Comparação da pressão arterial entre idosos institucionalizados e não institucionalizados

Autores

  • Fabíola de Araújo Leite Medeiros Universidade Estadual da Paraíba, departamento de Enfermagem
  • Inácia Sátiro Xavier de França Universidade Estadual da Paraíba; UPE UEPB
  • Patrícia de Oliveira Leite Belém Universidade Estadual da Paraíba, departamento de Enfermagem
  • Rafael la Queiroga Souto Universidade Estadual da Paraíba, departamento de Enfermagem

Palavras-chave:

Idoso, Hipertensão Arterial Sistêmica, Institucionalização

Resumo

O objetivo com esta pesquisa foi comparar os valores da pressão arterial (PA) entre idosos institucionalizados e não institucionalizados. O estudo tem natureza descritiva e comparativa. Foram utilizados testes estatísticos para validar a hipótese central: Existe diferença significativa dos valores da pressão arterial entre os dois grupos de idosos? A amostra constituiu-se de 65 idosos, 39 institucionalizados e 26 não institucionalizados. De acordo com o recomendado pelo Ministério da Saúde do Brasil para Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS), a maioria dos participantes teve PA classificada como normal. Diante da análise de variância, não houve diferenças significativas entre os valores de PA entre os grupos estudados. Após a estratificação da amostra com indivíduos classificados com HAS, verificou-se diferença significativa estatisticamente entre os valores com F estatístico de (24) = 2,65 e p = 0,45, identificando o grupo de idosos não institucionalizados como mais vulnerável à ocorrência de HAS. Conclui-se que há necessidade de ampliar os estudos relacionados ao idoso em diferentes grupos sociais, para que se instaurarem mecanismos preventivos de promoção do envelhecimento saudável.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

01-06-2011

Como Citar

1.
Medeiros F de AL, França ISX de, Belém P de OL, Souto R la Q. Comparação da pressão arterial entre idosos institucionalizados e não institucionalizados. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 1º de junho de 2011 [citado 29º de maio de 2024];15(2). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/50392

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.