O darwinismo no Brasil, nas ciências naturais e na sociedade

  • Heloísa Maria Bertol Domingues Museu de Astronomia e Ciências Afins - MAST/MCT
Palavras-chave: Darwinismo, Evolucionismo, Darwinismo Social

Resumo

Este trabalho discute o impacto da teoria de Darwin no Brasil e seus desdobramentos na produção científica e intelectual num momento em que diferentes, e mesmo opostos, evolucionismos se defrontavam no país. Esse movimento de ideias evolucionistas foi chamado de darwinismo, corrompendo as ideias de Darwin. A mais recente historiografia sobre o tema tem discutido a questão do darwinismo em vários países, seja na Europa, seja nas Américas. No Brasil, o que se percebe é que os darwinismos não darwinianos dominaram a produção intelectual no século XIX. Somente no século XX, a teoria passou a ter maior valor científico e a ser objeto de pesquisa das ciências propriamente ditas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Heloísa Maria Bertol Domingues, Museu de Astronomia e Ciências Afins - MAST/MCT

Historiadora, Museu de Astronomia e Ciências Afins, MAST/MCT

Referências

ALONSO, Angela. Ideias em Movimento. A geração de 1870 e a Crise do Brasil-Império. São Paulo, Paz e Terra, 2002.

AGASSIZ, Louis. Viagem ao Brasil - 1865-1866. 1a . Translated by Edgar Süssekind de Mendonça. São Paulo, SP: Compnhia Editora Nacional, 1938.

BENSAUDE-VINCENT, Bernadette. La science contre l’opinion - Histoire d’un divorce. 1a ed. 1999. Paris: Les Empêcheurs de penser en rond, 2003.

BOWLER, Peter J. Charles Darwin, The Man and His Influence. Cambridge: Cambridge Universty Press, 1996.—. Evolution, The History of an Idea. 3rd. Berkeley, California: University of California Press, 2003.

BROWNE, Janet. Charles Darwin Voyaging. 3rd. New South Wales: Pimlico, 2003.

CÂNDIDO, Antônio. Formação da Literatura Brasileira. 10. ed. Rio de Janeiro: Ouro Sobre Azul. 2006.

CARNEIRO, Paulo E. de Berredo. O Instituto Internacional da Hiléia Amazônica. Razões e Objetivos da sua criação. Rio de Janeiro, 1950.—. Vers un Nouvel Humanisme. Paris: Seghers, 1970.

CUNHA, Euclides da. Os Sertões. 10. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1927.

DARWIN, Charles. The Voyage of the Beagle. 3. ed. . New York: The Modern Library, 2001.

DAWKINS, Richard. A grande história da Evolução. Translated by Laura Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

DESMOND, Adrian, and James MOORE. A Causa Sagrada de Darwin. Rio de Janeiro: Record, 2009.

DOBZHANSKY, Theodosius, Evolution in the Tropics. American Scientist, Abril, 1950, 209-221.

DOMINGUES, Heloisa Maria Bertol. “A recepção francesa das ciências brasileiras (1860-1890).” Primeiro Congresso Luso Brasileiro de História da Ciência e da Técnica. Évora e Aveiro, Portugal: Centro de Estudos de História e Filosofia da Ciência, Universidade de Évora, 2000. 397-408.

DOMINGUES, Heloisa Maria Bertol, and Patrick PETITJEAN. “Darwinismo na Unesco: Paulo Carneiro, Julian Huxley e o projeto do Instituto Internacional da Hiléia Amazônica.” In Darwinismo, Meio Ambiente, Sociedade, by Heloisa Maria Bertol DOMINGUES, Magali Romero SÁ, Miguel Angel PUIG-SAMPER and Rosaura RUIZ GUTIÉRREZ, 271-292. Rio de Janeiro, São Paulo, RJ, SP: MAST, Via Lettera, 2009.

DOMINGUES, Heloisa M. Bertol, Magali R. Sá, and Thomas Glick. A recepção do darwinismo no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2003.

DOMINGUES, Heloisa Maria Bertol. A noção de civilização na visão dos construtores do Império. Revista do IHGB, 1838-1856/60. Niterói, RJ: ICHF-Universidade Federal Fluminense, 1991.

DOMINGUES, Heloisa Maria Bertol. Ciência um caso de política. As relações entre as Ciências Natu-rais e a Agricultura no Brasil-Império. São Paulo: FFLCH-Universidade de São Paulo, 1995.

DOMINGUES, Heloisa Maria Bertol; SÁ, Magali Romero. “Darwinism, art and literature in Rio de Janeiro and Sao Paulo in the early 20th Century.” 4th International Conference of the European Society of the History of Science. Barcelona, ES: Societá Catalana d’História de la Ciencia, 2012. 617-625.

FERREIRA, Ricardo. Bates, Darwin, Wallace e a Teoria da Evolução. São Paulo: EDUSP, 1990.

GLICK, Thomas F. Darwin en España. Barcelona: Ediciones Península, 1982.GLICK, Thomas F., and David KOHN. Charles Darwin On Evolution: the development of the theory of natural selection. Indianapolis, Indiana: Hackett Publishing Company Inc., 1996.

