Catadores de materiais recicláveis, consumo e valoração social

Autores

  • Beatriz Judice Magalhães Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo – IPC-IG

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-770X.2013.2683

Palavras-chave:

Catadores de materiais recicláveis, Sociedade brasileira, Liminaridade

Resumo

A partir de cinco entrevistas com catadores de materiais recicláveis, são realizadas reflexões a respeito das relações entre catadores, consumidores e sociedade brasileira num contexto mais geral. Tendo em vista acontecimentos como a criação do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (2001) e a aprovação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (2010), buscamos trazer à tona questões relacionadas à ascensão do paradigma ambiental, aos preconceitos historicamente sofridos pelos catadores e às possibilidades de reconhecimento e valorização do seu trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz Judice Magalhães, Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo – IPC-IG

Pesquisadora Associada do Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo – IPC-IG (Brasil).

Referências

ALLIER, J. M. O ecologismo dos pobres: conflitos ambientais e linguagens de valoração. Tradução de Maurício Waldman. São Paulo: Contexto, 2009.

APPADURAI, A. Introdução: Mercadorias e a política de valor. In: ________. A vida social das coisas: as mercadorias sob uma perspectiva cultural. Tradução de Agatha Bacelar. Niterói: Ed. UFF, 2010. p. 15-87.

CALVINO, I. Todas as cosmicômicas. Tradução de Ivo Barroso e Roberta Barni. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

DIAS, S. Construindo a cidadania: avanços e limites do projeto de coleta seletiva em parceria com a ASMARE. 2002. 206f. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Geociências, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2002a.

DIAS, S. Lixo e cidadania: os impactos da política de resíduos sólidos de Belo Horizonte no catador da ASMARE. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS POPULACIONAIS, 13., 2002, Ouro Preto. Anais... Ouro Preto: Associação Brasileira de Estudos Populacionais, 2002b.

DIAS, S. M. Trajetórias e memórias dos Fóruns Lixo e Cidadania no Brasil: experimentos singulares de justiça social e governança participativa. 2009. 391f. Tese (Doutorado) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2009.

DICIONÁRIO Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

DOUGLAS, M. Pureza e Perigo. Tradução de Mônica Siqueira Leite de Barros e Zilda Zakia Pinto, sob orientação do Conjunto de Antropologia da Universidade Estadual de Campinas. São Paulo: Perspectiva, 2010.

FERREIRA, A. B. H. Novo Aurélio Século XXI: o dicionário da língua portuguesa. 3. ed. totalmen-te revista e ampliada. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

FREITAS, M. V. Entre ruas, lembranças e palavras: a trajetória dos catadores de papel em Belo Horizonte. Belo Horizonte: Ed. PUC Minas, 2005.

MAGALHÃES, B. Liminaridade e exclusão: os catadores de materiais recicláveis e suas relações com a sociedade brasileira. 2012. 131f. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2012.

MARX, K. O capital – crítica da economia política. Tradução de Reginaldo Sant’Anna. 22. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2004. Livro 1, v. 1.

MNCR – MOVIMENTO NACIONAL DOS CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS. Programa de luta e organização nas bases do Movimento. Disponível em: <http://www.mncr.org.br/>. Acesso em: 19 mar. 2012.

SIMMEL, G. Exchange. In: _______. On individuality and social forms. Chicago: The University of Chicago Press, 1971.

TURNER, V. Passagens, margens e pobreza: símbolos religiosos da Communitas. In: TURNER, V. Dramas, campos, metáforas: ação simbólica na sociedade humana. Tradução de Fabiano de Morais. Niterói. EdUFF, 2008. p. 215-252.

VAN GENNEP, A. Os ritos de passagem. Petrópolis: Vozes, 2011.

Downloads

Publicado

2016-04-11

Como Citar

MAGALHÃES, B. J. Catadores de materiais recicláveis, consumo e valoração social. Revista da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, v. 20, n. 1, p. 246–265, 2016. DOI: 10.35699/2316-770X.2013.2683. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistadaufmg/article/view/2683. Acesso em: 1 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos