v. 2 n. 1 (2021): Dossiê - Outras vidas contra o espetáculo: o animal, a planta, a máquina e o alien (jan/jun 2021)
Dossiê especial

Franz Kafka: subjetividades desérticas

Rafael Leopoldo
Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, Brasil
Biografia

Publicado 25-08-2021

Palavras-chave

  • subjetividades desérticas,
  • sexopolítica,
  • transidentidades

Como Citar

FERREIRA, R. L. A. dos S. Franz Kafka: subjetividades desérticas. (Des)troços: revista de pensamento radical, Belo Horizonte, v. 2, n. 1, p. 178–188, 2021. DOI: 10.53981/destroos.v2i1.35060. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistadestrocos/article/view/35060. Acesso em: 22 jun. 2024.

Resumo

O presente ensaio procura se aproximar da zooliteratura de Franz Kafka para caracterizarmos o que chamamos de subjetividades desérticas. Com essa noção de subjetividades desérticas procuramos enfatizar a construção da subjetividade como algo permanentemente instável, tal como uma miragem no deserto. Esta instabilidade ontológica tão móvel quanto andar com os pés na areia se caracteriza pela forma-plástica e a forma-morte. Nesse sentido, Kafka nos ajuda a adentrar nessa instabilidade com seus personagens, seja um homem que um dia acorda um inseto, ou ainda, um macaco que se transforma em um homem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

  1. BOULBINA, Seloua. Kafka’s Monkey and Other Phantoms of Africa. Trad. Laura E. Hengehold. USA: Indiana University, 2019.
  2. BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: feminismo e subversão da identidade. Trad. Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.
  3. CUNHA, Eduardo. Indivíduo Singular Plural: a identidade em questão. Rio de Janeiro: 7Letras, 2009.
  4. CUNHA, Eduardo. O Político e o Íntimo: subjetivação e política, do impeachment à pandemia. Salvador: Editora Devires, 2021a.
  5. CUNHA, Eduardo. O que aprender com as transidentidades: psicanálise, gênero e política. Porto Alegre: Criação Humana, 2021b.
  6. Deleuze, Gilles. Kafka: por uma literatura menor. Trad. Cíntia Vieira da Silva. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.
  7. Freud, Sigmund. Um caso de Histeria, Três ensaios sobre a Sexualidade e outros trabalhos (1901-1905). Rio de Janeiro: Imago, 1996.
  8. HALBERSTAM, Jack. Trans*: um guia rápido e estranho a variabilidade de gênero. Trad. Rafael Leopoldo. Bahia: Devires, 2021.
  9. KAFKA, Franz. A Metamorfose. Trad. Modesto Carone. São Paulo: Companhia das Letras, 1997a.
  10. KAFKA, Franz. O Processo. Trad. Modesto Carone. São Paulo: Companhia das Letras, 1997b.
  11. NIETZSCHE, Friedrich. Genealogia da Moral. Trad. Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.
  12. PRECIADO, Paul. Texto Junkie: sexo, drogas e biopolítica na era farmacopornográfica. Trad. Maria Paula Gurgel Ribeiro. São Paulo: n–1 edições, 2018.
  13. PRECIADO, Paul. Um Apartamento em Urano. Trad. Eliana Aguiar. Rio de Janeiro: Zahar, 2019.
  14. REVEL, Judith. Résistance et subjectivation: je au nous. Irrera, Orazio e Vaccaro, Salvo. La pensée Politique de Michel Foucault, Kimé, 2017.
  15. SANTNER, Eric. A Alemanha de Schreber: uma história secreta da modernidade. Trad. Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Zahar, 1996.