O urbanismo entre a memória e o futuro

da época das grandes esperanças à era das expectativas decrescentes, o que mudou na ideia de planejar a cidade?

Autores

  • Thiago Canettieri Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-770X.2021.32710

Palavras-chave:

História do urbanismo, Teoria urbana crítica, Planejamento urbano

Resumo

O urbanismo é uma prática propriamente moderna. Seu desenvolvimento e consolidação estiveram vinculados com uma certa concepção de futuro ligada ao espírito da modernidade. Sua legitimação ideológica era o progresso. Contudo, a partir do final do século XX a sociedade passa por uma transformação histórica que reconfigura as ideias fundantes do espírito da modernidade. Agora a experiência do colapso da modernização conduziu o mundo a uma era de expectativas decrescentes. Dessa mudança drástica, buscamos discutir como tais transformações impactam na prática do urbanismo. O artigo pretende investigar a constituição do urbanismo no interior de uma forma historicamente específica de sociabilidade para, a partir das transformações sociais, especular sobre as (im)possibilidades do “planejar” hoje.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Canettieri, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Doutor em Geografia, Professor Adjunto do Departamento de Urbanismo da UFMG. Membro do grupo CRISES – Crítica, Sociedade e Espaço. Pesquisador do Cosmópolis (Escola de Arquitetura/UFMG). E-mail: thiago.canettieri@gmail.com

Referências

Adorno, T; Horkheimer, M. Dialética do Esclarecimento. São Paulo: Zahar, [1944] 2006.

Anders, G. Le temps de la fin. Paris: L’Herne, [1972] 2007.

Arantes, O. Urbanismo em fim de linha. São Paulo: Ed.Usp, [1998] 2014.

Arantes, P. O novo tempo do mundo e outros estudos sobre a era de emergência. São Paulo: Boitempo, 2014.

Bauman, Z. Confiança e medo na cidade. São Paulo: Zahar, [2005] 2009.

Benesayag, M.; Schmit, G. L’epoca delle passioni tristi. Millão: La fratelli, 2004.

Benevolo, L. As origens da urbanística moderna. Lisboa: Editorial Presença, [1963] 1981.

Benjamin, W. Passagens. Belo Horizonte: UFMG, [1928] 2018.

Berardi, F. Depois do futuro. São Paulo: Ubu, [2009] 2019.

Body-Gendrot, S. Globalização, medo e insegurança: os desafios de cidades dos hemisférios Norte e Sul. São Paulo: Ed.Usp, [2012] 2018.

Caldeira, T. Cidade de muros: crime, segregação e cidadania em São Paulo. São Paulo: Editora 34, [2000] 2011.

Canettieri, T. A condição periférica. Rio de Janeiro: Consequência, 2020.

Castells, M. A questão urbana. São Paulo: Paz e Terra, [1972] 2014.

Choay, F. O urbanismo: utopias e realidades – Uma antologia. São Paulo: Perspectiva, [1965] 1992.

Corbusier, L. The city of tomorrow and its planning. Nova York: Payson & Clark, [1928] 1987.

Corbusier, L. Urbanismo. São Paulo: Martins Fontes, [1924] 1992.

Damiani, A. A crise da cidade: os termos da urbanização. In: Damiani, A. (Org.). O espaço no fim de século: a nova raridade. São Paulo: Editora Contexto.

Danowski, D. O hiper-realismo das mudanças climáticas e as várias faces do negacionismo. Revista Sopro, n.70, abril, s.p., 2012.

Davis, M. Planeta Favela. São Paulo: Boitempo, [2005] 2012.

Dunker, C. Mal-estar, sofrimento e sintoma. São Paulo: Boitempo, 2014.

Engels, F. A situação da classe trabalhadora na Inglaterra. São Paulo: Boitempo, [1845] 2008.

Enzensberger, H. M. zigue-zague. Rio de Janeiro: Imago, 1993.

Ferro, S. O canteiro e o desenho. In: Ferro, S. (Org.). Arquitetura e trabalho livre. São Paulo: Cosanaify, [1976] 2006.

Fisher, M. Capitalist realism. Winchester: Zero Books, 2009.