GLICK, Thomas F.; RUIZ, Rosaura; PUIG-SAMPER, Miguel Angel;. El Darwinismo en España e Iberoamérica. Madri e México DF: CSIC, Ediciones Dolce Calles e Universidad Nacional Autónoma de México, 1999.

GLICK, Thomas F.;. The Comparative Reception of Darwinism. Chicago: The University of Chicago Press, 1974.

GOTLIB, Nádja Batella. Tarsila do Amaral, a Modernista. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2003.

KOHN, David. The Darwinian Heritage. Princeton, New Jersey: Princeton University Press, 1985.LACERDA, João Batista de. “O Homem do Sambaqui.” Archivos do Museu Nacional, 1885: 175-202.

LIGHTMAN, Bernard. Victorian Popuarizers of Sciences: Design Nature for New Audiences. Chica-go, London: University of Chicago Press, 2007.

LOPEZ CID, Maria Rosa. Miranda Ribeiro: Um zoólogo evolucionista no Brasil nos primeiros anos da República (1894-1938). Rio de Janeiro: COC/Fiocruz, 2009.MIRANDA RIBEIRO, Alípio de. “Por Darwin. Tradução do livro de Fritz Müller, Für Darwin.” Kosmos, 1907.

MIRANDA, Marisa; VALLEJO, Gustavo. Darwinismo Social y Eugenesia en el Mundo Latino. Buenos Aires: Siglo XXI de Argentina Editores, 2005.

MONSERRAT, Marcelo. La Ciencia en la Argentina Entre Siglos. Textos, contextos e Instituciones. Buenos Aires: Ediciones Manantial, 2000.

MORRIS, Richard. The Evolutionist, the Struggle for Darwin’s Soul. New York: Henry Holt and Com-pany Ltd., 2001.

NETTO, Ladislau de Sousa Mello. Observaciones sobre la Teoria de la Evolución, Leidas en la Sociedad Científica Argentina. Buenos Aires: Imprenta de la Nación, 1882.PATY, Michel. L’Analise Critique des Sciences ou Le Téatraèdre Épistemologique. Paris: L’Harmattan, 1990.PEREIRA, Ana Leonor. Darwin em Portugal !865-1914) . Coimbra: Livraria Almedina, 2001.

PETITJEAN, Patric;, DOMINGUES, Heloisa Maria Bertol. “A redescoberta da Amazônia num pro-jeto da Unesco: o Instituto Internacional da Hiléia Amazônica.” Estudos Históricos, 2000: 265-292.

PRUNA, Pedro M.; GONZALEZ, Armando Garcia. Darwinismo y Sociedad en Cuba - Siglo XIX. Madri: Consejo Superior de Investigaciones Científicas, 1989.

PUIG-SAMPER, Miguel Angel; RUIZ, Rosaura; GALERA, Andrés. Evolucionismo y Cultura. Madri: Ediciones Dolce Calles e UNAM, MX, 2002.

ROQUETTE PINTO, Edgar. Glória sem Rumor. Rio de Janeiro: Museu Nacional, 1929.

RUIZ GUTIÉRREZ, Rosaura. Positivismo y Evolution: Introducción del Darwinismo en México. México DF: Editorial Limusa, 1991.RUIZ, Rosaura; PUIG-SAMPER, Miguel Angel; ZAMUDIO, Graciela. Darwinismo, biologia y socie-dad. Madri: UNAM e Ediciones Dolce Calles, 2013.

RUIZ GUTIÉRREZ, Rosaura. Positivismo y Evolution: Introducción del Darwinismo en México. México DF: Editorial Limusa, 1991.

SOUZA, Gastão Galvão de Carvalho. “Conferências de Agassiz após seu retorno da Amazônia (maio de 1866). In: Darwinismo, Meio Ambiente, Sociedade, by Heloisa Maria Bertol DOMINGUES, Magali Romero SÁ, Miguel Angel PUIG-SAMPER and Rosaura Ruiz GUTIÉRREZ, 101-112. Rio de Janeiro, São Paulo, RJ, SP: MAST, Via Lettera, 2009.

SOUZA, Natalia Peixoto Bravo de. A militância em torno de Euclides da Cunha: um projeto político-ideológico. Rio de Janeiro, RJ: Editora Torre, 2011.

SOUZA, Natalia Peixoto Bravo de; GALVÃO, Gastão . “O estigma de uma obra: Euclides da Cunha e suas reapropriações sob o ponto de vista do positivismo e do evolucionismo.” Revista Brasileira de História da Ciência, 2007.

TORT, Patrick. Pour Darwin. Paris: Presses Universitaires de France, 1997.

WEST, David A. Fritz Müller: a naturalist in Brazil. Blacksburg, Virginia: Pocahontas Press Inc, 2003.VERÍSSIMO, José . História da Literatura Brasileria. 1916.

Publicado
2016-04-07
Como Citar
DOMINGUES, H. M. B. O darwinismo no Brasil, nas ciências naturais e na sociedade. Revista da Universidade Federal de Minas Gerais, v. 21, n. 1 e 2, p. 114-137, 7 abr. 2016.
Seção
Artigos