SATISFAÇÃO E SOFRIMENTO NO TRABALHO DO ENFERMEIRO DOCENTE: UMA REVISÃO INTEGRATIVA

Autores

  • Carla Godinho Duarte Universidade Federal do Rio Grande, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Rio Grande RS , Brazil, Enfermeira. Mestranda. Universidade Federal do Rio Grande - FURG. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem. Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - IFRS, Curso Técnico em Enfermagem. Rio Grande, RS - Brasil, Universidade Federal do Rio Grande
  • Valéria Lerch Lunardi FURG, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Rio Grande RS , Brasil, Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora Permanente Voluntária da FURG, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem. Rio Grande, RS - Brasil, Universidade Federal do Rio Grande
  • Edison Luiz Devos Barlem FURG, Escola de Enfermagem, Rio Grande RS , Brazil, Enfermeiro. Doutor em Enfermagem. Professor Adjunto da FURG, Escola de Enfermagem. Rio Grande, RS - Brasil, Universidade Federal do Rio Grande

DOI:

https://doi.org/10.5935/1415-2762.20160009

Palavras-chave:

Satisfação no Emprego, Docentes de Enfermagem, Ensino, Educação em Enfermagem

Resumo

RESUMO A educação é um dos principais papéis que o enfermeiro assume em sua prática profissional. A prática docente tem sido permeada por muitos fatores, os quais têm repercutido em satisfação e sofrimento na atividade docente. O estudo teve como objetivo conhecer a produção científica sobre as facilidades e dificuldades na prática de enfermeiros docentes no ensino da Enfermagem. Realizou-se revisão integrativa considerando os artigos publicados na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), LILACS e SciELO, a partir dos descritores enfermagem, ensino e docentes de enfermagem, totalizando 19 artigos analisados. Após análise textual discursiva, emergiram duas categorias: satisfação no trabalho docente relacionada ao compromisso com o aprendizado do aluno, o reconhecimento da capacidade didático-pedagógica e a relação professor-aluno permeada pelo diálogo e escuta; e sofrimento no trabalho docente, relacionado à reduzida valorização e reconhecimento do fazer, comportamentos inadequados dos alunos e inadequações por parte das políticas institucionais e organizacionais das fontes empregadoras. Assim, faz-se necessário repensar a prática docente, implementando-se estratégias, instrumentalizando-se e articulando-se com os pares para que, cada vez mais, seja possível evidenciar a responsabilidade e o compromisso do docente na formação de recursos humanos, na tentativa de superar dificuldades existentes em ambientes em que há desrespeito e desvalorização do trabalho docente e de suas responsabilidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Freire P. Pedagogia da autonomia. Saberes necessários à prática educativa. 49ª ed. São Paulo: Paz e Terra; 2014.

Góes FSN, Côrrea AK, Camargo RAA, Hara CYN. Necessidades de aprendizagem de alunos da Educação Profissional de Nível Técnico em Enfermagem. Rev Bras Enferm. 2015[citado em 2015 mar 18];68(1):20-5. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2015680103p

Soares RJO, Zeitoune RCG, Lisboa MTL, Mauro MYC. Fatores facilitadores e impeditivos no cuidar de si para docentes de enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2011[citado em 2015 mar 18];20(4):758-65. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072011000400015.

Prado ML, Reibnitz KS, Gelbcke FL. Aprendendo a cuidar: a sensibilidade como elemento plasmático para formação da profissional crítico-criativa em enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2006[citado em 2015 mar 18];15(2):296-302. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072006000200014&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072006000200014.

Conceição MR, Alves MD, Costa MS, Almeida MI, Souza AMA, Cavalcante MBPT. Qualidade de vida do enfermeiro no trabalho docente: estudo com o WHOQOL-bref. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2012[citado em 2015 mar 18];16(2):320-5. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-81452012000200016&lng=en. Doi:10.1590/S1414-81452012000200016.

Ganske KM. Moral distress in academia. OJIN. 2010[citado em 2015 mar 18];15(3). Disponível em: http://www.nursingworld.org/MainMenuCategories/EthicsStandards/Courage-and-Distress/Moral-Distress-in-Academia.html Doi: 10.3912/OJIN.Vol15No03Man06

Tavares PEN, Santos SAM, Comassetto I, Santos RM, Santana VVRS. A vivência do ser enfermeiro e preceptor em um hospital escola: olhar fenomenológico. Rev RENE. 2011[citado em 2015 mar 18];2(4):798-807. Disponível em: http://www.revistarene.ufc.br/vol12n4_pdf/a18v12n4.pdf

Menezes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2008[citado em 2015 mar 18];17(4):758-64. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072008000400018

Moraes R, Galiazzi MC. Análise textual discursiva. 2ª ed. Ijuí: Editora Unijuí; 2011.