Harvey, D. Paris, capital da modernidade. São Paulo: Boitempo, [2003] 2015.

Hegel, G. W. F. Fenomenologia do espírito. Petrópolis: Editora Vozes, [1807] 2012.

Jameson, F. Future City. New Left Review, n.21, 2003.

Koselleck, R. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto, [1979] 2013.

Kurz, R. A crise do valor de troca. Rio de Janeiro: Consequência, [1986] 2018.

Kurz, R. Colapso da modernização. São Paulo: Paz e Terra, 1993.

Lamas, B. A “explosão da cidade” e a trajectória do capitalismo. In: Imprópria (Org.). Pensamento crítico contemporâneo e a cidade. Lisboa: Unipop, 2007.

Lasch, C. A cultura do narcisismo: a vida americana numa era de esperanças em declínio. Rio de Janeiro: Imago, [1979] 1983.

Lefebvre, H. A vida cotidiana no mundo moderno. São Paulo: Ática, [1968] 1980.

Lefebvre, H. Espaço e política. Belo Horizonte: Editora UFMG, [1972] 2016.

Lefebvre, H. Revolução urbana. Belo Horizonte: Editora UFMG, [1970] 2019.

Lojkine, Jean. O Estado Capitalista e a Questão Urbana. São Paulo: Martins Fontes, [1977] 1981.

Martins, S. O urbanismo: esse (des)conhecido saber político. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v.3, pp. 39-60, 2000.

Marx, K. O Capital: Crítica da economia política. Livro I. São Paulo: Boitempo, [1867] 2013.

Mbembe, A. Brutalisme. Paris: La decouverte, 2020.

Menegat, Marildo. A crítica do capitalismo em tempos de catástrofe. São Paulo: Consequência, 2019.

Mirafab, F. Insurgência, planejamento e a perspectiva de um urbanismo humano. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v.18, n.3, pp. 363-377, 2016.

Mumford, L. A cidade na história. Belo Horizonte: Itatiaia, [1961] 1965.

Pasolini, P. P. Escritos corsários. São Paulo: Editora 34, [1975] 2019.

Rolnik, R. Guerra dos lugares: a colonização da terra e da moradia na era das finanças. São Paulo: Boitempo.

Secchi, B. A cidade do século vinte. São Paulo: Perspectiva, [2005] 2015.

Secchi, B. A cidade dos ricos e a cidade dos pobres. Belo Horizonte: Editora Âyné, [2013] 2019.

Secchi, B. Primeira lição de urbanismo. São Paulo: Perspectiva, [2000] 2016.

Stengers, I. No tempo das catástrofes. São Paulo: Ubu, [2009] 2015.

Streeck, W. Buying time: the delayed crisis of democratic capitalism. Londres: Verso Books, 2012.

Topalov, C. Urbanización y reproducción de la fuerza de trabajo: contradicciones de la socialización capitalista del consumo. Cidade do México: Edicol, 1979.

Torres Carrasco, A. O. A arquitetura e o urbanismo da modernização retardatária: particularidades da produção do espaço urbano no contexto brasileiro. São Paulo: Annablume, 2014.

Tupinambá, G. Um pensador na periferia da história. Revista Porto Alegre, n.3, 2019. Disponível em: << http://revistaportoalegre.com/um-pensador-na-periferia-da-historia/ >> Acessado em: 28 jan. 2021.

Vainer, C. Pátria, empresa e mercadoria: notas sobre a estratégia discursiva do planejamento urbano estratégico urbano. In: Arantes, O.; Maricato, E.; Vainer, C. (Org.). A cidade do pensamento único: desmanchando consensos. Petrópolis: Vozes, 2000.

Downloads

Publicado

2022-07-28 — Atualizado em 2022-07-29

Como Citar

CANETTIERI, T. O urbanismo entre a memória e o futuro: da época das grandes esperanças à era das expectativas decrescentes, o que mudou na ideia de planejar a cidade?. Revista da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, v. 28, n. 2, p. 384–413, 2022. DOI: 10.35699/2316-770X.2021.32710. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistadaufmg/article/view/32710. Acesso em: 3 dez. 2022.

Edição

Seção

Urbanismo