Representações sociais de mães e pais sobre crianças com paralisia cerebral

Autores

  • Jeorgia Pereira Alves Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB, Departamento de Saúde, Programa de Pós-graduação Enfermagem e Saúde, Jequié Bahia , Brasil, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB, Departamento de Saúde, Programa de Pós-graduação Enfermagem e Saúde. Jequié, Bahia - Brasil. http://orcid.org/0000-0003-4278-9583
  • Sumaya Medeiros Bôtelho Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB, Departamento de Saúde, Programa de Pós-graduação Enfermagem e Saúde, Jequié Bahia , Brasil, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB, Departamento de Saúde, Programa de Pós-graduação Enfermagem e Saúde. Jequié, Bahia - Brasil. http://orcid.org/0000-0003-2566-9459
  • Roseanne Montargil Rocha Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC, Departamento de Saúde, Ilhéus Bahia , Brasil, Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC, Departamento de Saúde, Curso de Enfermagem. Ilhéus, Bahia - Brasil. http://orcid.org/0000-0001-5766-413X
  • Darci Santa Rosa Universidade Federal da Bahia - UFBA, Escola de Enfermagem, Departamento de Saúde, Salvador Bahia , Brasil, Universidade Federal da Bahia - UFBA, Escola de Enfermagem, Departamento de Saúde, Salvador, Bahia - Brasil. http://orcid.org/0000-0002-5651-2916
  • Alba Benemérita Alves Vilela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB, Departamento de Saúde, Programa de Pós-graduação Enfermagem e Saúde, Jequié Bahia , Brasil, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB, Departamento de Saúde, Programa de Pós-graduação Enfermagem e Saúde. Jequié, Bahia - Brasil. http://orcid.org/0000-0002-1187-0437
  • Rita Narriman Silva de Oliveira Boery Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB, Departamento de Saúde, Programa de Pós-graduação Enfermagem e Saúde, Jequié Bahia , Brasil, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB, Departamento de Saúde, Programa de Pós-graduação Enfermagem e Saúde. Jequié, Bahia - Brasil. http://orcid.org/0000-0002-7823-9498

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2020.49952

Palavras-chave:

Paralisia Cerebral, Mães, Pai, Criança, Família

Resumo

Objetivos: o diagnóstico e prognóstico da paralisia cerebral desperta sentimentos intensos na família, pelo fato de esta ter que lidar com uma criança especial, o que torna esse enfrentamento um período delicado e difícil. O presente trabalho se propôs a compreender as representações de mães e pais sobre o filho com paralisia cerebral. Materiais e Métodos: trata-se de pesquisa qualitativa fundamentada na abordagem processual da teoria das representações sociais. Foram utilizadas: a técnica do desenho-estória com tema; o grupo focal; e a entrevista semiestruturada, com 19 participantes. Resultados: os dados foram processados pela técnica da análise de conteúdo temática e análise do grafismo dos desenhos, com posterior triangulação dos dados. Emergiram as categorias imagem da criança especial; aprendizado e práticas de mães e pais; função identitária do reconhecimento do grupo de pertença. Conclusão: mães e pais do grupo social pesquisado materializam suas representações sobre os filhos com paralisia cerebral no cuidado prestado eles, nos diferentes modos de comunicação da família com a criança, o que se torna um facilitador para que mães e pais possam tanto apreender e atender às necessidades de sua criança. Foi possível perceber as manifestações de cuidado, de aprendizado nas redes de apoio que se formam, de pertencimento ao grupo social estudado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Milbrath VM, Siqueira HCH, Motta MGC, Amestoy SC. Família da criança com paralisia cerebral: percepção sobre as orientações da equipe de saúde. Texto Contexto Enferm. 2012[citado em 2019 out. 07];21(4):921-8. Disponível em: doi: 10.1590/S0104-07072012000400024

Simões CC, Silva L, Santos MR, Misko MD, Bousso RS. A experiência dos pais no cuidado dos filhos com paralisia cerebral. Rev Eletrônica Enferm. 2013[citado em 2015 out. 07];15(1):138-45. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v15i1.13464

Dantas MSA, Collet N, Moura FM, Torquato IMB. Impacto do diagnóstico de paralisia cerebral para a família. Texto Contexto Enferm. 2010[citado em 2019 ago 13];19(2):229-37. Disponível em: doi:10.1590/S0104-07072010000200003

Baltor MRR, Dupas G. Experiências de famílias de crianças com paralisia cerebral em contexto de vulnerabilidade social. Rev Latino-Am Enferm. 2013[citado em 2019 fev 12];21(4):956-63. Disponível em: doi: 10.1590/S0104-11692013000400018

Jodelet D. As representações sociais. Rio de Janeiro: UFRJ; 2001.

Moscovici S. Representações sociais: investigações em Psicologia Social. 7ª ed. Petrópolis: Vozes; 2010.

Ronchi JP, Avellar LZ. Família e ciclo vital: a fase de aquisição. Psicol Rev. 2011[citado em 2019 maio 15];17(2):211-25. Disponível em: doi: 10.5752/P.1678-9563.2011v17n2p211

Borelli-Vincent M. L’expression des conflits dans Ie dessin de la famille. Rev Neuro-Psychiatr Infant. 1965; 13(2):45-66.

Bardin L. Análise de conteúdo. 4ª ed. Lisboa: Edições 70; 2011.

Minayo MCS, Assis SG, Souza ER, editors. Avaliação por triangulação de métodos: abordagem de programas sociais. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2010.

Moscovici S. Representações sociais: investigações em Psicologia Social. Rio de Janeiro: Vozes; 2003.

Jodelet D. Représentations sociales: un domaine en expansion. In: Jodelet A, editor. Les représentations sociales. Paris: P.U.F.; 1993. p. 31-61.

Azevedo EC, Moreira MC. Psiquismo fetal: um olhar psicanalítico. Diaphora. 2012[citado em 2019 jan. 12];12(2):64-9. Disponível em: http://www.sprgs.org.br/diaphora/ojs/index.php/diaphora/article/view/73/73

Telles JCCP, Sei MB, Arruda SLS. Comunicação silenciosa mãe-bebê na visão winnicottiana: reflexões teórico-clínicas. Aletheia. 2010[citado em 2019 jan. 12];33(1):109-22. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-03942010000300010

Henn CG, Sifuentes M. Paternidade no contexto das necessidades especiais: revisão sistemática da literatura. Paidéia. 2012[citado em 2019 jan. 12];22(51):131-9. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/paideia/v22n51/15.pdf

Coutinho MPL. Depressão infantil e representação social. São Paulo: Universitária; 2012.

Jovcheliovitch S. Vivendo a vida com os outros: intersubjetividade, espaço público e representações sociais. In: Guareschi P, Jovchelovitch S. Textos em representações sociais. Petrópolis: Vozes; 1999. p. 63-85.

Publicado

07-08-2020

Como Citar

1.
Alves JP, Bôtelho SM, Rocha RM, Rosa DS, Vilela ABA, Boery RNS de O. Representações sociais de mães e pais sobre crianças com paralisia cerebral. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 7º de agosto de 2020 [citado 26º de maio de 2024];24(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/49952

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.