Ferreira EM, Fernandes MF, Prado C, Baptista PCP, Freitas GF, Bonini BB. Prazer e sofrimento no processo de trabalho do enfermeiro docente. Rev Esc Enferm USP. 2009[citado em 2015 mar 18];43(2):1292-6. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v43nspe2/a25v43s2.pdf

Madeira MZA, Lima MGSB. A prática pedagógica das professoras de enfermagem e os saberes. Rev Bras Enferm. 2007[citado em 2015 mar 18];60(4):400-4. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672007000400008&lng=en

Guimaraes GL, Viana LO. O valor social no ensino da enfermagem. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2012[citado em 2015 mar 18];16(3):508-13. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=10.1590/S1414-81452012000300012

Guedes GF, Ohara CVS, Silva GTR. Processo de ensinar e aprender em UTI: um estudo fenomenológico. Rev Bras Enferm. 2008[citado em 2015 mar 18];61(6):828-34. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672008000600006

Bettancourt L, Muñoz LA, Merighi MAB, Santos MF. O docente de enfermagem nos campos de prática clínica: um enfoque fenomenológico. Rev Latino-Am Enferm. 2011[citado em 2015 mar 18];19(5):1197-204. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692011000500018

Guimarães GL, Viana LO. O valor ético no ensino da enfermagem. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2009[citado em 2015 mar 18];13(3). Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-81452009000300009

Ramos FRS, Dorneles SS, Cavalcanti FBL, Cardoso ARF, Palhano MTA. Motivações e experiências do ensino da ética/bioética em enfermagem. Av Enferm. 2010[citado em 2015 mar 18];28(2):40-7. Disponível em: http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S012145002010000200004&lng=en

Caregnato RCA, Martini RMF, Mutti RMV. Questão ético-moral na formação dos enfermeiros e médicos: efeitos de sentidos nos discursos docentes. Texto Contexto Enferm. 2009[citado em 2015 mar 18];18(4):713-21. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-07072009000400013

Sebold LF, Carraro TE. Modos de ser enfermeiro-professor-no-ensinodo-cuidadode-enfermagem: um olhar heideggeriano. Rev Bras Enferm. 2013[citado em 2015 mar 18];66(4):550-6. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672013000400013

Rodrigues MTP, Mendes Sobrinho JAC. Obstáculos didáticos no cotidiano da prática pedagógica do enfermeiro professor. Rev Bras Enferm. 2008[citado em 2015 mar 18];61(4):435-40. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672008000400006

Rodrigues J, Zagonel IOS, Mantovani MF. Alternativas para a prática docente no ensino superior de enfermagem. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2007[citado em 2015 mar 18];11(2):313-7. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-81452007000200020

Mendes AM, Tamayo A. Valores organizacionais e prazer-sofrimento no trabalho. Psico USF. 2001[citado em 2015 mar 18];6(1):39-46. Disponível em: http://php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672008000500005

Terra MG, Padoin SMM, Gonçalves LHT, Santos EKA, Erdmann AL. O dito e o não-dito do ser-docente-enfermeiro/a na compreensão da sensibilidade. Rev Bras Enferm. 2008[citado em 2015 mar 18];61(5):558-64. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672008000500005

Madeira MZA, Lima MGSB. A prática de ensinar: dialogando com as professoras de enfermagem. Rev Bras Enferm. 2008[citado em 2015 mar 18];61(4):447-53. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672008000400008

Ferreira Junior MA. Os reflexos da formação inicial na atuação dos professores enfermeiros. Rev Bras Enferm. 2008[citado em 2015 mar 18];61(6). Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672008000600012

Backes DS, Marinho M, Costenaro RS, Nunes S, Rupolo I. Repensando o ser enfermeiro docente na perspectiva do pensamento complexo. Rev Bras Enferm. 2010[citado em 2015 mar 18];63(3). Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692011000200026

Rodrigues JA, Rocha LS, Anjos DS, Cavalcante LPF, Rozendo CA. Tendências pedagógicas: conflitos, desafios e perspectivas de docentes de enfermagem. Rev Bras Educ Med. 2013[citado em 2015 mar 18];37(3). Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022013000300005

Rodrigues MTP, Mendes Sobrinho JAC. Enfermeiro professor: um diálogo com a formação pedagógica. Rev Bras Enferm. 2007[citado em 2015 mar 18];60(4):456-9. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672007000400019

Silva KL, Pimenta AM. A primeira docência a gente nunca esquece. REME - Rev Min Enferm. 2007[citado em 2015 mar 18];11(4):465-9. Disponível em: http://www.revenf.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141527622007000400019&lng=pt.

Rodrigues J, Mantovani MF. O docente de enfermagem e sua representação sobre a formação profissional. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2007[citado em 2015 mar 18]; 11(3):494-9. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-81452007000300015

Publicado

02-05-2017

Como Citar

1.
Duarte CG, Lunardi VL, Barlem ELD. SATISFAÇÃO E SOFRIMENTO NO TRABALHO DO ENFERMEIRO DOCENTE: UMA REVISÃO INTEGRATIVA. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 2º de maio de 2017 [citado 15º de junho de 2024];20(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/50050

Edição

Seção

Revisao Sistematica

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.