização Pan- Americana da Saúde; 2011.

Oliveira MAC, Pereira IC. Atributos essenciais da Atenção Primária e a Estratégia Saúde da Família. Rev Bras Enferm. 2013[citado em 2016 fev. 22];66(2):158-64. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v66nspe/v66nspea20.pdf

Ministério da Saúde (BR). Programa de Assistência Integral à Saúde da Mulher. 1983. [citado em 2015 mar. 15]. Disponível em:http://portal.saude.gov.br/portal/saude/visualizar_texto.cfm?idtxt=25236

Ministério da Saúde (BR). Programa de Humanização do Pré-Natal e Nascimento. Brasília: Secretaria de Políticas de Saúde; 2000.

Ministério da Saúde (BR). Programa de Assistência Integral à Saúde da Criança: ações básicas. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 1984.

Ministério da Saúde (BR). Programa Rede Cegonha. Brasília: MS; 2012. [citado em 2015 mar. 15]. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/saude/gestor/visualizar_texto.cfm?idtxt=37082

Secretaria de Estado da Saúde do Paraná. Programa Rede Mãe Paranaense. Linha guia. SESA-PR: Curitiba: SES-PR; 2012.

Assis LTM, Fernandes BM. Saúde da Mulher: a enfermagem nos programas e políticas públicas nacionais no período de 1984 a 2009. REME - Rev Min Enferm. 2011[citado em 2017 fev. 24];15(3):356-64. Disponível em: http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/45

Veiga N, Pina JC, Mello DF, Silva MAI. Humanização e cuidado em saúde infantil: uma revisão sistemática da literatura. REME - Rev Min Enferm. 2009[citado em 2017 fev. 23];13(3):435-43. Disponível em: http://www.reme.org.br/content/imagebank/pdf/v13n3a17.pdf

Schütz A. Sobre fenomenologia e relações sociais. Petrópolis: Vozes; 2012. 357p.

Bugs TV, Caldeira S, Machineski GG, Fiewski MFC, Bugs BM, Tacla MTGM, et alPercepção, conhecimento e atuação dos médicos no programa Rede Mãe Paranaense. Rev Saúde. 2016[citado em 2017 fev. 23];42(2):185-94. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/revistasaude/article/view/19576

Ministério da Saúde (BR). Conselho Nacional de Saúde. Resolução 466/2012. Dispõe sobre normas de pesquisa com seres humanos. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2012.

Neto ETS, Oliveira AE, Zandonale E, Gama SGN, Leal MC. O que os cartões de pré-natal das gestantes revelam sobre a assistência nos serviços do SUS da região Metropolitana da Grande Vitória, Espírito Santo, Brasil. Cad Saúde Pública. 2012; 28(9):1650-22. [citado em 2015 jul. 16]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v28n9/v28n9a05.pdf

Ministério da Saúde (BR). Lei 7.498, de 25 de junho de 1986. Dispõe sobre a Regulamentação do Exercício da Enfermagem e dá outras providências. Brasília: Ministério da Saúde; 1986. [citado em 2015 ago. 20]. Disponível em: http://www2.camara.gov.br/internet/legislacao/legin.htm

Azeredo LG, Silva RM, Lima AAA. Nurses and implementation of the nursing care systematization: descriptive study. Online Braz J Nurs. 2010[citado em 2016 mar. 22];9(1):20-9. Disponível em: http://www.objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/2933

Caçador BS, Brito MJM, Moreira DA, Rezende LC, Vilela GS. Ser enfermeiro na estratégia de saúde da família: desafios e possibilidades. REME - Rev Min Enferm. 2015[citado em 2016 mar. 22];19:612-9. Disponível em: http://www.reme.org.br/content/imagebank/pdf/v15n2a16.pdf

Ceccim RB, Merhy EE. Um agir micropolítico e pedagógico intenso: a humanização entre laços e perspectivas. Interface Comunic Saúde Educ. 2009[citado em 2016 mar. 24];13(1):531-42. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/icse/v13s1/a06v13s1.pdf

Corrêa CRH, Bonadio IC, Tsunechiro MA. Avaliação normativa do pré-natal em uma maternidade filantrópica de São Paulo. Rev Esc Enferm USP. 2011[citado em 2015 jun. 13];45(6):1293-300. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v45n6/v45n6a03.pdf

Viellas EF, Domingues RMSM, Dias MAB, Gama SGN, Filha MMT, Costa JV, et alAssistência pré-natal no Brasil. Cad Saúde Pública. 2014[citado em 2016 mar. 22];30(supl.):S85-S100. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csp/v30s1/0102-311X-csp-30-s1-0085.pdf

Andrade RD, Santos JS, Pina JC, Silva MAI, Mello DF. A puericultura como momento de defesa do direito à saúde da criança. Ciênc Cuid Saúde. 2013[citado em 2016 mar. 22];12(4):719-27. Disponível em: http://www.revenf.bvs.br/pdf/ccs/v12n4/14.pdf

Gauterio DP, Irala DA, Cezar-Vaz MR. Puericultura em enfermagem: perfil e principais problemas encontrados em crianças menores de um ano. Rev Bras Enferm. 2012[citado em 2015 jun. 19];65(3):508-13. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S003471672012000300017&lang=pt

Chrizostimo MM, Rosas AMMTF, Alves L, Bartoly MG, Silva CMC, Alves EMC. O significado da assistência de enfermagem segundo abordagem de Alfred Schütz. Ciênc Enferm. 2009[citado em 2016 mar. 25];5(3):21-8. Disponível em: http://www.scielo.cl/pdf/cienf/v15n3/art_04.pdf

Huçulak MC, Peterlini OLG. Rede Mãe Paranaense: relato de experiência. Rev Espaço Saúde. 2014[citado em 2016 mar. 25];15(1):77-86. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/espacoparasaude/article/viewFile/18347/pdf_22

Vidor AC, Fisher PD, Bordin R. Utilização dos sistemas de informação em saúde em municípios gaúchos de pequeno porte. Rev Saude Publica. 2011[citado em 2016 mar. 22];45(1):24-30. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v45n1/1399.pdf

Umpiérrez AHF, Merighi MAB, Muñoz LA. Percepções e expectativas dos enfermeiros sobre sua atuação profissional. Acta Paul Enferm. 2013[citado em 2016 mar. 20];26(2):165-71. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ape/v26n2/v26n2a10.pdf

Publicado

05-06-2017

Como Citar

1.
Caldeira S, Luz MS da, Tacla MTGM, Machineski GG, Silva RMM da, Pinto MPV, Ferrari RAP. Ações de cuidado do enfermeiro no programa rede mãe paranaense. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 5º de junho de 2017 [citado 20º de maio de 2024];21(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/49893

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)