ESTRATÉGIAS E INTERVENÇÕES EDUCATIVAS DE ENFERMAGEM PARA O AUTOCUIDADO DE PESSOAS COM DOENÇA FALCIFORME

  • Lorena dos Santos Araújo Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Patologia. Instituto Gonçalo Moniz (Fundação Oswaldo Cruz - FIOCRUZ) e Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia.
  • Deise Oliveira Costa Residente do Programa de Residência em Enfermagem Obstétrica. Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia
  • Melissa Almeida Santos Residente em Saúde Cardiovascular pelo Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia.
  • Eliene Almeida Santos Mestre pelo Programa de Pós Graduação em Enfermagem. Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia.
  • Silvia Lucia Ferreira Professora Doutora Titular da Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia.
Palavras-chave: Educação em saúde; Autocuidado; Anemia falciforme; Promoção da saúde; Enfermagem em Saúde Comunitária

Resumo

O presente relato de experiência visa descrever a experiência de estudantes de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia durante as atividades educativas realizadas em um projeto de extensão que visa auxiliar pessoas com doença falciforme através da informação e incentivo às práticas de autocuidado. As atividades foram desenvolvidas durante as reuniões da Associação Baiana das Pessoas com Doença Falciforme e na sala de espera de um Ambulatório especializado, através do uso de variadas metodologias. As pessoas se sentiam estimuladas a realizar práticas de autocuidado, pois as atividades eram trabalhadas de maneira dinâmica para que pudessem compreender a importância de cuidar de si. Através dessas atividades, há compartilhamento de experiências e conhecimentos que podem favorecer na realização de práticas de autocuidado e estímulo à promoção da saúde das pessoas com doença falciforme.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lorena dos Santos Araújo, Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Patologia. Instituto Gonçalo Moniz (Fundação Oswaldo Cruz - FIOCRUZ) e Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia.

Enfermeira.Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Patologia. Instituto Gonçalo Moniz (Fundação Oswaldo Cruz - FIOCRUZ) e Faculdade de Medicina da Universidade Federal da Bahia. Salvador -Bahia - Brasil.

Deise Oliveira Costa, Residente do Programa de Residência em Enfermagem Obstétrica. Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia

Enfermeira. Residente do Programa de Residência em Enfermagem Obstétrica. Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia. Salvador - BA - Brasil.

Melissa Almeida Santos, Residente em Saúde Cardiovascular pelo Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia.

Enfermeira. Residente em Saúde Cardiovascular pelo Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia. São Paulo - SP - Brasil.

Eliene Almeida Santos, Mestre pelo Programa de Pós Graduação em Enfermagem. Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia.

Enfermeira. Mestre pelo Programa de Pós Graduação em Enfermagem. Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia. Salvador - BA - Brasil.

Silvia Lucia Ferreira, Professora Doutora Titular da Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia.

Enfermeira. Professora Doutora Titular da Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia. Salvador - BA – Brasil.

Publicado
2020-02-13
Seção
Relatos de experiência (até 15 páginas)